Chinesa na frente

   
          A empresa chinesa ZTE, com 2.826 depósitos de patentes publicados, ultrapassou a japonesa Panasonic, com 2.463 depósitos, e se tornou a empresa com o maior número de pedidos feitos em 2011. Em terceiro lugar aparece a também chinesa Huawei Technologies (1.831 depósitos), em quarto a japonesa Sharp (1.755 depósitos) e em quinto a primeira não asiática, a alemã Bosch, com 1.518 pedidos de patentes publicados.

Alta patente
De 2007 a 2011, o volume de patentes depositadas pelo Brasil por meio do Tratado de Cooperação em Patentes (PCT na sigla em inglês) cresceu 43%, enquanto o crescimento mundial foi de apenas 13,7%. No ano passado, o aumento do volume de patentes brasileiras foi de 17,2%, para 572 pedidos. Entre 2009 e 2010, houve queda de 0,8%. Os 144 países que fazem parte do PCT solicitaram o registro de 181.900 patentes no ano passado, o que significou uma elevação de 10,7% ante 2010.

Sem sair do lugar
Apesar da melhora, o Brasil não saiu da 24ª colocação no ranking de depositantes de patentes, longe da China (4º lugar) e atrás também dos demais Brics, Índia (17º lugar) e Rússia (21º lugar). E a distância para os países mais desenvolvidos ou que mais crescem é digna de uma maratona. Os Estados Unidos, primeiro em patentes do PCT, fecharam 2011 com 48.596 pedidos, seguido por Japão (38.888), Alemanha (18.568), China (16.406) e Coréia do Sul (10.447).

Faxina
Para que a renúncia de Ricardo Teixeira à presidência da CBF não seja o único legado da Copa 2014 é indispensável que a presidente Dilma e o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, usem sua inegável força e influência junto à confederação, evitando que a saída de Teixeira se constitua em mera troca da guarda, sem que sejam mudadas as estruturas que asfixiam o futebol brasileiro. Em tempo: em todo o mundo, o futebol gira algo em torno de US$ 240 bilhões por ano, além de ser uma das principais fontes constitutivas da identidade nacional.

Senhor da razão
Quando, em julho do ano passado, o jornalista Andrew Jenning, da BBC, fez, em entrevista à ESPN Brasil, pesadas denúncias de corrupção contra o então presidente da CBF, Ricardo Teixeira, a esmagadora maioria do restante da imprensa tupiniquim fez um silêncio ensurdecedor sobre o tema. Pouco menos de um ano depois, os mesmos órgãos de comunicação que se calaram sobre o assunto assumem ares de arautos da moralidade ao tratarem da renúncia de Teixeira da presidência da CBF.

Leitura
Coordenadores de 70 comitês do Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler), ligado à Biblioteca Nacional, estiveram no Rio, entre os dias 5 e 8, para fechar as últimas etapas do projeto Formação de Mediadores de Leitura, aplicado em todas as regiões do Brasil. Os coordenadores participaram de um curso para elaborar projetos e captação de recursos na área da leitura; e outro voltado para a elaboração de relatórios de atividades.

Comércio
A Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) já decidiu data e local para a edição de 2012 do tradicional Encontro Nacional de Exportadores (Enaex): será no Pier Mauá, na Zona Portuária do Rio, mesmo local da última edição. O Enaex acontecerá entre os dias 22 e 23 de setembro e terá como tema “A sustentabilidade do Comércio Exterior”.

Tira-dúvidas
Nesta terça, o Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis do Rio (Sescon-RJ) irá promover um aulão para esclarecer as dúvidas sobre o Controle Fiscal Contábil de Transição (FCont). O evento, que será ministrado pelo especialista em Sped Contábil e FCont Márcio Tonelli, abordará ainda as perspectivas dessa escrituração e do e-Lalur. Os interessados em participar podem se inscrever pelo site www.sescon-rj.org.br.

Blecaute
Chamado de Costinha pela presidente Dilma, o presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, estaria frente a denúncias – que teriam sido encaminhadas, formalmente, há algum tempo, à ouvidoria da estatal – sobre seis distribuidoras que integram a holding.
     
     

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorQuem vai pagar?
Próximo artigoFrente da indústria

Artigos Relacionados

Os EUA lavam mais branco

Lavagem de dinheiro através de imóveis tem poucos obstáculos na pátria de Tio Sam.

Apagão já foi tragédia, volta como farsa

Modelo de mercantilização da energia é o culpado.

Volume de reservatórios pode cair a 6% em novembro

Quadro crítico poderá ser alcançado em 2 meses, mesmo com tarifaço.

Últimas Notícias

Condomínios do Rio podem exigir comprovante de vacinação

É recomendado que tal exigência seja aprovada em assembleia por maioria dos presentes

Agronegócio brasileiro ainda está amadurecendo tecnologicamente

Por Regina Teixeira – Especial para o Monitor Mercantil

Livro traz bastidores de aquisições de startups por grandes empresas

Livro: 'Saída de Mestre: estratégias para compra e venda de uma startup'

Plano de assinatura garante um smartphone novo todo ano

A parceria une o propósito da Samsung de trazer inovação a cada lançamento - desta vez oferecendo sua terceira geração de smartphones - e...

WhatsApp testa funcionalidade de indicação de negócios em SP

Por enquanto só São Paulo terá esse recurso