Chapa branca

No reino da austeridade temerária, a propaganda ficou de fora. Pessoas do meio publicitário comentam que agências que atendem ao Governo Federal não podem se queixar de falta de trabalho, pois estão dando duro para fazer frente ao “elevado volume de mídia realizado pelo novo governo”. Dilma Rousseff cortou, em 2015, R$ 591,5 milhões de propaganda federal. A Rede Globo e outras cinco emissoras de TV aberta do grupo receberam R$ 396,5 milhões em publicidade estatal da União. Em comparação a 2014, o valor representou uma queda de 34%, R$ 206,3 milhões a menos. Os números foram levantados pelo insuspeito Fernando Rodrigues, da Folha de S.Paulo.

O mesmo governo que censurou sites que não rezam por sua cartilha, cortando R$ 11,2 milhões de propaganda federal de 16 portais e blogs (quase todos, entre os 500 de maior audiência na internet brasileira), conseguiu dinheiro – provavelmente na conta do déficit primário de R$ 170 bilhões – para irrigar os grandes grupos de comunicação que estiveram na linha de frente do golpe. E, claro, estão de olho na verba dos sites independentes. Porém, Temer, que busca legitimidade e votos no Congresso, acena em patrocinar mídia ligada a igrejas. A briga vai ser pesada. Como vinha sendo no Governo Dilma, que sofria ataques ao tentar democratizar a verba pública. Em 2015, a internet teve 12,2% mais verba que em 2014. E – novidade – os sites ligados aos grandes grupos levaram a maior parte.

Esta coluna (perdoem os poucos leitores) recorre mais uma vez à frase de um amigo, doutor em Economia: “Torture os números e eles dirão o que você quer.” No caso do levantamento de Fernando Rodrigues, a Matemática saiu com sérias escoriações: transformou o salto da publicidade da Folha online (de R$ 2,3 milhões para R$ 5,5 milhões) em “quase o dobro”, quando, na verdade, significa aumento de 139%, ou seja, mais que o dobro. Tortura aos números é um campo em que o jornal que nutre simpatias pela “ditabranda” se sente em casa: o aumento para os sites de quatro jornalões (além da Folha, o Estadão, O Globo e Valor) foi de R$ 5,6 milhões em relação a 2014; para os 16 sites “sem vínculos com conglomerados de comunicação”, como escreve Fernando Rodrigues, a elevação foi de R$ 2,4 milhões. Ou seja, só estes quatro jornalões receberam de aumento de verba mais que o dobro (133%) que 16 sites. No total, os quatro levaram R$ 13,7 milhões, contra R$ 9,7 milhões dos independentes.

No fundo, trata-se de uma briga pela sobrevivência de publicações que perdem leitores a cada dia. Ou, uma defesa nem um pouco disfarçada do cartel da mídia.

Mais que o dobro

Celso Russomano (PRB), com 670,2 mil seguidores no Facebook, lidera com folga, na rede social, entre os pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo. Em segundo lugar vem Major Olímpio (SD), com 292 mil fãs, seguido por João Dória (PSDB), com 224,9 mil.

A deputada federal Luiza Erundina (Psol) tem 202,9 mil seguidores e vem registrando forte alta nos últimos meses: 45,3% de maio para junho e 15,7% nos últimos 30 dias. Em quinto aparece o prefeito Fernando Haddad (PT), com 198,9 mil seguidores. Ele teve o maior percentual de alta entre maio e junho: 49,1%. A seguir está a senadora Marta Suplicy (PMDB), que tinha 105 mil seguidores em maio e passou para 134,3 mil.

Os números são da Paradox Zero, que acompanha 15 fanpages no Facebook.

Artilheiro

No Rio de Janeiro, onde a Paradox Zero acompanha 14 fanpages, o senador Romário (PSB) lidera com nada menos de 2,4 milhões de seguidores. “A título de comparação, são 100 mil pessoas a mais que a fanpage do ex-presidente Lula, com seus 2,3 milhões”, assinala a empresa.

O segundo lugar no ranking é Marcelo Crivella (PRB), com 1,7 milhão de fãs. Em terceiro está a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB), que soma 606,2 mil seguidores. Pedro Paulo (PMDB), candidato do prefeito Eduardo Paes, vem distante: 55,1 mil fãs.

7 x 1

Levantamento feito pelo portal Sexlog com pouco mais de 2 mil entrevistados mostra que 95% dos cariocas prefere sexo ao futebol. Resultado bem diferente de pesquisa feita com torcedores ingleses, organizada pela Universidade de Loughboroug, em parceria com a empresa Nissan. Por lá, 56% dos entrevistados afirmou preferir ver uma partida do seu time de coração a ter relações sexuais.

Será a qualidade das partidas de lá ou do relacionamento por aqui? “É mais fácil torcer para o Arsenal, né?”, brinca Mayumi Sato, diretora de marketing do Sexlog.

Rápidas

Lourival Ávila dá curso de Oratória, com certificação EPC (8 pontos), em 12 de agosto, no Ibef-Rio. Telefone (21) 2217-5566 *** O Caxias Shopping (RJ) realiza seu tradicional baile nesta segunda-feira, das 17h às 21h. O ritmo de destaque será o “soltinho”, um dos preferidos dos praticantes da dança de salão *** A Câmara Municipal de Porto Alegre está com inscrições abertas para seu 21º Salão de Artes Plásticas. Até 20 de julho, podem se candidatar artistas maiores de 18 anos, gaúchos ou residentes no Rio Grande do Sul há cinco anos ou mais. O vencedor receberá o Prêmio Aquisição de R$ 8 mil. Detalhes em www.camarapoa.rs.gov.br

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

É a saúde (além da economia), estúpido!

Vacinação e estímulos à economia andam juntos; Brasil fica para trás em ambos.

Cortes poupam petroleiras e ‘bolsa refrigerante’

Para liberar auxílio emergencial, governo prejudica setores essenciais.

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Lula livre. Até quando?

Jurista: Necessidade de proteger Moro e os procuradores da Lava Jato.

Produtividade na indústria cai com menor produção na pandemia

Para 2021, as perspectivas são melhores, em razão do início da vacinação da população.

Demanda por bens industriais cresceu 0,6% em janeiro

Ipea apontou avanço de 6,6% no trimestre móvel encerrado no primeiro mês de 2021.

Aumenta consumo de pornô por público feminino

Relatório de site de entretenimento adulto revela que 39% do acessos são de mulheres.

Abertura de empresas tem alta de 13,4% em novembro

Segundo Serasa, sociedades limitadas impulsionaram índice; comércio teve alta estimulada por Black Friday e festas de fim de ano.