Com aumento de 17,9% em 2023, food service puxa crescimento de franquias

Microfranquias crescem e são a aposta do franchising para 2024; setor gerou mais de 1,7 milhão de postos de trabalho diretos, revela ABF

110
Shopping center (Foto: Valter Campanato/ABr)
Shopping center (Foto: Valter Campanato/ABr)

De acordo com dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor de alimentação – food service registrou um crescimento de 17,9% em 2023, conquistando o melhor resultado dentre os demais classificados pela entidade. Entre os motivos que impulsionaram este movimento, estão os novos modelos de negócio que exploram tanto o físico quanto o digital, a continuidade da venda por delivery como faturamento incremental, formatos focados em conveniência que trazem melhorias na eficiência e nos processos, as tecnologias utilizadas com foco em aumento da produtividade e à alta do tíquete médio.

Pesquisa da Galunion intitulada “Tendências do Ecossistema de Foodservice”, com base no ano de 2023, apontou que 64% afirmaram estar com desempenho superior ao faturamento de um ano atrás, 30% igual ao faturamento de um ano atrás e 3% inferior ao faturamento de um ano atrás.

“No último levantamento que fizemos neste ano, pudemos ver uma recuperação do setor. Quando questionamos como foi o resultado financeiro dos negócios em food service em 2023 até o momento, ou seja, entre meados de outubro e início de novembro, 87% afirmaram estar com lucro, 12% próximo a zero e 1% no prejuízo. Além disso, 74% avaliam que o resultado será melhor que 2022, 20% ser igual e 3% pior que o ano anterior”, revela a fundadora e CEO da Galunion, Simone Galante.

Além disso, ainda de acordo com a ABF, o volume de microfranquias cresceu 87% entre 2021 e maio de 2023, passando de 322 para 604 marcas. A expansão das microfranquias foi tão acelerada que hoje o modelo representa 44% do total de marcas franqueadas Entre os setores mais promissores estão as franquias de educação, beleza e estética, alimentação e serviços de saúde.

Espaço Publicitáriocnseg

Ainda segundo a entidade, o mercado de franquias no Brasil consolidou sua recuperação e voltou a crescer em 2023, com o faturamento atingindo R$ 240,661 bilhões, variação nominal 13,8% em relação a 2022 e, portanto, acima das projeções que apontavam um crescimento entre 9,5% e 12%. Em relação a 2019 (pré-pandemia), o crescimento foi de 28,9%. Dentre outros fatores, este desempenho foi alavancado pelo forte resultado no quarto trimestre de 2023, no qual o setor registrou um crescimento nominal no faturamento de 14,2% (R$ 63,8 bilhões para R$ 72,878 bilhões).

O número total de operações no Brasil atingiu 195.862, 6,2% a mais do que no ano anterior. Novas marcas continuam a adotar o franchising como plataforma de negócios, com um total de 3.311 redes de franquia identificadas (crescimento de 7,6%), um recorde no histórico de pesquisas da ABF. Com isso, o setor totalizou 1.701.726 empregos diretos (expansão de 7,1%), outro recorde.

Além da melhora do quadro macroeconômico (inflação menor, retomada do emprego e PIB positivo), a associação atribui este desempenho às melhores práticas e aprendizados aprimorados nos últimos anos (tanto em relação a processos, como no relacionamento com consumidores e dentro da rede), ao avanço da digitalização em várias frentes (a realização de negócios totalmente online já faz parte do dia a dia das franquias), à omnicanalidade e à adoção de novos formatos, em um ambiente de atividades e hábitos presenciais (e híbridos) consolidado, com destaque para eventos e a retomada do turismo.

A taxa média de abertura de novas operações na amostra alcançou 17,3% no ano passado – ante 14,9% em 2022 – e 5,9% das operações fecharam (um pouco menos do que no ano anterior, que foi de 6%), resultando num saldo positivo de 11,4%, acima dos 9,8% de 2022. Já os repasses no período quase dobraram, passando de 2,5% em 2022 para 4,3% em 2023.

O volume de redes de franquias no país em 2023 aumentou acima da projeção da ABF. De acordo com o levantamento da entidade, a indústria do franchising nacional totalizou 3.311 marcas, alta de 7,6%. O índice é quase o dobro do crescimento projetado pela entidade, que foi de 4%. Com isso, a média de unidades por rede foi de 59.

Tendo em vista a expansão do volume de unidades e de redes, o setor de franquias segue empregando diretamente mais pessoas. De acordo com o balanço do franchising em 2023, o número de trabalhadores diretos subiu de 1.589.276 para 1.701.726, um crescimento de 7,1% em relação ao ano anterior. O levantamento também aponta que cada unidade de franquia gera, em média, nove empregos diretos.

Matéria atualizada às 14h35, com dados sobre vagas abertas

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui