Chuva causa transtornos e deixa o Rio em estado de atenção

O Rio de Janeiro entrou em estágio de atenção às 8h15 de hoje. Desde ontem à noite, a cidade enfrenta chuvas e ventos fortes em várias regiões. Em muitos bairros há bolsões d'água nas pistas, como na Barra da Tijuca, na Zona Oeste, e na Praça da Bandeira, na Zona Norte. Na Avenida Brasil, uma das principais vias da cidade, os motoristas também enfrentam problemas com a quantidade de água nas pistas.

Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio (COR), por causa do acumulado de 24h foram acionadas sirenes na favela da Rocinha, na Zona Sul. O Alerta Rio informou que, neste momento, o núcleo de chuva permanece estacionário no Maciço da Tijuca, mas começa a perder intensidade gradualmente.

A previsão de chuva moderada a forte, com ventos moderados a fortes, continua ao longo desta terça-feira. De acordo com a Marinha, continua a ressaca no litoral do Rio e as ondas podem chegar a três metros. Por isso, a recomendação é não entrar no mar.

De acordo com o Centro de Operações, o estágio de atenção é o terceiro nível em uma escala de cinco e significa que uma ou mais ocorrências já impactam a cidade, afetando a rotina de parte da população.

A prefeitura pede que a população evite o deslocamento entre a tarde de hoje e madrugada de amanhã, não vá pelas regiões mais atingidas pela chuva, evite áreas sujeitas a alagamentos e/ou deslizamentos e não force a passagem de veículos em áreas aparentemente alagadas. Em casos de ventos fortes e/ou chuvas com descargas elétricas, não se deve aproximar de árvores ou áreas descampadas. Nos pontos de alagamento, o melhor é não ter contato direto com postes ou equipamentos que possam estar energizados. O contato com a água de alagamentos também deve ser evitado porque a água pode estar contaminada e oferecer riscos à saúde.

Nesta terça-feira, às 10h31, chega a primavera no Hemisfério Sul. A estação das flores termina no dia 21 de dezembro, às 7h02, quando dará lugar ao verão. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), climatologicamente este é um período de transição entre as estações seca e chuvosa no setor central do Brasil. A estação também marca o início da convergência de umidade vinda da Amazônia, que define a qualidade do período chuvoso sobre as regiões Centro-Oeste, Sudeste e parte Centro/Sul da Região Norte.

Os meteorologistas explicam que, durante a estação, os volumes acumulados de precipitação no norte da Região Nordeste costumam ser inferiores a 100 mm, principalmente no norte do Piauí e noroeste do Ceará. As temperaturas são mais elevadas em grande parte da Região Norte, interior da Região Nordeste e em alguns pontos da parte central do Brasil.

Os primeiros episódios da Zona de Convergência do Atlântico Sul (Zcas) podem ocorrer durante a primavera, com chuvas no Sudeste, Centro-Oeste, Acre e Rondônia. Já na Região Sul, podem ocorrer episódios de Complexos Convectivos de Mesoescala (CCM), que estão associados a chuvas fortes, rajadas de vento, descargas atmosféricas e eventual granizo. Com o gradativo aumento das chuvas em grande parte do país nesta época do ano, tem-se o início do plantio das principais culturas de verão.

 

Com informações da Agência Brasil, citando o Inmet

Artigos Relacionados

Deputados do Rio debatem desenvolvimento da indústria naval

Deputado Waldeck Carneiro: 'a indústria naval possui várias áreas que precisam de incentivo do setor público'.

Morre Jorge Picciani

Aos 66 anos, ex-presidente da Assembleia do Rio tratava de um câncer em São Paulo.

CoronaVac: sem dose para segunda aplicação, Rio antecipa calendário

Primeira dose para grupos prioritários terá início hoje; prefeitura anunciou o calendário de vacinação até outubro deste ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Hospitais temem onda de multas por não se adequar à LGPD

Estabelecimentos de pequeno e médio porte alegam não ter recursos para cumprir a lei.

Prisão de Pazuello na CPI é improvável, afirma jurista

Liminar concedida por Lewandowski será submetida à apreciação da Corte.

Turismo caiu 17,6% em março

No primeiro mês pandêmico no Brasil, março de 2020, setor viu receitas caírem 22,3%; ante mesmo mês de 2019, retração é de mais de um terço.

Custo de produção de suínos passa dos R$ 7 por quilo vivo

Em abril, os custos para produzir suínos aumentaram 2,33% ante março, fazendo indicador do setor medir a variação nos custos de produção.

Europa opera em comportamento negativo nesta manhã

A Bolsa de Frankfurt cedia 0,80% e Londres operava em queda de 0,66%.