26 C
Rio de Janeiro
quarta-feira, janeiro 20, 2021

Chile é exemplo para o quê?

O Chile é visto como referência pelos “Chicago Olds” que assumirão o leme do Brasil em 1º de janeiro. Mas o sucesso chileno não ultrapassa a página 3. Considerando os países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Chile figura, junto com Brasil e Turquia, entre os três únicos cujos tributos indiretos superam os diretos na composição da carga tributária.

Consequência disso? Desigualdade. Brasil e Chile integram o Top 5 das nações que mais concentram renda, fazendo companhia a Catar, Líbano e – novamente – Turquia.

A privatização da previdência está longe de representar um “case” de sucesso. O valor pago para a maioria dos aposentados chilenos varia de 30% a 40% do salário mínimo no país, que é de cerca de US$ 350, o equivalente a R$ 1,3 mil. O resultado são protestos por todo o país, com o governo tentando emplacar uma mudança no sistema para arrecadar contribuição das empresas (atualmente, apenas os empregados pagam).

Boa parte do problema vem da obrigação de recolher para as AFPs, privadas e, em sua maioria, controladas por estrangeiros. Altas taxas administrativas, associadas a aplicações sem a devida regulação estatal, contribuíram para a ineficiência das AFPs. Os recursos depositados nas Administradoras Privadas atingiram em 2010 cerca de 70% do PIB do Chile.

O salário mínimo, cerca de 30% superior ao brasileiro, não é universal. Para menores de 18 anos e maiores de 65 anos, o valor cai pela metade. Além disso, em função do modelo neoliberal radical de trabalho, estima-se que mais de metade dos trabalhadores chilenos não recebam o mínimo legal.

 

Na terra de Trump

Em 2018, houve um aumento de 40% no número de brasileiros que querem internacionalizar suas empresas para os Estados Unidos e aproveitar as vantagens tributárias e a segurança econômica que o país oferece, informa a consultoria Oxford Group.

Empresas do mercado exterior tem sido atraídas aos EUA em função das vantagens tributárias aplicadas pela gestão de Donald Trump e pelos novos acordos comerciais, segundo o economista Carlo Barbieri, presidente da consultoria. Nos últimos anos os Estados Unidos atraíram investimentos de diversos setores de atividades, como o de armamento, siderúrgico, sucos, alimentos, entre outros.

 

Perfil

Luiz Affonso Romano, CEO do Laboratório da Consultoria e presidente da Associação Brasileira de Consultores (ABCO), encerrou em 30 de novembro a coleta de dados da edição 2018 da pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil.

O objetivo é identificar o perfil dos consultores, perspectivas, tendências, como são remunerados, e fazer comparativos de 2014 a 2018. O estatístico Sérgio Santos iniciará os trabalhos a fim de que o Perfil 2018 esteja à disposição dos interessados (consultores, clientes e entidades contratantes de consultoria, auditorias e tribunais de contas) até 15 de dezembro.

 

Elite de jaleco

Oito em cada dez formandos em Medicina vêm de escolas privadas; 77% se declaram brancos. Com mensalidades que começam em R$ 10 mil, a chance de sujarem de lama os pneus do carro do ano e cumprirem os contratos do Mais Médicos é perto de zero.

 

Rápidas

Nesta quarta-feira, entre 9h e 12h, será realizado o simpósio “Desenvolvimento e segurança aduaneira na Amazônia Azul: ações para melhorar o comércio exterior brasileiro”, na sede da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), com apoio da Receita Federal, AEB e Marinha *** O livro A reforma trabalhista – Reflexos no Direito do Trabalho, no Direito Processual do Trabalho e no Direito Previdenciário (Editora LTr), obra coletiva organizada pelo advogado Paulo Renato Fernandes da Silva, presidente da Comissão de Direito Cooperativo do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), será lançado nesta terça-feira, das 17h às 19h, na Biblioteca Daniel Aarão Reis, do IAB, no Centro do Rio *** O Caxias Shopping apresenta tributo aos Mamonas Assassinas em show da Banda Sobrinhos da Véia, dia 7, às 19h30 *** A Fiesp e a Comissão Chinesa de Arbitragem Marítima (CMAC) organizam um seminário sobre a Resolução de Disputas em Casos Comerciais e Marítimos entre o Brasil e a China. Mais informações: www.fiesp.com.br/agenda/resolvendo-disputas-em-casos-comerciais-e-maritimos-entre-o-brasil-e-a-china/ *** O Tribunal de Contas da União (TCU) e a ONG Todos pela Educação realizam nesta terça-feira o seminário “Pacto Federativo na Educação Brasileira: desafios e caminhos”. Programação: https://goo.gl/LGG1dS

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

É hora de radicalizar

Oposição prioriza impeachment, mas sabe aonde quer chegar?.

Soja ameaça futuro do Porto do Açu

Opção por commodities sobrecarrega infraestrutura do país.

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Exportações de suco de laranja recuam 23% entre julho e dezembro

Safra menor e estoques mais elevados estão entre as principais razões para a baixa.

Os desafios para Joe Biden nos EUA

Avanço da Covid-19 pode fazer com que democrata e equipe tenham que apagar alguns incêndios no começo do mandato.

Mercados sobem em véspera do Copom

Campos Neto, presidente do BC, participa da primeira sessão da reunião do Copom.

Mercados locais sobem seguindo Bolsas mundiais

Dia amanhece com tendência de alta para o mercado interno, seguindo NY na volta do feriado.

Contra tudo temos vacina

Dia promete ser de mais recuperação da Bovespa, dólar fraco e juros em queda.