CNJ determina afastamento de ex-juíza da Lava Jato

Gabriela Hardt trabalha atualmente em uma vara recursal da Justiça Federal no PR

286
CNJ (Foto: Rafa Neddermeyer/ABr)
CNJ (Foto: Rafa Neddermeyer/ABr)

O corregedor nacional de Justiça, ministro Luís Felipe Salomão, determinou nesta segunda-feira o afastamento da juíza federal Gabriela Hardt, ex-magistrada da Operação Lava Jato.

Gabriela atuou como substituta do ex-juiz Sergio Moro na 13ª Vara Federal em Curitiba. Atualmente, ela trabalha em uma vara recursal da Justiça Federal no Paraná.

Salomão também decidiu afastar das funções dois desembargadores e um juiz do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região. A decisão atinge os desembargadores Carlos Eduardo Thompson Flores, Loraci Flores de Lima e o juiz Danilo Pereira Júnior.

Os afastamentos foram determinados de forma cautelar e serão analisados na sessão de desta terça-feira do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Espaço Publicitáriocnseg

Nas decisões, o corregedor citou irregularidades cometidas pelos magistrados durante os trabalhos de investigação da Lava Jato.

Agência Brasil

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui