Chá de cadeira

Apesar de dever US$ 1,2 bilhão ao governo brasileiro, a AES não perde a pose. A ministra das Minas e Energia, Dilma Roussef, na viagem que fez aos Estados Unidos, levou quase cinco dias para conseguir ser recebida pelo presidente da matriz norte-americana. Até a Embaixada nos EUA teve que ser acionada para conseguir marcar uma reunião.

Os eleitos
Os primeiros seis meses de governo Lula não foram tão ruins assim como reclamam os apressados. Pelo menos, para o setor financeiro. No primeiro semestre, os 17 maiores bancos que operam no Brasil comemoram o maior lucro líquido da sua história num primeiro semestre: R$ 6,2 bilhões. E, como explica didaticamente o presidente Lula, se “o país não tem dinheiro suficiente para crescer com a rapidez desejada”, é preciso garantir o pagamento dos mais bem aquinhoados.
Pensando nisso, o ministro Antônio Palocci produziu nesse período um superávit primário (economia para pagar juros) de R$ 40,009 bilhões, o maior desde o início da série histórica do Banco Central (BC), em 1991. Esse valor foi R$ 5,5 bilhões maior do que exigia o acordo com o FMI.
No mesmo período do ano passado, o superávit do tucanato ficara em R$ 25,1 bilhões. Ou seja, o PT que costumava se referir ao presidente FH como “mãe dos banqueiros”, garantiu uma economia 59,3% maior para pagamento de juros do que seu antecessor.

Garantia
O Hospital Estadual Sumaré (HES) é o primeiro hospital público do país a conseguir a conquista do nível 2 da Certificação de Acreditação Hospitalar (no final do ano passado já havia conquistado a certificação em nível 1). O nível 2, também conhecido como Acreditação Plena, assegura aos usuários a excelência na qualidade da assistência à saúde. O HES é mantido pela Secretaria de Estado da Saúde e administrado pela Unicamp.

Professor Pardal
Será assinado hoje, no BNDES, o protocolo de intenções para implantação do Criatec (Programa de Criação de Tecnologia), destinado ao surgimento de novas micros e pequenas empresas de base tecnológica. O objetivo é tirar da prateleira inventos e inovações que mofam em institutos de pesquisas, universidades e mesmo com pesquisadores e inventores particulares. O governo entra com o investimento de risco.

Todos juntos
Lula vai fazer do anúncio oficial do novo programa de complementação de renda uma festa, com direito à presença de todos os governadores. Para isso adiou o lançamento, previsto para hoje, para o próximo dia 30, depois de retornar de viagem ao exterior. O Planalto esclarece que o adiamento da cerimônia de lançamento não implicará atraso no início da implementação do programa, previsto para outubro.

Natural e lucrativo
Os produtos orgânicos são os alimentos que têm a maior taxa de crescimento no mundo. No Brasil esse aumento bate 50% ao ano, movimentando R$ 250 milhões. De acordo com dados da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio de Janeiro (Pesagro), nos últimos cinco anos o número de produtores certificados no estado pulou de 17 para 170. De olho no potencial dos alimentos produzidos somente com insumos naturais, a Secretaria de Agricultura lançará o Programa Cultivar Orgânico, similar ao Frutificar, com juros de 2% ao ano e assistência técnica. O lançamento será nos dias 25 e 26 deste mês, durante a Biofach, a maior feira de produtos naturais e orgânicos do mundo que, pela primeira vez, será montada fora de Nuremberg, na Alemanha.

Remédio
O ministro do Planejamento, Guido Mantega, atacou a herança de FH e disse que o neoliberalismo deixou o país à beira da moratória. Para combater a crise, o governo petista foi obrigado a lançar mão de remédios amargos, exatamente as mesmas armas utilizadas pela equipe anterior. Donde se descobre a nova especialidade do médico Palocci: homeopata, que usa do próprio veneno para combater a doença. Só que, talvez pouco experiente na área, usou veneno em dose cavalar e quase matou o paciente. Espera-se que daqui para frente venha a fase da recuperação, com crescimento rápido do PIB – e não em doses homeopáticas.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDogma
Próximo artigoUnivitelinos

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...