Cinto apertado

O ex-controlador do Banco Santos Edemar Cid Ferreira vive hoje do aluguel de imóveis e da ajuda que recebe de cinco amigos. São R$ 200 mil mensais de renda – metade dos amigos, o que mostra que não é só Marcos Valério quem dá demonstrações de amizades financeiras sem esperar nada em troca. Edemar, porém, se queixa do aperto: “Houve uma economia brutal na minha casa”, afirmou, em depoimento à justiça.

Luz na Aneel
A Comissão de Minas e Energia da Assembléia Legislativa do Rio (Alerj) vai solicitar à Aneel que suspenda o próximo reajuste das tarifas de luz, até que sejam esclarecidos os erros apontados pela agência na pesquisa sobre o Índice Aneel de Satisfação do Consumidor (Iasc) que compõe o cálculo do índice de reajuste. O deputado Edmilson Valentim (PCdoB), presidente da comissão, vai acionar também a Comissão de Defesa do Consumidor da Defensoria Pública do Estado para assegurar que os erros de metodologia da pesquisa não venham pesar no bolso do consumidor.
O Iasc de 2004 mostrou que aumenta o descontentamento dos usuários com os serviços prestados pelas distribuidoras em todo o país. A Aneel, porém, alegando erro na metodologia da pesquisa, quer anular o índice de 2004 e utilizar o de 2003, mais favorável às empresas, para corrigir as tarifas.

Não questionado
Apesar dos elogios do mercado financeiro – e por extensão das editorias de economia – a performance do ministro da Fazenda, Antônio Palocci, na sua entrevista-palestra, domingo, não fugiu ao padrão amnésia seletiva de outros próceres petistas em seus depoimentos. A diferença básica é que, enquanto Delúbios, Serenos e que tais recorrem ao auto-revelador “não me lembro”, Palocci optou pelo equivalente “não foi questionado”, ao tentar explicar por que negara ter firmado contratos com a Leão&Leão na sua administração em Ribeirão Preto. A justificativa usada por Palocci embute uma segunda diferença, mais significativa, em relação a seus companheiros de viagem: enquanto estes enfrentam CPIs menos compreensivas do que a audiência de domingo, o ministro contou com a vantagem de “não ser questionado” por jornalistas escalados, mais para ouvi-lo, do que aborrecê-lo com perguntas incômodas, porém, indispensáveis.

0800
Deputados estaduais do Rio fazem blitz, nesta quinta-feira, na Unimed. Segundo o deputado Carlos Minc (PT), a empresa não está respeitando a Lei 4.525/05, que obriga empresas públicas e privadas a oferecer serviço de teleatendimento gratuito para dúvidas, reclamações e sugestões dos consumidores. Os parlamentares estarão acompanhados de agentes do Procon, que podem aplicar multa de até R$ 4 milhões.

Falar ou ser preso
Depois do que declarou aos promotores de São Paulo, Rogério Buratti, ex-homem-forte do ministro Antônio Palocci na Prefeitura de Ribeirão Preto, só tem duas alternativas em seu depoimento à CPI dos Bingos: manter o dito e acrescentar novas revelações ou ver aumentar sua pena por fabricar leviandades com o fito apenas de se safar de uma boa temporada na cadeia. Não existe terceira hipótese.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLeproso
Próximo artigoGangorra

Artigos Relacionados

Os EUA lavam mais branco

Lavagem de dinheiro através de imóveis tem poucos obstáculos na pátria de Tio Sam.

Apagão já foi tragédia, volta como farsa

Modelo de mercantilização da energia é o culpado.

Volume de reservatórios pode cair a 6% em novembro

Quadro crítico poderá ser alcançado em 2 meses, mesmo com tarifaço.

Últimas Notícias

Reforma do IR trará impacto negativo para o caixa das empresas

O projeto de reforma tributária do Imposto de Renda aprovado na Câmara no início de setembro merece atenção especial do setor produtivo. O alerta...

A paz é o caminho

Por Paulo Alonso.

Setor farmacêutico ganha aliado para agilizar contratações

Farmácias e drogarias passaram a integrar o aplicativo Closeer, responsável por conectar empresas e trabalhadores autônomos. Oportunidades de trabalho no segmento devem crescer até...

Taxa de desemprego entre os mais pobres é de 36%

Queda em renda indica aumento na desigualdade durante a pandemia; jovens já são 42% dos empregos temporários no primeiro semestre.