China segue a todo vapor na construção de estações 5G

Enquanto no Brasil a tecnologia 5G ainda é um sonho mais distante, a China faz avanços na construção da maior rede móvel (quinta geração de rede da internet) do mundo, informou o Ministério da Indústria e Informatização do país esta semana. Em entrevista recente à imprensa, o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Leonardo de Morais, defendeu que a internet 5G esteja disponível nas capitais e no Distrito Federal dentro do prazo de um ano. Ou seja, em 2022.

São várias as vantagens apontadas com a tecnologia 5G. A primeira é o aumento da velocidade das conexões que irá melhorar a navegação de dispositivos móveis, como tablets e celulares. o 5G também pode contribuir para o desenvolvimento da Internet das Coisas. Com isso, os dispositivos poderão estabelecer uma comunicação entre si. Veículos autônomos e cidades inteligentes compõem o arsenal de possibilidades que abre com a tecnologia.

A realidade da China difere do que ainda acontece no mundo em relação a essa tecnologia. O país tinha construído 792 mil estações-base 5G até o final de fevereiro deste ano, e o número de terminais móveis conectados à rede atingiu 260 milhões, informou Liu Liehong, vice-ministro da Indústria e Informatização, em uma entrevista coletiva.

Conforme a agência Xinhua, o Ministério da Indústria e Informatização da China calculou que as remessas de telefones móveis 5G representarão 80% do total de remessas no segundo semestre deste ano.

Ocupando a primeira posição em termos de infraestrutura 5G, a China tinha, no fim de junho de 2020, cerca de 410 mil estações 5G instaladas e funcionando.

O país asiático tem como meta construir mais de 600 mil estações-base 5G em 2021. O ministério prometeu esforços para promover a construção e aplicação de redes 5G de uma maneira ordenada, acelerar a cobertura 5G nas principais cidades e avançar a co-construção e compartilhamento.

Caso brasileiro

Já no Brasil, a implantação da rede 5G aguarda o leilão de frequências talvez para o segundo semestre de 2021. Mas tudo ainda é incerto. O prazo definido pela Anatel é que a nova estrutura seja instalada até o final de 2022, algo dito impossível pelos representantes das operadoras, cujas equipes técnicas estimam prazo mais extenso, de ao menos 5 anos.

O Conselho Diretor da Anatel deu aval para que o leilão do 5G ocorra ainda no primeiro semestre. Em reunião virtual realizada em 25 de março deste ano, a agência reguladora estabeleceu que o certame deve acontecer até julho.

Participarão do leilão as companhias de telecomunicações como Claro, a Vivo e a Tim, porque a Oi móvel foi vendida para essas 3 operadoras. Depois que elas ganham o leilão é que elas vão adquirir os equipamentos. O caminho é longo.

Leia também

Economia da China expande 18,3% no trimestre

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Xangai quer estimular mais o consumo

Será a primeira emissão de cupons eletrônicos para estimular o consumo

Aumento em energia puxou inflação na Zona do Euro

Avançou em julho para 8,9% contra 8,6% de junho

Roubini: EUA caminham para recessão longa e severa

Economista espera juros ‘bem acima de 4%’.

Últimas Notícias

Fux suspende decisão que tornava Eduardo Cunha elegível

Com isso, ex-presidente da Câmara não poderá se candidatar.

Em um ano, Brasil perdeu 1,2 milhão de empresas

Entre abril de 2021 e o de 2022, Ltdas. e S/As foram as que mais fecharam; MEIs, apesar da proliferação, caíram 7,2% no período.

Rio restabelece parte dos serviços hackeados

Sistemas fazendários continuam fora do ar.

Preço dos medicamentos recuou 0,74% em julho

Após avançar 1,32% em junho, queda mensal observada foi inferior à variação do IPCA/IBGE.

Vestuário e calçados têm desempenho positivo entre redes de moda

Dia dos Pais impulsionou desempenho do setor; mercado de roupas usadas pode ultrapassar varejo de moda em 2024.