Com exterior sob precaução, mercado doméstico deve ter cautela

Desempenho do varejo de maio deve reforçar a manutenção da Selic em 2,25% em agosto.

Opinião do Analista / 10:48 - 8 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A precaução global circunscrita nos avanços da Covid-19, especialmente nos EUA, deve diminuir o apetite doméstico por risco.

No Brasil, o fato de o presidente da República, Jair Bolsonaro, testar positivo para o novo coronavírus, colocou-o nas páginas de inúmeros veículos de comunicação ao redor do globo, como por exemplo, na capa do jornal britânico "Financial Times".

Seguindo adiante, no âmbito legislativo, o Senado vota a MP 930, que protege investimentos fora do país de volatilidade cambial dos últimos meses marcados pela pandemia. A divisa norte-americana acumula alta em torno de 34% este ano, encerrando o dia de ontem a R$ 5,38.

Ainda no foco dos agentes econômicos e investidores, o desempenho das vendas no varejo de maio deve reforçar a manutenção da Selic em 2,25% em agosto, quando o Comitê de Política Monetária irá decidir os rumos da taxa básica de juros no país.

.

Pedro Molizani

Trader Mesa de Câmbio

Travelex Bank

www.travelexbank.com.br

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor