Carros de 2019, 2018 e 2017 são os mais visados para roubo e furto

Veículos populares e de ampla circulação seguem no topo da lista; cotações de seguros para carros elétricos têm salto de 800% no último ano

46
Roubo/furto de carro (Foto: ABr/arquivo)
Roubo/furto de carro (Foto: ABr/arquivo)

O Estado de São Paulo registrou 17.536 furtos e 4.437 roubos de automóveis, entre janeiro e abril deste ano. São em média 183 ocorrências por dia. Um número 9,2% menor do que o registrado no mesmo período de 2023, mas ainda muito elevado. Os dados estão no Boletim Tracker-Fecap, da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, segundo o qual a queda nos furtos foi pequena, de 0,8%. Já os roubos caíram 32%.

“A redução é resultado de diversos fatores, como implementação de tecnologia avançada de vigilância e monitoramento; mudanças nos comportamentos sociais e econômicos da população, especialmente influenciada pela pandemia; e melhoria da estratégia da segurança pública”, analisa o coordenador do Departamento de Pesquisas em Economia do Crime da Fecap, Erivaldo Costa Vieira.

O coordenador do Comando de Operações do Grupo Tracker, Vitor Corrêa, explica que “a criminalidade é dinâmica e frequentemente adapta suas práticas para escapar das medidas de segurança implementadas pelas autoridades e pelas empresas de rastreamento e monitoramento”. E destaca a importância das tecnologias para que este cenário de queda prevaleça. “Estamos em constante atualização e quanto maior a precisão dos equipamentos instalados nos veículos, maior o sucesso das recuperações e menor o êxito dos criminosos, que se veem obrigados a mudar de método e até de alvo. Temos um papel social enorme”, acrescenta o especialista.

O boletim analisou os anos dos automóveis mais roubados e furtados. Tanto em 2023 quanto em 2024, os modelos de 2019, 2018 e 2017 lideram a lista. Mas há uma tendência de alta nas ocorrências envolvendo os modelos mais novos (2023, 2022 e 2021).

Espaço Publicitáriocnseg

“Os modelos mais visados foram principalmente carros populares e de ampla circulação. Mas chama a atenção alguns utilitários e SUVs na lista, como o Jeep Renegade 1.8 AT e o Fiat Strada Volcano 13CD. Os criminosos estão diversificando suas preferências”, salienta Vitor Corrêa.

O coordenador da Fecap analisou o comportamento dos bandidos nos últimos dois anos. “As cidades de Guarulhos, Santo André e Campinas mostraram reduções significativas de eventos de roubos e furtos. Guarulhos passou de 3.702 casos em 2022 para 2.909 em 2023, enquanto Santo André viu uma diminuição de 5.026 para 3.700, no mesmo período. Campinas registrou 3.337 ocorrências em 2022 e 3.060, em 2023. A cidade de Osasco, conhecida por seus desafios em segurança pública, apresentou uma melhora notável, com uma redução de 2.213 casos em 2022 para 1.937, em 2023”, conta Erivaldo Costa Vieira.

Nos primeiros quatro meses do ano, São Paulo registrou 10.306 ocorrências de roubos e furtos de automóveis, uma leve redução de 1,8% em relação ao mesmo período de 2023. Os roubos caíram para 1.775 casos, redução de 32,6%, mas os furtos aumentaram em 8,5%, totalizando 8.531 ocorrências.

Ainda segundo o estudo, 10 bairros são responsáveis por 22% de todas as ocorrências de roubo e furto da capital. O bairro do Ipiranga lidera com 309 ocorrências, seguido por Itaquera com 276 e Tatuapé com 274. “Comparado aos dados anuais de 2023 e 2022, há uma estabilização no número de furtos e uma leve variação nos roubos. Mas estes três bairros mostram consistentemente altos números de ocorrências, indicando que essas áreas são particularmente vulneráveis a esses crimes”, concluiu Erivaldo Costa Vieira.

Já dados coletados pela Agger indicam que, de abril de 2023 a maio de 2024, houve um aumento de mais de 800% na procura de seguros para carros elétricos no Brasil. Somente no mês de maio deste ano, foram realizadas mais de 84 mil cotações para automóveis desta categoria, com os modelos Dolphin Mini, Dolphin EV e Ora 03 Skin liderando o ranking. De janeiro a maio deste ano, já foram cotados mais de 345 mil seguros. Os dados vão de encontro com o previsto para 2024 pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), que indicou um crescimento de 61% na venda de carros eletrificados. A entidade indica que, de janeiro a abril deste ano, foram emplacados mais de 20 mil automóveis desta categoria.

O perfil do público que está em busca do seguro para carros elétricos vem se alterando durante o ano. Segundo o levantamento, a idade no início de maio de 2023 era em média de 51 anos. Já em maio deste ano, diminuiu para 45 anos. No ranking de estados que estão adotando este modelo, São Paulo lidera nas cotações para carros elétricos, seguido de Minas Gerais e Santa Catarina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui