Causa própria

Embora possuam reservas capazes de garantir sua auto-suficiência em petróleo, os Estados Unidos produzem apenas 30% de sua demanda e gastam US$ 152 bilhões por ano com a importação desse produto, equivalente a 70% do consumo norte-americano. O objetivo é preservar as reservas do país, preocupação que cresce de tamanho quando se recorda que vários estudos apontam que, a partir do ano 2002, as reservas petrolíferas mundiais devem começar a encolher, provocando uma explosão dos preços.
Causa alheia
Na contramão da política dos EUA de proteção das suas reservas, o Governo FH está promovendo uma exploração predatória do produto no país. Hoje, o Brasil produz 1,3 milhão de barris/dia e acumula reservas de 17 bilhões de barris, suficientes para o consumo de 40 anos.
Alinhado, porém, com os interesses dos grandes grupos internacionais beneficiários da abertura unilateral do mercado brasileiro, o Governo FH está precipitando a busca da auto-suficiência e projetando a exportação de um milhão de barris/dia, o que levará o país a produzir 2,8 milhões de barris/dia.
Nessas condições, as reservas do país se esgotariam em cerca de 16 anos, fazendo com que o Brasil chegue ao ano 2020 sem petróleo. Com as projeções apontando para o crescimento de 4% ao ano no consumo, que alcançaria 3,9 milhões de barris/dia, e com a cotação futura do petróleo a US$ 33 por barril, o país teria de despender US$ 47 bilhões por ano para suprir suas necessidades. Esse total equivalente praticamente a toda a receita obtida hoje pelo país com suas exportações.

Contatos
Após ser absorvido pelo Chase, o JP Morgan parece que conseguiu maior trânsito no Banco Central do Brasil. Ontem, foi uma das cinco instituições escolhidas para aplicar US$ 1,2 bilhão das reservas internacionais brasileiras. Em agosto, antes da compra do JP pelo Chase, matéria fornecida pela Bloomberg e publicada pelo jornal Miami Herald contava as agruras do banco no Brasil, onde estaria perdendo negócios por não ter “amigos no BC”, como outros bancos de investimento teriam.

Calendário
O motorista que acessa o site do Detran para obter dados de multas e pontuação se depara com um aviso de que o banco de dados está sendo atualizado e os dois serviços estão fora do ar “até a próxima semana”. Detalhe: a data do comunicado é 16/10/2000.

Eleitor Lexotan
Um dos psicanalistas que honram esta coluna com sua leitura faz interessante lembrança aos que se surpreenderam com os 41.49% dos votos válidos obtidos por Paulo Maluf em São Paulo. A votação de Maluf se segue à recente divulgação de que 40% da classe média paulistana sofre de depressão.

Fábula
Nos próximos dias, o presidente do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, deve receber uma espetada do prefeito de Recife, Roberto Magalhães. Depois de assegurar a reeleição  de Magalhães ainda no primeiro turno, Montenegro deve ao candidato derrotado do PFL pelo menos a devolução do pagamento do terno da posse virtual.
Fábula II
Montenegro também vai ter de rebolar para explicar ao prefeito Luiz Paulo Conde como um candidato que, supostamente, tem seu governo apoiado por 70% dos cariocas, não consegue ter sequer 50% dos votos.

Mercado
As exportações brasileiras de café para os Estados Unidos estão em queda livre. A participação do Brasil nas vendas de café verde para os EUA ficou em 10,6% de janeiro a agosto deste ano, contra 19% no mesmo período de 1999. Foram US$ 181 milhões de exportações, queda de 42% frente aos US$ 313 milhões do ano passado. Isso apesar dos norte-americanos gastando mais na compra de café (US$ 1,7 bilhão, aumento de 3,3%). O Brasil, que era o principal fornecedor de café verde para os EUA, caiu para quarto lugar, atrás de Colômbia, México e Guatemala. Os dados são do jornal semanal Coffee Business.

Artigo anteriorRecado
Próximo artigoPobreza no campo
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

Mirem-se nos exemplos da Shell e da Exxon

Petrobras é fundamental para o desenvolvimento brasileiro.

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

MPEs veem oportunidades geradas pela crise

Principal mudança foi alocação de recursos para trabalhar e atender remoto, seguida por investimentos em tecnologia para vendas não presenciais.

Mudança de sinais

Terça começou tensa para os mercados de risco no mundo; hoje, a expectativa para o dia é de Bovespa seguindo em recuperação.

Quatro conselheiros da Petrobras decidem deixar o cargo

Eles são representantes da União no Conselho da empresa, petrolífera divulgou nota ontem à noite.

Biden quer estados priorizando vacinação de professores

Presidente americano pediu que educadores recebam pelo menos uma dose de vacina.

PEC fiscal e lockdown ficam no radar em dia de PIB

Em Nova Iorque, as pressões dos treasuries e a queda das companhias de tecnologia tiveram forte impacto nas Bolsas.