China reduz juros em empréstimo de médio prazo

O banco central da China reduziu nesta segunda-feira (17) as taxas de juros de seus empréstimos de médio prazo (MLF) e repôs reversos em 10 pontos-base, em meio aos esforços do país para reduzir o custo dos empréstimos e sustentar ainda mais o crescimento econômico. O Banco Popular da China (PBOC) reduziu a taxa de 700 bilhões de iuanes (cerca de US$ 110 bilhões ) de MLF de um ano para instituições financeiras para 2,85%, em comparação com 2,95% na operação anterior.
O PBOC também adicionou 100 bilhões de iuanes de fundos ao mercado por meio de recompras reversas de sete dias a uma taxa de juros de 2,1 por cento na segunda-feira, abaixo dos 2,2 por cento.
Segundo a Xinhua, com 500 bilhões de iuanes em MLF e 10 bilhões de yuans em recompras reversas com vencimento no mesmo dia, os movimentos mencionados acima levarão a uma injeção de liquidez de 290 bilhões de iuanes no mercado. A ferramenta MLF foi introduzida em 2014 para ajudar os bancos comerciais e de políticas a manter a liquidez, permitindo que eles tomassem empréstimos do banco central usando títulos como garantia.
Uma recompra reversa é um processo no qual o banco central compra títulos de bancos comerciais por meio de licitação, com um acordo para vendê-los de volta no futuro. A China continuará a implementar políticas monetárias prudentes que sejam flexíveis e apropriadas, com a liquidez mantida em um nível razoável e amplo, disse uma conferência de trabalho econômico realizada em dezembro passado.

Leia também:

China: comércio exterior ultrapassa US$ 6 tri

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Itália é o segundo país europeu que mais vende alimentos ao Brasil

Portugal lidera ranking; Brasil também tem nichos de mercado para alimentos da Jordânia.

Empresas chinesas pedem proteção da propriedade intelectual

49 companhias chinesas apresentaram 108 pedidos internacionais de desenhos industriais em 5 de maio

Economia dos Estados Unidos caminha para pouso forçado

Analista acredita que no final do ano Fed pode dar guinada para sustentar Bolsas.

Últimas Notícias

Itália é o segundo país europeu que mais vende alimentos ao Brasil

Portugal lidera ranking; Brasil também tem nichos de mercado para alimentos da Jordânia.

Cana: safra começa com qualidade e produtividade inferiores à anterior

Indicadores de qualidade e produtividade em abril são negativos, mas clima pode contribuir para a recuperação.

Ford anuncia venda da fábrica de Taubaté

No ano passado, montadora anunciou o fim de suas atividades no país.

Títulos chineses detidos por instituições estrangeiras diminuem

Instituições estrangeiras diminuíram suas participações em títulos interbancários chineses, segundo um relatório divulgado pela sede do Banco Popular da China em Shanghai.

Operações financeiras de Shanghai estão estáveis apesar da epidemia

O centro financeiro da China, Shanghai, conseguiu manter suas operações financeiras estáveis apesar do recente ressurgimento da COVID-19.