China: comércio exterior ultrapassa US$ 6 tri

Aumento de US$ 1,4 trilhão em relação ao ano anterior.

O comércio exterior da China subiu mais um degrau em 2021, ultrapassando US$ 6 trilhões pela primeira vez, apesar da pandemia de Covid-19 continuar pesando no comércio global, mostraram dados oficiais na sexta-feira. O comércio total de mercadorias US$ 6,05 trilhões, aumento de US$ 1,4 trilhão em relação ao ano anterior, segundo a Administração Geral de Alfândegas (GAC).

O volume de comércio em termos de iuanes aumentou 21,4% ano a ano, para 39,1 trilhões de iuanes, com exportações subindo 21,2%, para 21,73 trilhões de iuanes, e importações, 21,5%, para 17,37 trilhões de iuanes.

“A China tem estado na vanguarda do desenvolvimento econômico e da resposta à pandemia em todo o mundo, mantendo um rápido crescimento no comércio exterior, que registrou um recorde em volume e um progresso constante em qualidade” disse o porta-voz da AGA, Li Kuiwen.

O país registrou um crescimento constante do comércio com todos os seus cinco maiores parceiros comerciais.

As importações e exportações da China com a Asean, a União Europeia, e os Estados Unidos aumentaram 19,7%, 19,1% e 20,2%, respectivamente, enquanto seus comércios com o Japão e a República da Coreia subiram 9,4% e 18,4%.

Ao mesmo tempo, o comércio do país com as economias envolvidas na Iniciativa do Cinturão e Rota registrou aumento de 23,6%, um ritmo acima da média.

Em 2021, as compras da China de produtos intermediários e de consumo no exterior aumentaram 24,9% e 9,9%, respectivamente, em relação a um ano atrás em 2021, mostram os dados do GAC. As importações do país representaram 12,1% do total mundial nos três primeiros trimestres de 2021, um aumento de 0,5 ponto percentual em relação ao ano anterior. “A abertura mais ampla da China permitiu que o mundo desfrutasse de mais dividendos de seu crescimento econômico e consumo próspero”, disse Li Kuiwen. O país se tornou o segundo maior importador do mundo em 2009.

Os dados de sexta-feira também aumentaram a evidência de uma economia chinesa resiliente e tranquilizaram os investidores e observadores globais de que o país continua sendo um poderoso motor de crescimento e desenvolvimento global.

As exportações dinâmicas tornaram-se um pilar da economia da China, disse Zhang Zhiwei, economista-chefe da Pinpoint Asset Management. O comércio exterior da China atingiu a marca de US$ 4 trilhões em 2013 e ultrapassou US$ 5 trilhões e US$ 6 trilhões de uma só vez em 2021. O incremento comercial no ano passado equivale ao volume total em 2005.

Graças ao comércio dinâmico, esperava-se que a economia chinesa terminasse 2021 com uma nota forte e começaria bem este ano. Em suas últimas previsões, o Banco Mundial colocou o crescimento real do PIB da China para 2021 em cerca de 8%, moderando levemente em 2022 para 5,1% ainda sólidos.

“As exportações do país permanecerão fortes no primeiro trimestre deste ano, pois a demanda global permanece robusta e a pandemia piora em muitos países em desenvolvimento”, disse Zhang.

O Bureau Nacional de Estatísticas divulgará na segunda-feira uma série de indicadores econômicos para 2021, incluindo o PIB do país, produção industrial, investimento em ativos fixos e vendas no varejo.

Apesar de um 2021 satisfatório, Li destacou que o comércio exterior da China enfrentará crescente incerteza e instabilidade este ano, pois a pandemia continua grave em todo o mundo e a recuperação da demanda global está desacelerando.

“Dadas essas dificuldades e desafios, devemos reconhecer que a economia da China é resiliente e seus sólidos fundamentos de longo prazo permanecerão inalterados, disse Li Kuiwen, expressando confiança inabalável na estabilização do comércio exterior.

O governo chinês divulgou novas diretrizes na terça-feira para aliviar as pressões sobre as empresas de comércio exterior e manter as exportações e importações estáveis. As diretrizes detalham medidas, incluindo apoio fiscal e financeiro para empresas de comércio exterior, incentivos para novas formas de negócios e esforços para aliviar os riscos da cadeia de suprimentos e aumentar ainda mais a liberalização e facilitação do comércio.

Também uma boa notícia para os esforços da China para manter o crescimento do comércio, o acordo Regional Comprehensive Economic Partnership (RCEP), assinado por 15 países da Ásia-Pacífico, incluindo a China, entrou em vigor em 1º de janeiro, criando o maior bloco comercial do mundo.

As importações e exportações da China com os outros 14 membros da RCEP combinadas aumentaram 19,1% ano a ano, para 12,07 trilhões de iuanes em 2021, representando 30,9% do comércio exterior total do país.

Com Xinhua

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

China reduz juros em empréstimo de médio prazo

O banco central da China reduziu nesta segunda-feira (17) as taxas de juros de seus empréstimos de médio prazo (MLF) e repôs reversos em...

Importação de óleo pelo Brasil quase dobrou em 2021

Somadas a gás natural, compras passam de US$ 18 bilhões.

Taxa única sobre ultrarricos garantiria saúde universal

10 trilionários ganharam US$ 15 mil por segundo durante pandemia.

Últimas Notícias

Empregos na saúde ultrapassa 4,6 milhões

O número de pessoas empregadas na cadeia produtiva da saúde cresceu 0,6% entre agosto e novembro do ano passado ao atingir 4.652.588 de trabalhadores,...

RJ terá dificuldades de pagar R$ 92 bi à União

O Governo do Estado do Rio de Janeiro poderá encontrar dificuldades para cumprir o pagamento de R$ 92 bilhões devidos à União. Isso porque...

China reduz juros em empréstimo de médio prazo

O banco central da China reduziu nesta segunda-feira (17) as taxas de juros de seus empréstimos de médio prazo (MLF) e repôs reversos em...

Petrobras: recorde de produção no pré-sal em 2021

A Petrobras atingiu recorde anual de produção no pré-sal em 2021, ao alcançar 1,95 milhão de barris de óleo equivalente por dia (boed). Esse...

Médicos de SP mantêm greve na quarta-feira

Após se reunirem com o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, na tarde desta segunda-feira, o Sindicato dos Médicos de São...