Chame o ladrão

Apesar da aparente tranqüilidade que vive a cidade, tão alardeada pela cúpula da área de segurança pública, o esquema de policiamento montado para o Pan do Rio não foi capaz de impedir que o presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Rio de Janeiro, Wladimir Reale, fosse assaltado por dois bandidos em plena hora do rush, num dos pontos mais movimentados da cidade – a subida do Elevado Paulo de Frontin. E, o que é mais grave: a poucos metros de uma cabine da PM. Após perder dois celulares e carteira com cartões de crédito, o delegado pediu providências a policiais militares, que disseram, porém, nada poderem fazer, por terem ordem de “não sair da cabine”.

Galeão Cumbica
Com sua vocação para cobrar a aplicação seletiva dos princípios da ordem e da autoridade, a imprensa decidiu que o caos aéreos que vitima o país, não se deve, principalmente, ao desmonte do setor, causado pelos sucessivos cortes de gastos e contingenciamento de  verbas. Se, antes da posse de Nelson Jobim na Defesa, a exigência era de um “especialista” para o setor, agora – diante do domínio de Jobim sobre o tema equivalente à habilidade mostrada pelo presidente Lula nas suas peladas de fim de semana – a palavra de ordem passou a ser “voz de comando”.
Cioso do predomínio do marketing sobre as ações, Jobim, já no dia da posse incorporou o novo slogan ao seu discurso, fazendo questão de lembrar que “quem manda é o ministro”, como se a necessidade de reafirmar autoridade não fosse contradição patente para quem, de fato, a detém e exerce. Pois, no fim seguinte do “quem manda é o ministro”, a pista de Congonhas viveu a longa novela abre-fecha-abre, porque os supostos comandados do novo chefe não se entendiam.
Diante do fracasso da demonstração de autoridade, em sua primeira exibição pública, restou a Jobim o marketing imagético: visitou a pista, pousou para fotógrafos e cinegrafistas e até se arriscou a subir numa espécie de guindaste para melhor exibir, do alto, uma suposta autoridade. Com essa performance no seu primeiro dia no cargo, o ministro deixou uma preocupação no ar. Embora seja conhecido como homem público circunspecto, Jobim já se permitiu, como então ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), pousar em trajes de banho com o presidente FH, representante de Poder diante do qual, em tese, deveria manter relações de independência. Com esse precedente, espera-se que Jobim, como já antevêem alguns gaiatos cartunistas, não pouse de Galeão Cumbica.

Gratuito
O escritório de advocacia Siqueira Castro – Advogados foi apontado pela revista inglesa Latin Lawyer como o melhor do Brasil na prática de “pro bono” – atendimento e orientação jurídica gratuitos em todas as áreas do direito para instituições sem condições de pagar advogado particular. O Siqueira Castro orienta instituições, fundações e comunidades carentes, como a Mangueira, no Rio de Janeiro, auxiliando os jovens a ingressarem no mercado de trabalho.

Desastre cibernético
Aproveitando a mobilização nacional em torno do apagão aéreo, hackers têm enviado mensagens com vírus, para capturar computadores de internautas mais incautos ou distraídos. A mensagem, enviada em plena suspensão da venda de passagens, e redigida em português de estudo de universidade$ privada$, usa o nome da GOL para confirmar o suposto fechamento da compra para a viagem e, claro, convidando a vítima em potencial a clicar num ícone detonador da invasão de vírus.

Exposiçãol
Entre os próximos dia 2 e 4, acontece no Pavilhão da Bienal do Parque Ibirapuera a Mostra Sistema Fiesp de Responsabilidade Socioambiental. O objetivo é divulgar os investimentos sociais das empresas e os resultados e transformações provocados nas comunidades-alvo das ações. O evento é organizado pelo Conselho Superior de Responsabilidade Social, pelo Comitê de Responsabilidade Social e pelo Departamento de Meio Ambiente, ambos da Fiesp.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

Dois mitos sobre a Petrobras

Mídia acionada pelo mercado financeiro abusa de expedientes que ataca quando usados por bolsonaristas.

Mudar preços implica parar venda de refinarias

Mercado financeiro cobrará deságio, e Petrobras precisa de ativos para poder operar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Contas públicas têm superávit de R$ 58,4 bilhões em janeiro

Dívida bruta atinge 89,7% do PIB, o maior percentual da história.

Presidente do Inep é exonerado do cargo

Medida foi publicada no Diário Oficial de hoje; até o momento, não foi anunciado o nome de quem o substituirá.

Primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um ano

Brasil tem novo recorde de mortes diárias, diz Fiocruz; boletim informa que houve ontem 1.148 mortes.

Confiança da indústria e dos serviços caem em fevereiro

Níveis de Utilização da Capacidade Instalada também recuaram: o da indústria caiu 0,8 ponto percentual; e do serviço, 1 ponto.

Mau humor alastrando

Ontem, o mau humor dos investidores se fez presente no mundo e trouxe reviravolta para os mercados.