China se opõe às ameaças dos EUA contra empresas de tecnologia

Em nota, porta-voz da Chancelaria chinesa disse que ameaça americana não tem 'nenhuma evidência'.

Internacional / 16:08 - 4 de ago de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A China se opôs firmemente nesta segunda-feira às ameaças dos EUA contra empresas tecnológicas chinesas relevantes, instando o lado norte-americano a parar de politizar as questões econômicas e de explorar abusivamente o conceito de segurança nacional.

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, afirmou que o governo Trump pretendia adotar medidas sobre o que considerava ser uma ampla gama de riscos de segurança nacional apresentados por algumas empresas de software chinesas.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Wang Wenbin, disse na segunda-feira que os EUA ameaçaram as empresas relevantes com base no pressuposto de culpabilidade e sem nenhuma evidência.

Tais medidas são contrárias aos princípios de uma economia de livre comércio e violam os princípios da OMC de abertura, transparência e não discriminação. Também revelaram a hipocrisia dos EUA na chamada "defesa da justiça e das liberdades" e seus típicos padrões duplos, observou Wang em uma coletiva de imprensa.

"Exortamos a todos os que estão nos EUA a ouvirem a voz da comunidade internacional, proporcionar um ambiente aberto, equitativo, justo e não discriminatório para as entidades de mercado de outros países investirem e operarem nos EUA, parem de politizar as questões comerciais e econômicas, e deixem de promover a discriminação e as políticas de exclusão através do abusivo conceito de segurança nacional", concluiu Wang.

 

Agência Xinhua

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor