CCR vence leilão de concessão do trecho sul da BR-101

O contrato terá duração de 30 anos.

Mercado Financeiro / 18:58 - 21 de fev de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Grupo CCR venceu o leilão de concessão do trecho sul da BR-101, em Santa Catarina. O grupo ofereceu a menor tarifa de pedágio, R$ 1,97012, com 62,04% de deságio sobre a tarifa máxima de R$ 5,19. Realizado nesta sexta-feira na B3, em São Paulo, este foi o primeiro leilão do setor neste ano no governo Bolsonaro. O contrato terá duração de 30 anos. Foram concedidos 220 quilômetros entre os municípios de Paulo Lopes (SC) e a divisa com o estado do Rio Grande do Sul.

O certame durou pouco mais de 20 minutos e foram apresentadas três propostas. As outras duas foram a do Consórcio Way-101, que ofereceu R$ 4,35985 de tarifa, com deságio de 16% e a da EcoRodovias, que apresentou tarifa de R$ 2,51016, com 51,63% de deságio.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, presente no leilão, junto com diretores da CCR, bateu o martelo em favor da CCR ao fim do certame. Em vídeo publicado nas redes sociais, o ministro destacou que o contrato estabelece mecanismos de aportes extras, que garantem capital suficiente para os investimentos mesmo com a aplicação de uma tarifa baixa.

Sensacional! Vencedor do leilão de concessão do trecho sul da BR-101/SC ofereceu desconto de 62% e tarifa será de R$ 1,97. Lances próximos mostram sucesso da modelagem e confiança do investidor no programa de concessões do Gov @jairbolsonaro, o maior do mundo #ProBrasilCrescer”, comemorou o ministro.

O trecho concedido engloba os municípios catarinenses de Paulo Lopes, Garopaba, Imbituba, Laguna, Pescaria Brava, Capivari de Baixo, Tubarão, Treze de Maio, Jaguaruna, Sangão, Içara, Criciúma, Maracajá, Araranguá, Sombrio, Santa Rosa do Sul e São João do Sul. Quase 4 mil empregos serão gerados com a concessão, com previsão de retorno de R$ 645 milhões aos municípios por meio da arrecadação da alíquota de ISS.

 

Investimentos

 

O edital do Ministério da Infraestrutura, publicado em novembro passado, prevê investimentos da ordem de R$ 7,37 bilhões ao longo do período da concessão. Entre os benefícios gerados estão redução de custos operacionais, do tempo de viagem e do número de acidentes. A concessionária terá que construir, entre outras intervenções, 70 km de vias marginais, 98 km de faixas adicionais, 25 pontos de ônibus, 18 passarelas e 23 rotatórias. Além disso, 100% do trecho será monitorado por meio de câmeras, painéis de mensagem e sensores de tráfego.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) recebeu contribuições às minutas de edital e contrato, ao Programa de Exploração da Rodovia e aos estudos de viabilidade para concessão da BR-101/SC. Duas sessões presenciais ocorreram em 2018, uma em Criciúma (SC) e outra em Brasília (DF).

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor