China injeta vitalidade na transição verde da África

O progresso para a realização da neutralidade de carbono na África tem acelerado graças aos fluxos de capital, às transferências técnicas e de conhecimento para o continente facilitada pela China, disse um especialista queniano na segunda-feira.

Esta foto de arquivo, tirada em 14 de agosto de 2015, mostra a pastagem tropical com poucas árvores, que é a paisagem típica da savana da África Oriental na Reserva Nacional Masai Mara, no Quênia. (Xinhua / Sun Ruibo)

Xinhua - Silk Road

 

Escrito por Naftali Mwaura da Xinhua

NAIROBI, 8 de novembro (Xinhua) – O progresso para a realização da neutralidade de carbono na África tem acelerado graças aos fluxos de capital, às transferências técnicas e de conhecimento para o continente facilitada pela China, disse um especialista queniano na segunda-feira.

Adhere Cavince, um acadêmico de relações internacionais, observou que a China está na linha de frente da transição para caminhos de baixo carbono e de desenvolvimento sustentável na África, onde as mudanças climáticas afetaram os meios de subsistência e os ecossistemas vitais.

Adhere disse em um comentário publicado pela Capital FM, site de notícias de uma estação de rádio local que, sendo maior parceiro da África e fonte de investimento estrangeiro direto, a China trouxe a vitalidade na busca do continente por resiliência climática.

Ao observar que o financiamento e os gargalos tecnológicos prejudicaram a transição verde da África, a Adhere elogiou o apoio da China à implementação dos programas de energia renovável no continente.

“A China tem sido o principal parceiro do continente, ajudando a mudar sua geração de energia para solar e eólica”, escreveu Adhere no contexto da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudança Climática (COP26), a qual está em andamento em Glasgow, na Escócia.

Citando estatísticas da Agência Internacional de Energia Renovável, o Adhere observou que, entre 2009 e 2018, a China aumentou na África a capacidade solar de 739 para 5.500 megawatts; e durante o mesmo período, as instalações de energia eólica também tiveram um grande salto, passando de 108 para 6.100 megawatts.

Ele disse que uma usina solar de 50 megawatts construída pela China, localizada no condado oriental de Garissa, no Quênia, aumentou a participação de energia renovável na rede nacional para 93%.

Adhere enfatizou que são necessárias as ações concretas para possibilitar um futuro de clima resiliente à humanidade.

Ele disse que as ações progressivas da China à frente da COP26, incluindo o lançamento de um fundo para promover a conservação da biodiversidade e a promessa de interromper o financiamento de usinas de carvão no exterior, revitalizarão a resposta climática no hemisfério sul.

Esta foto de arquivo, tirada em 7 de março de 2019, mostra girafas caminhando em uma pastagem ao fundo do Monte Kilimanjaro no Parque Nacional Amboseli, no Quênia. (Xinhua / Xie Han)

Adhere observou que o esforço na área climática da China estimulou as principais economias a assumirem compromissos tangíveis na COP26 para ajudar os países em desenvolvimento a enfrentar as dificuldades relacionadas ao aquecimento global.

De acordo com o Adhere, o próximo Fórum de Cúpula de Cooperação China-África em Dakar do Senegal, vai oferecer uma plataforma para explorar maneiras inovadoras, a fim que os parceiros de longo prazo possam revigorar a luta contra as mudanças climáticas. Fim

Leia também:

Shanghai foca na construção de centro de transporte internacional

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Brilhante comércio de cerejas entre a China e o Chile

Um total de 356.000 toneladas de cerejas foram exportadas do Chile durante a temporada 2021-2022, com 88% do total indo para a China, de acordo com a iQonsulting, uma empresa de consultoria, com sede em Santiago, capital do Chile.

Empresa chinesa construirá parque de ciências agrícolas em Paracatu

A Prefeitura de Paracatu, no estado brasileiro de Minas Gerais, assinou um acordo com uma empresa chinesa para abrigar um parque de ciências agrícolas, visando construir o maior centro sul-americano de pesquisa e desenvolvimento de sementes de soja e milho e da cadeia de suprimentos.

FMI Eleva pesos de renminbi e dólar na cesta de SDR

O Fundo Monetário Internacional anunciou no sábado um aumento no peso do renminbi chinês e do dólar americano na cesta de Direitos Especiais de Saque (SDR) após concluir a revisão quinquenal.

Últimas Notícias

TSE autoriza ‘vaquinha virtual’ para financiar candidaturas

Eleitores agora podem contribuir com os seus candidatos.

Botijão de gás poderia custar R$ 60

Segundo Fernando Siqueira, com média de R$ 114, aproximadamente, o botijão chega a custar até R$ 160.

IGP-10 varia 0,10% em maio

Queda verificada em abril e maio nos preços de grandes commodities agrícolas e minerais contribuiu para queda da inflação ao produtor.

Previdência privada é pouco usada; 92% dependem de recursos do INSS

Mais da metade dos brasileiros gostaria de parar de trabalhar com 60 anos, mas só 28% acham que vão conseguir.

Brilhante comércio de cerejas entre a China e o Chile

Um total de 356.000 toneladas de cerejas foram exportadas do Chile durante a temporada 2021-2022, com 88% do total indo para a China, de acordo com a iQonsulting, uma empresa de consultoria, com sede em Santiago, capital do Chile.