China otimiza políticas para desenvolvimento saudável do setor imobiliário

63
Área central de Changsha, na Província de Hunan, no centro da China, em 7 de junho de 2023. (Xinhua/Chen Sihan)
Xinhua - Silk Road

Beijing, 3 out (Xinhua) — A China tem implementado ativamente políticas para atender ao mercado de vendas residenciais e impulsionar o desenvolvimento saudável do setor imobiliário, incluindo políticas para aliviar as restrições sobre a identificação de compradores da primeira moradia, reduzir as taxas de empréstimos existentes para a primeira moradia e estender os incentivos fiscais.

Ocorreram grandes mudanças na relação entre oferta e demanda no mercado imobiliário da China, de acordo com uma reunião de alto nível realizada no final de julho, que solicitou o ajuste e a melhoria oportuna das políticas no setor imobiliário.

Os analistas afirmam que os sinais positivos da importante reunião aumentaram a confiança no mercado imobiliário e que, desde então, o conjunto de ferramentas de políticas do país tem sido utilizado para atender às demandas essenciais de moradia dos residentes e suas demandas por moradias melhores.

No fim de agosto, o Ministério da Habitação e do Desenvolvimento Urbano-Rural propôs uma opção de política para os governos locais que as famílias que não possuem uma casa própria em uma determinada localidade podem ser consideradas como compradores da primeira moradia nessa localidade ao solicitar hipoteca em banco.

Espaço Publicitáriocnseg

Anteriormente, um comprador de imóvel residencial seria considerado um comprador de segunda residência se tivesse um registro de uso de empréstimo hipotecário ou de propriedade de imóvel anterior. Para os compradores de segunda residência, são aplicados índices mais altos de entrada e taxas de empréstimos mais altas em comparação com os compradores de primeira residência.

O ajuste proposto de critérios foi adotado por muitas cidades na semana seguinte, incluindo as quatro cidades de primeira linha de Beijing, Shanghai, Guangzhou e Shenzhen, onde o apoio da política começou a resultar em negociações mais rápidas.

As exigências de pagamento de entrada mais baixas estimularam as transações, de acordo com Guan Chong, gerente-geral regional da China Jinmao para o leste da China. Uma das propriedades de sua empresa registrou um aumento de 150% a 200% em visita diária e volume de transações no fim de semana após a entrada em vigor do ajuste.

Em setembro, as vendas totais das 100 maiores incorporadoras imobiliárias do país aumentaram 24,8% em relação ao mês anterior, de acordo com um relatório divulgado pela instituição de pesquisa imobiliária China Index Academy.

Os incentivos da política podem estimular as demandas dos passageiros que cruzam as cidades ou aqueles que buscam melhorar suas condições de vida, promovendo o ciclo virtuoso do setor imobiliário, disse Li Yujia, pesquisador-chefe do Centro de Pesquisa sobre Políticas Habitacionais de Guangdong.

Além de flexibilizar as regras de hipoteca, a China também anunciou que reduzirá as taxas de juros das hipotecas existentes para compras da primeira moradia própria.

De acordo com os analistas, essa redução das taxas de hipoteca beneficiará cerca de 40 milhões de mutuários. No fim de junho, os empréstimos imobiliários individuais pendentes na China totalizavam 38,6 trilhões de yuans (US$ 5,38 trilhões).

A redução das despesas com juros para os mutuários é propícia para aliviar a carga sobre os compradores de imóveis e elevar sua disposição para o consumo, disse Chen Wenjing, diretor de pesquisa da Academia Chinesa de Índices, observando que a onda de pagamento antecipado das hipotecas será aliviada para os bancos comerciais.

O apoio fiscal ao mercado imobiliário também foi intensificado. O Ministério das Finanças e dois outros órgãos governamentais anunciaram no fim de agosto que os incentivos fiscais para compras residenciais, introduzidos pela primeira vez em 2022 e originalmente programados para expirar no fim deste ano, seriam estendidos até o fim de 2025.

De 1º de janeiro de 2024 a 31 de dezembro de 2025, o contribuinte que comprar uma casa nova no prazo de um ano após a venda de sua casa antiga na mesma cidade se beneficiará de uma restituição do imposto de renda pessoal sobre a venda, de acordo com o Ministério das Finanças.

He Daixin, pesquisador da Academia Chinesa de Ciências Sociais, disse que a extensão da política de incentivo ajudará os residentes a melhorarem suas condições de moradia, além de estabilizar as expectativas e aumentar a confiança.

Com a entrada em vigor das políticas de apoio, o sentimento do comprador de imóveis residenciais melhorará, mas os mercados imobiliários em diferentes cidades terão desempenhos diferentes, apontou Chen.

Song Hongwei, diretor de pesquisa da empresa de consultoria imobiliária Tospur, disse que as cidades de primeira linha serão as primeiras a experimentar os ajustes nas políticas e a observar aumentos nas vendas de moradias atuais e nas compras de moradias novas.

A tendência se espalhará gradualmente para as cidades menores, que também verão mercados imobiliários mais ativos, de acordo com Song.

Ainda são necessárias várias medidas, tanto do lado da oferta quanto da demanda, para reforçar o desenvolvimento estável e sólido do mercado imobiliário, disse Li, observando que as incorporadoras devem ser incentivadas a oferecerem preços razoáveis, e devem ser feitos esforços para aumentar a renda dos residentes e melhorar o emprego. Fim

Leia também:

Relação comercial entre China e Nova Zelândia continua forte, diz ministro
Cinturão e Rota
Relação comercial entre China e Nova Zelândia continua forte, diz ministro

Wellington, 22 abril (Xinhua) — A China continua sendo uma forte oportunidade comercial para os exportadores de kiwi, já que as empresas e os consumidores chineses continuam valorizando os produtos de alta qualidade da Nova Zelândia, disse o ministro do Comércio e Agricultura da Nova Zelândia, Todd McClay. “A China é o nosso maior mercado […]

Yunnan, no sudoeste da China, vê boom turístico no 1º trimestre de 2024
Cinturão e Rota
Yunnan, no sudoeste da China, vê boom turístico no 1º trimestre de 2024

Kunming, 22 abril (Xinhua) — A Província de Yunnan, no sudoeste da China, recebeu 300 milhões de turistas nacionais e estrangeiros no primeiro trimestre de 2024, um aumento de 5,3% em relação ao ano anterior, de acordo com o departamento de cultura e turismo. A receita turística da província totalizou mais de 391,7 bilhões de […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui