Rio: comerciários têm aumento; em SP, foram 5.663 vagas em julho

Na capital paulista, emprego no comércio registra a maior alta mensal desde novembro de 2020.

O Sindicato dos Lojistas do Comércio do Município do Rio de Janeiro (SindilojasRio) e o Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro (SEC-RJ) anunciaram terem firmado a nova Convenção Coletiva de reajuste salarial dos comerciários do Rio.

O reajuste definido foi de 5% sobre os salários de maio de 2020, válido a partir de outubro de 2021. E haverá ainda reajuste de 2,5% sobre os salários de maio de 2020, retroativo ao período compreendido entre maio e setembro de 2021. Os referidos índices não são cumulativos. As diferenças salariais referentes ao período de maio a setembro de 2021 poderão ser pagas até a folha do mês de novembro de 2021.

As principais mudanças, válidas a partir de outubro de 2021, são as seguintes: teto de R$ 4.890; piso único de R$ 1.308,30; período de experiência e menor aprendiz: R$ 1.176; garantia do comissionista: R$ 1.438,50; ajuda de custo: R$ 30; quebra de caixa: R$ 57; lanche aos sábados, domingos e feriados (válido desde setembro): R$ 25; e auxílio-creche: empresas com até 50 empregados, R$ 205; empresas com mais de 50 empregados, R$ 227.

As negociações, iniciadas em junho e encerradas no último dia 16, com a assinatura da convenção, incluíram assembleias gerais extraordinárias (AGE), reuniões entre os sindicatos, com representantes da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) e com a Comissão de Negociação Salarial, além de audiências de mediação na Superintendência Regional do Trabalho do Ministério da Economia. Também foram assinadas as convenções de banco de horas, tempo parcial e prazo determinado.

Já em São Paulo, no comércio, dos postos de trabalho criados, 50 mil ocorreram no varejo, sendo 7.033 no segmento de vestuário e acessórios – o mais impactado desde março de 2020 (e que ainda está 24,5 mil vagas abaixo da empregabilidade de fevereiro de 2020). Nos serviços, o cenário é parecido, dado que o ramo de alojamento e alimentação, ainda que com saldo acumulado negativo de quase 110 mil vagas desde o início de março do ano passado, obteve, no trimestre de maio a julho de 2021, um saldo de 15.503 postos laborais no estado, o quarto melhor resultado absoluto dentre as 14 divisões setoriais que formam o setor.

Com 103.766 admissões e 80.230 desligamentos, em julho, o estoque ativo do comércio chegou a 2,742 milhões de vínculos, um avanço de 0,87% em relação a junho. Dentre as três divisões do setor, o varejo se destacou, com a criação de 17.281 postos de trabalho, puxado novamente pelo setor de vestuário e acessórios (2.705). No ano, o número de novos empregos está principalmente relacionado à atividade do comércio varejista de madeira, ferragens e materiais de construção, responsável por 11.125 dos postos totais do varejo, com saldo de 37.098. Em 12 meses, de agosto de 2020 a julho de 2021, foram criadas 190.973 vagas no comércio. Destas, 132.230 são no varejo, com significativo avanço dos segmentos de materiais de construção (19.629 vagas) e de hipermercados e supermercados (14.148).

Na capital paulista, o comércio criou 7.739 vagas no mês de julho, dos quais, 5.663 só no varejo. O destaque ficou por conta do desempenho dos estabelecimentos varejistas de vestuário e acessórios, que geraram 951 postos no mês. Com mais de 862.657 mil vínculos formais ativos, o avanço em julho significou aumento de 0,91% do mercado de trabalho no comércio paulistano. Em 2021, são 19.416 empregos celetistas – e, em 12 meses, avanço de 48.147 postos de trabalho.

Leia também:

MPEs: 51% relatam piora na economia nos últimos seis meses

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Crédito consignado: aumenta número de reclamações de cobrança indevida

O crédito consignado não solicitado por clientes está no topo das reclamações de consumidores. Em relação aos registros, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon),...

Ciência: entidades pedem liberação de recursos

Organizações questionam redirecionamento para outras áreas de R$ 515 milhões, que eram do CNPq.

BC garante cumprir meta de inflação de 2022

Em apresentação nesta sexta-feira em uma conferência promovida pelo banco Goldman Sachs, na capital dos Estados Unidos, o presidente do Banco Central, Roberto Campos...

Últimas Notícias

Crédito consignado: aumenta número de reclamações de cobrança indevida

O crédito consignado não solicitado por clientes está no topo das reclamações de consumidores. Em relação aos registros, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon),...

Geração de energia solar traz R$ 35,6 bi de investimentos ao país

Potência nos telhados e terrenos com sistemas fotovoltaicos equivale a metade da capacidade de Itaipu.

Direito de controle sobre funcionários que trabalham de casa

Por Leonardo Jubilut.

Rio Indústria apoia lei que desburocratiza e facilita novos negócios

Em audiência pública realizada nesta quinta-feira (14), na Câmara Municipal do Rio, sobre o Projeto de Lei Complementar nº 43/2021 que regulamenta a Declaração...