Com mudanças no ICMS, combustível ficou mais caro em fevereiro

Gasolina mais barata em janeiro foi encontrada no Sudeste, mas GNV continua em alta na região

21
Bomba de combustível (Foto: Marcelo Camargo/ABr)
Bomba de combustível (Foto: Marcelo Camargo/ABr)

A gasolina comum, o etanol hidratado e o diesel S-10 ficaram mais caros nos primeiros dias de fevereiro. No comparativo entre a última semana de janeiro e a primeira de fevereiro, o preço médio da gasolina comum passou de R$ 5,66 para R$ 5,83/litro (alta de R$ 0,16 ou 2,9%). Comparativamente, o preço médio do etanol hidratado passou de R$ 3,49 para R$ 3,60/litro (alta de R$ 0,12, ou 3,3%). Finalmente, o preço do diesel S-10 variou de R$ 5,98 para R$ 6,07/litro (alta de R$ 0,09, ou 1,5%). Os dados são do Panorama Veloe de Indicadores de Mobilidade, em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

De acordo com o levantamento, os estados em que a gasolina ficou mais cara aos consumidores incluíram Amazonas (13,1%), Rio Grande do Norte (7,1%), Bahia (5,7%), Tocantins (5,0%) e Sergipe (5,0%). No caso do etanol hidratado, os maiores aumentos foram registrados no Rio Grande do Norte (15,5%), Bahia (5,6%), Mato Grosso (4,5%), Minas Gerais (4,0%) e Mato Grosso do Sul (3,9%). Finalmente, no caso do diesel S-10, o incremento foi mais proporcionalmente expressivo nos seguintes casos: Bahia (5,0%), Rio Grande do Norte (3,2%), Amazonas (3,1%), Sergipe (2,4%) e Tocantins (2,4%).

O estudo atribui a alta simultânea à decisão do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) em favor de reajustes do ICMS dos combustíveis, que entraram em vigência no último dia 1. Trata-se da primeira alta do imposto estadual desde que ele passou a ser cobrado em uma alíquota única nacional. Com as mudanças, o ICMS da gasolina subiu R$ 0,15, passando de R$ 1,22 para R$ 1,37. Enquanto o preço do diesel e do biodiesel aumentou R$ 0,12, passando de R$ 0,94 para R$ 1,06.

Dados do Índice de Preços Edenred Ticket Log (IPTL), levantamento que consolida o comportamento de preços das transações nos postos de combustível, trazendo uma média precisa, apontaram que a Região Sudeste registrou o menor preço médio do país para a gasolina (R$ 5,66) no fechamento de janeiro, com redução de 0,18% ante a primeira quinzena do mês. Já o etanol foi comercializado a R$ 3,51, após recuo de 0,57%. O preço do diesel comum baixou 0,67% e fechou o mês a R$ 5,91 e o S-10 foi comercializado a R$ 6,09, após ficar 0,65% mais barato.

Espaço Publicitáriocnseg

Ainda segundo o IPTL, o preço médio do GNV continua em alta no Sudeste. De acordo com o levantamento, o preço médio do combustível fechou janeiro a R$ 4,68 na região, um aumento de 0,21%, ante a primeira quinzena do mês.

“No Rio de Janeiro o GNV aumentou 0,64% e fechou o mês a R$ 4,73. Apesar de registrar a menor média do Sudeste, São Paulo comercializou o combustível a R$ 4,54, com aumento de 0,22%. Nos próximos dias, podemos ter queda nos preços, como reflexo da redução média de 2% anunciada recentemente. É importante reforçar que o GNV emite um menor teor de gases poluentes na atmosfera, incentivando uma mobilidade de baixo carbono”, destaca Douglas Pina, diretor-geral de Mobilidade da Edenred Brasil.

Em Minas Gerais, o GNV manteve o preço registrado nos primeiros 15 dias do mês (R$ 4,66). No Espírito Santo os motoristas encontraram o combustível pela maior média da região (R$ 5,06).

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui