CIIE contribui para laços comerciais com a China, diz instituto russo

A feira oferece oportunidades únicas para exportadores de todos os países

Foto tirada em 22 de outubro de 2021 mostra instalações decorativas perto do Centro Nacional de Exibição e Convenção (Shanghai), a principal sede para a 4ª Exposição Internacional de Importação da China, em Shanghai, leste da China. (Xinhua/Fang Zhe)

Xinhua - Silk Road

Moscou, 1º nov (Xinhua) — A Exposição Internacional de Importação da China (CIIE, sigla em inglês) oferece novas oportunidades para os países que desejam desenvolver e manter relações comerciais de longo prazo com a nação asiática, disse a CEO do Centro de Exportação da Rússia (REC, sigla em inglês), Veronika Nikishina, nesta segunda-feira.

“A CIIE é uma iniciativa muito responsável, séria e objetiva que visa abrir o mercado da China”, apontou ela durante uma conferência online antes da 4ª CIIE, a ser realizada na cidade de Shanghai, de 5 a 10 de novembro.

“Isso cria um ambiente muito favorável que permite aos exportadores estrangeiros fazerem negócios na China”, explicou.

“A feira oferece oportunidades únicas para exportadores de todos os países, incluindo os russos, mostrarem seus produtos”, acrescentou Nikishina.

O REC tem feito o possível ao longo dos últimos anos para garantir a mais ampla presença possível de empresas russas na CIIE, exaltou a CEO.

Segundo ela, 34 companhias russas participarão da exposição deste ano em um formato híbrido online-offline.

“A China sempre foi e continua sendo um mercado muito promissor e desejado, e os exportadores russos querem uma participação estável”, salientou Nikishina.

O REC é um instituto de desenvolvimento estatal estabelecido pelo governo russo para impulsionar as exportações de não commodities.

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Brilhante comércio de cerejas entre a China e o Chile

Um total de 356.000 toneladas de cerejas foram exportadas do Chile durante a temporada 2021-2022, com 88% do total indo para a China, de acordo com a iQonsulting, uma empresa de consultoria, com sede em Santiago, capital do Chile.

Empresa chinesa construirá parque de ciências agrícolas em Paracatu

A Prefeitura de Paracatu, no estado brasileiro de Minas Gerais, assinou um acordo com uma empresa chinesa para abrigar um parque de ciências agrícolas, visando construir o maior centro sul-americano de pesquisa e desenvolvimento de sementes de soja e milho e da cadeia de suprimentos.

FMI Eleva pesos de renminbi e dólar na cesta de SDR

O Fundo Monetário Internacional anunciou no sábado um aumento no peso do renminbi chinês e do dólar americano na cesta de Direitos Especiais de Saque (SDR) após concluir a revisão quinquenal.

Últimas Notícias

IGP-10 varia 0,10% em maio

Queda verificada em abril e maio nos preços de grandes commodities agrícolas e minerais contribuiu para queda da inflação ao produtor.

Previdência privada é pouco usada; 92% dependem de recursos do INSS

Mais da metade dos brasileiros gostaria de parar de trabalhar com 60 anos, mas só 28% acham que vão conseguir.

Brilhante comércio de cerejas entre a China e o Chile

Um total de 356.000 toneladas de cerejas foram exportadas do Chile durante a temporada 2021-2022, com 88% do total indo para a China, de acordo com a iQonsulting, uma empresa de consultoria, com sede em Santiago, capital do Chile.

Empresa chinesa construirá parque de ciências agrícolas em Paracatu

A Prefeitura de Paracatu, no estado brasileiro de Minas Gerais, assinou um acordo com uma empresa chinesa para abrigar um parque de ciências agrícolas, visando construir o maior centro sul-americano de pesquisa e desenvolvimento de sementes de soja e milho e da cadeia de suprimentos.

Criação de mais um monopólio privado regional

Recurso de petroleiros contra decisão do Cade sobre venda da Reman