Carreira

Pesquisa apresentada na Reunião Anual do Fórum Econômico Mundial 2001, em Davos (Suíça), pela Korn/Ferry International, mostra que um dos principais fatores para a permanência de funcionários numa grande corporação é clareza estratégica – os empregados se identificam mais com a companhia se ela possui uma estratégia viável e bem comunicada para o sucesso. O estudo – que envolveu 4,5 mil empregados de 10 companhias tecnológicas líderes da América do Norte, Europa, Ásia e Israel – mostra as diferentes aspirações de acordo com a idade.
Para funcionários no início de suas carreiras – com menos de 30 anos – a segurança no trabalho não afeta positivamente a sua permanência nem o seu compromisso, mas a possibilidade de avanço na carreira é bastante significativo para ficar na empresa. A participação de uma organização inovadora também é um fator importante tanto para a permanência quanto para o compromisso. Para os funcionários na fase intermediária de suas carreiras – entre 31 e 50 anos – o compromisso para com a companhia aumenta se eles são capazes de administrar suas próprias carreiras, e a satisfação profissional causa um maior nível de permanência. Para os funcionários no final da carreira – com mais de 50 anos – a satisfação profissional não está ligada nem à permanência nem ao compromisso. Este é o único grupo para o qual a segurança do trabalho é importante para a permanência.
O único senão da pesquisa é que ela parece “datada” demais. Com as ondas de demissões nas empresas de tecnologia, permanecer no emprego parece depender menos do funcionário do que da performance financeira da companhia.

Vesgos
Os neoliberais que professam a tese do Estado mínimo e afastado das atividades econômicas deveriam prestar mais atenção nas práticas empresariais e facilmente iriam concluir que ainda existem inúmeros setores produtivos pedindo exatamente o oposto. É o caso da distribuição de gás natural. Executivos dessa área asseguram que, sem a presença governamental, será praticamente impossível estabelecer o mercado de venda de excedentes de energia gerada a partir do gás. No Rio de Janeiro o setor de gás foi privatizado sob a justificativa de ser ineficiente. Agora querem que o Estado promova este novo mercado. Pois é.

Versão
Existe um acordo entre o tráfico e a filial do supermercado Carrefour de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, para punir pessoas que pratiquem furtos no supermercado. O objetivo do acordo seria manter a polícia afastada das quatro bocas-de-fumo da favela e inclui também outros estabelecimentos comerciais da área. Quem garante que isso é verdade é um traficante da localidade, Ronald Alves de Almeida, mais conhecido como Edredon.
Versão editada
A Administração Central do Carrefour admitiu que houve adulteração nas fitas do sistema interno de vídeo da filial do supermercado em Jacarepaguá, que registraram cenas de duas mulheres furtando frascos de protetor solar no dia 27 de janeiro. Por causa da fraude, o Carrefour anunciou a demissão de seis funcionários da filial. A direção do supermercado contratou uma perícia própria para a análise das cenas gravadas, que atestou a edição das fitas. Isso pode complicar ainda mais a situação dos funcionários acusados de manter as duas mulheres em cárcere privado e de ter entregue uma delas para ser punida por traficantes. A polícia investiga também se os traficantes receberiam cestas básicas para distribuir aos moradores em troca da “segurança prestada”.

Poliana
Para além de suas conseqüências mais imediatas, a briga com o Canadá serviu ainda de exemplo didático para os que ainda acreditavam na teologia do livre comércio, como exercício unilateral.

Só rezando
Devoto das receitas esotéricas do FMI, o ex-ministro da Fazenda do Paraguai Federico Zayas, que deixou o governo no fim do ano passado, buscou na Bíblia os motivos que evitaram que seu país entrasse em uma profunda recessão ano passado: Jesus é paraguaio, “pois somente um milagre evitou a recessão”. A declaração de Zayasi foi feita a uma missão do FMI, que chegou ao país no último fim de semana.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMãezona
Próximo artigoImagem

Artigos Relacionados

Alta dos preços leva a aumento de protestos

Agitação em países onde manifestações eram raras preocupa FMI.

Montadoras não vieram; demissões, sim

Promessas de Doria e Bolsonaro para fábrica da Ford não passaram de conversa para gado dormir.

Ganhos de motoristas de app desabam

Renda média é de pouco mais de 1,5 salário mínimo.

Últimas Notícias

Câmara deve colocar em votação PL que desonera tarifas de energia

Em 2021, o Brasil passou pela pior crise hídrica em mais de 90 anos

Metodologia para participação de investidor estrangeiro

Serão considerados os dados de liquidação das operações realizadas no mercado primário nos sistemas da B3

Fitch eleva rating do Banco Sicoob para AA (bra)

Houve melhora do perfil de negócios e de risco da instituição

Petrobras Conexões para Inovação cria robô de combate a incêndio

Estatal: Primeiro no mundo adaptado para a indústria de óleo e gás

Brasil tenta ampliar diálogo com a UE

Debate da recuperação econômica nas duas regiões e discussão sobre as perspectivas das políticas fiscais