China: Incentivos fiscais para investidores estrangeiros

A China anunciou que estendeu suas políticas fiscais preferenciais para investidores estrangeiros que investem no mercado de títulos da parte continental do país. A China tem divulgado ações visando maior abertura do setor.
Os investidores institucionais estrangeiros estão isentos do imposto de renda corporativo e do imposto de valor agregado sobre seus ganhos com juros de investimentos no mercado de títulos da parte continental, de acordo com um anúncio do Ministério das Finanças e da Administração Geral de Impostos. A isenção entrou em vigor em 7 de novembro de 2021 e durará até 31 de dezembro de 2025, segundo o anúncio.
Segundo a agência Xinhua os investidores institucionais estrangeiros agora podem investir no mercado de títulos interbancários da China por meio de vários canais, incluindo Investidores Institucionais Estrangeiros Qualificados e Investidores Institucionais Estrangeiros Qualificados em Renminbi, entrada direta no mercado e o programa Bond Connect.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Mais navios deixam a Ucrânia com 58 mil t de milho

Três navios foram autorizados a sair com grão da Ucrânia.

Preços dos alimentos caem em julho mas ainda estão 13,1% acima de 2021

Óleos vegetais e cereais contribuíram para redução.

Payroll teve leitura fortemente acima do esperado

Mercado de trabalho mostra aperto considerável, com indicações de restrições prolongadas no lado da oferta.

Últimas Notícias

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Área de oncologia movimenta R$ 50 bilhões no Brasil

Cerca de 625 mil novos casos de câncer são diagnosticados por ano

Títulos públicos prefixados: maiores rentabilidades de julho

Destaque ficou com os prefixados de vencimentos mais longos, representados pelo IRF-M1+

Economia prepara projeto para abrir fundos de pensão ao mercado

Em jogo, patrimônio de R$ 1 trilhão acumulado pelos fundos fechados de previdência.