China quer fazer mais investimentos ecológicos

A China é ainda o maior emissor de poluentes do mundo, mas tem comunicado que a ambição de atingir a neutralidade de carbono até 2060. Investimentos ecológicos estão no radar, “à medida que o país muda gradualmente em direção a uma fase mais institucionalizada de descarbonização”, de acordo com uma pesquisa do Morgan Stanley.
“Esperamos que os formuladores de políticas aumentem o apoio aos investimentos ecológicos a partir de 2022, como renováveis, rede inteligente, equipamentos de armazenamento de energia e atualizações de equipamentos de manufatura”, disse Robin Xing, economista-chefe do Morgan Stanley na China, no relatório de coautoria.
O ímpeto ecológico deve injetar um novo impulso na economia chinesa. O banco de investimento prevê uma recuperação em infraestrutura impulsionada pelo investimento verde e espera que o crescimento de investimento em infraestrutura se recupere para 4% no próximo ano.
A demanda por investimentos em manufatura também deve aumentar à medida que os fabricantes atualizam seus equipamentos para melhorar a eficiência energética, de acordo com o relatório. As projeções surgiram em meio aos esforços contínuos da China para descarbonizar para lutar por céus azuis e mitigar o impacto das mudanças climáticas.
Em outubro, o país revelou uma diretriz abrangente para atingir suas metas de pico e neutralidade de carbono, assim como um plano de ação para atingir o pico de emissões de dióxido de carbono antes de 2030. A diretriz e o plano de ação constituem o projeto de política de nível superior para a descarbonização e especificam as metas e as medidas para as próximas décadas.

Empréstimo

Segundo a agência Xinhua, o Banco Popular da China, o banco central do país, também lançou uma nova ferramenta de empréstimo para redução de carbono no início deste mês, que visa fornecer empréstimos de baixo custo para instituições financeiras, a fim de fortalecer o apoio para a redução das emissões de carbono.
A diretriz de alto nível sobre o pico de carbono pede a alavancagem de uma combinação de políticas fiscais, financiamento ecológico e precificação de carbono, a fim de promover o desenvolvimento de indústrias verdes, segundo o relatório.
Espera-se que mais apoio político seja oferecido no próximo ano para as indústrias verdes em corte de impostos e taxas e na alocação mais ampla de cotas de títulos especiais do governo local para investimentos verdes, de acordo com o texto.

Leia também:

China avança em energia renovável

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

China: Controle de infrações no mercado de capitais do país

O primeiro-ministro da China, Li Keqiang, assinou um decreto do Conselho de Estado divulgando um regulamento sobre novos métodos de aplicação da lei para...

Comércio global deve movimentar US$ 28 trilhões em 2021

Comércio de bens bateu recorde no 3º trimestre de 2021, chegando a US$ 5,6 trilhões.

Fome sobe 30% na AL e Caribe e atinge 59,7 milhões de pessoas

E a insegurança alimentar afeta 92,8 milhões .

Últimas Notícias

Caixa e BB são destaques em governança mas Guedes quer privatizar

Estatais converteram prejuízo de R$ 35 bi em 2015 para superávit de R$ 135 mi em 2021.

O leilão beneficente da Jaguar Parade

Fundos se destinam à conservação de onças-pintadas em seus habitats.

Venda de imóveis novos em SP mantém estabilidade em outubro

Em valores monetários, houve queda do Valor Global de Vendas em relação a outubro de 2020.

Nova energia, fabricação de equipamentos de tecnologia e PMEs em 2022

O mercado de ações A-Share da China parece positivo para o próximo ano. Novas energias, fabricação de equipamentos de alta tecnologia e pequenas e médias empresas (PMEs) são áreas com grande potencial de investimento, de acordo com uma pesquisa recente realizada com 109 especialistas de indústrias na gestão de ativos.

Mais de 100 milhões de macarrão “fedorento” chinês entregues em 2021

A Região Autônoma de Guangxi da Etnia Zhuang, no sul da China, entregou este ano mais de 100 milhões de pacotes de sua especialidade de macarrão de arroz, conhecida como "Luosifen" em chinês.