Cartão amarelo

Presidente da CPI criada para investigar denúncias contra o 9º Cartório de Registro Geral de Imóveis, relativas a documentos dos imóveis situados na Barra da Tijuca (Zona Oeste do Rio de Janeiro), o deputado Paulo Ramos (PDT) alertou que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) corre o risco de perder a propriedade do terreno comprado na Barra. “A CBF fez questão de dizer que tinha certeza da titularidade da propriedade, e nós estamos verificando que, na verdade, o terreno é uma área pública. Então, diante das provas colhidas, talvez tenhamos a necessidade de ouvi-los novamente”, frisou o pedetista.
A área teria, de forma irregular, sido registrada, pelo 9º Ofício, em nome de Pasquale Mauro, que vendeu a área à CBF. Pasquale Mauro teve seu sigilo bancário e fiscal quebrado pela CPI, nesta quarta.

Retrocesso
A Associação Nacional de Jornais (ANJ) considera um retrocesso a possibilidade de o projeto de lei que regulamenta o direito de acesso a informações públicas ser aprovado pelo Congresso com disposição que permite o sigilo eterno para documentos oficiais. Para a ANJ, o projeto deve ser aprovado no Senado tal como o foi na Câmara, em respeito ao amplo desejo de transparência da sociedade brasileira.

Dilma tucanou?
Se a longa carta da presidente Dilma em referência aos 80 anos do ex-presidente FH fosse limitada à ordem da urbanidade e dos cumprimentos protocolares ao aniversariante não haveria porque terceiros fazerem reparos. No entanto, para sustentar exageros, como apontar o octogenário tucano como exemplo de homem de diálogo respeitoso e construtivo, exige abstrair a recorrente tentativa de FH de desqualificar a oposição durante seus oito anos de governo, recorrendo, inclusive, a epítetos agressivos, como “vagabundos”, neobobos”, “corvos” “caipiras” e “dinossauros”.
Já, ao apontar o tucano-mor como responsável pela “estabilidade econômica”, Dilma,  não só, plagiando FH, esquece tudo que falou sobre as políticas recessivas que mantiveram o Brasil marcando passo, como, mais grave: carimba o projeto político que a levou ao poder como mero continuísmo da interminável e impopular administração tucana, noves fora, algumas pitadas de preocupação social. E tal tipo de declaração tem implicações muito mais graves que salamaleques protocolares entre ex e atuais ocupantes do poder.

Marisa vai às compras
As Lojas Marisa serão a nova âncora da rodada de negócios do programa Compra Rio, iniciativa da Secretaria fluminense de Desenvolvimento Econômico. Poderão participar, na rodada marcada para 6 de julho, na Firjan, fornecedores de moda feminina, masculina, infanto-juvenil, moda praia, moda íntima, além de bolsas, cintos, carteiras e bijuterias. As inscrições podem ser feitas até dia 28 pelo portal www.desenvolvimento.rj.gov.br

Carro elétrico
Apesar de a maior parte da energia elétrica produzida no Brasil ser de fonte renovável, o setor de transportes utiliza só 0,2% de energia elétrica. As emissões de poluentes atmosféricos nos seis maiores centros urbanos custam pelo menos R$ 2,3 bilhões por ano em decorrência de mortes, tratamento de enfermidades, ausências ao trabalho etc. O carro elétrico carece de legislação específica: IPI, ICMS, PIS e Cofins são idênticos aos de veículos poluidores a combustão; o IPVA pode chegar aos mesmos 4%, dependendo do estado.
As vantagens do veículo elétrico estarão em debate dia 20 próximo, no encontro Veículo Elétrico e Políticas Públicas. Destaque para a presença de Robert Stüssi, presidente da Associação Portuguesa do Veículo Elétrico e ex-presidente das Associações Mundial e Européia do Veículo Elétrico. Também estarão presentes o reitor da Uerj, Ricardo Vieiralves, os professores da Universidade José Marcos Domingues e Luiz Artur Pecorelli Peres, e o presidente do conselho diretor da Associação Brasileira do Veículo Elétrico, Jayme Buarque de Hollanda. O evento será na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro.

Download
Embora, segundo o Projeto Inter-Meios, em 2010, a publicidade na Internet brasileira tenha ultrapassado a faixa de R$ 1 bilhão, 28% mais sobre o ano anterior, o portal iG demitiu 30 profissionais segunda-feira.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVale tudo
Próximo artigoEquilibristas

Artigos Relacionados

Não, a Petrobras não quebrou

Na época em que os preços dos combustíveis não eram descontrolados, caixa da estatal era superior ao atual.

Hood Robin e o ICMS nos combustíveis

Reduzir impostos tira da sociedade para dar a poderosos.

Governo sabota emprego doméstico

Desconto no Imposto de Renda, que acabou, incentivava a assinatura da carteira.

Últimas Notícias

RNI diz que novo plano trouxe melhor resultado em 7 anos

Total de unidades financiada atingiu recorde de R$ 228 milhões

Volume de sedãs cai nos últimos anos

Onix Plus foi o mais vendido em 2021, apesar da crise dos semicondutores.

Sindicatos defendem política pública para tratar dos combustíveis

Melhor alternativa é considerar todas as etapas e beneficiar o consumidor

Redução dos impactos socioeconômicos das mudanças climáticas

Engajamento necessário de todos os atores sociais, especialmente das empresas.

O cenário da construção civil para 2022

Por Victor Gomes.