Carteira para 5 milhões

Se o projeto do Simples para Domésticos, do Ministério do Trabalho, for adiante, mais de 5 milhões de empregados domésticos terão sua carteira assinada, prevê o presidente da Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL) Francisco Antonio Feijó. “Além disso, haverá aumento na arrecadação”, disse, ressaltando que o Brasil tem hoje 7,2 milhões de trabalhadores nesta categoria. Contudo, só cerca de 2 milhões têm emprego formal.
Hoje, a alíquota do INSS paga pelo trabalhador doméstico é de 12% e a do FGTS é de 8%. A proposta é reduzir este total de 20% para a faixa de 14%. Com isso, os patrões pagariam 8%, enquanto os empregados, 6%.

ONS explica
Esta coluna recebeu os seguintes esclarecimentos do diretor geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp, sobre nota publicada nesta terça-feira (segunda no site):
“As notícias divulgadas na coluna Fatos & Comentários na edição de 26/7/11 do MONITOR MERCANTIL sobre o contingenciamento pela Aneel do orçamento do ONS para o período de julho/11 a junho/12 demandam correções e esclarecimentos do Operador. Embora apresente cifras e índices retirados diretamente da Resolução Autorizativa 2984 da Aneel e contenha diversos trechos em aspas copiados diretamente de seu texto, a matéria apresenta falhas que são abordadas a seguir:
“A transferência do Escritório Central do ONS e do Centro de Operação Regional Sudeste para um prédio exclusivo na Cidade Nova apresenta custos mais reduzidos, em reais por metro quadrado, que os das atuais instalações, quando são computados todos os gastos necessários para o funcionamento da organização, isto é, aluguel acrescido das despesas condominiais e serviços de água e luz.
“Os salários dos diretores do ONS, levando em conta a experiência e o conhecimento necessários para o adequado cumprimento de suas responsabilidades, estão reconhecidamente abaixo dos praticados pelo mercado de trabalho para executivos desse nível, conforme trabalho apresentado por consultoria especializada para seu Conselho de Administração. Principalmente, considerando que não há outros benefícios além do salário, ao contrário do que é praticado no mercado.
“Nos últimos anos, segundo orientação de seu Conselho de Administração, o orçamento do ONS vem sendo elaborado segundo uma filosofia de limitação do crescimento das despesas ao mínimo requerido para fazer frente às necessidades da organização. No ciclo orçamentário em questão, excluídas as despesas relativas à transferência para novas instalações e ao desenvolvimento de projetos tecnológicos que impactam a segurança do suprimento, o crescimento das despesas do ONS é de apenas 0,9%.
“A aprovação do orçamento do Operador pela agência reguladora está seguindo seu rito normal. Após a edição da Resolução Autorizativa 2984, o ONS já enviou à Aneel um pedido de reconsideração, que está sendo analisado pela Diretoria da Agência, com todas as informações necessárias para o esclarecimento das questões levantadas ao longo do processo de aprovação do orçamento. Para que se possa fazer uma análise dos custos do Operador para os consumidores de energia elétrica, de forma criteriosa, é preciso aguardar que o processo de aprovação chegue a seu final.
“Finalmente, o Operador ressalta que a transparência de seus custos é questão fundamental para que a sociedade possa avaliar a relação custo/benefício de sua atuação na coordenação da operação do Sistema Interligado Nacional.”

Prometido e realizado
Sugestão do ex-prefeito do Rio Cesar Maia: uma fiscalização imprescindível na Prefeitura. “Pedir a listagem das operações compensatórias realizadas pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente nos anos de 2009, 2010 e 2011. Pedir a lista das empresas beneficiadas, os valores relativos e fotos das intervenções e ações compromissadas pelas empresas.”

Engarrafamento ciclístico
Alguma mente iluminada programou, e outra mente ainda mais iluminada aprovou, a realização do Tour do Rio, volta ciclística pelo estado, na última semana de férias escolares. Os ciclistas passarão pela Ponte Rio-Niterói, principal ligação entre a Região dos Lagos – mais importante região de veraneio fluminense – na manhã do dia 31, domingo, quando já deve ser grande o trânsito de retorno das férias.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDívida eterna
Próximo artigoChinês nas pranchetas

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Reforma da Previdência desestimulou contribuição

Por Isabela Brisola.

Guedes fica mesmo avaliado com nota baixa

Apesar de abrir a possibilidade de aumentar a crise econômica e do desrespeito ao teto de gastos ou outras regras fiscais para bancar medidas...

Ex-ministro de Temer substituirá Funchal

O ex-ministro do Planejamento Esteves Colnago assumirá o comando da Secretaria Especial de Tesouro e Orçamento da pasta. A nomeação foi confirmada nesta sexta-feira...

Receita Federal abre consulta a lote residual de Imposto de Renda

A Receita Federal abriu nesta última sexta-feira consulta a lote residual de restituição do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) relativo ao mês...

Vendas do Tesouro Direto superam resgates em R$ 1,238 bi em setembro

As vendas de títulos do Tesouro Direto superaram os resgates em R$ 1,238 bilhão em setembro deste ano. De acordo com os dados do...