Comércio digital cresce e qualidade do emprego cai

Postos de trabalho precários são os mais criados.

A expansão da modalidade de comércio digital, segundo artigo publicado no boletim de maio da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) pelo professor da USP José Paulo Chahad, deve promover mudanças significativas no mercado de trabalho.

É possível que a demissão de caixas e assistentes de vendas seja intensificada, enquanto serão criados postos nos setores de transportes, comunicações e armazenamento. Mesmo com o fim da pandemia, é provável que ocupações que eram exercidas dentro das lojas não retornem.

Em entrevista à RBA, Edgard Monforte Merlo, professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA-RP) da USP de Ribeirão Preto, destaca que o desenvolvimento do e-commerce representa um processo intenso de mudança na economia, e esses fenômenos são acompanhados pela geração de postos de trabalho diferentes do que havia anteriormente. Entretanto, essas mudanças também estão relacionadas com o fechamento de alguns postos da economia tradicional, como os de venda física.

Segundo Arnaldo Mazzei Nogueira, professor da PUC-SP e da FEA-USP, há dois tipos de postos de trabalho que são criados: o qualificado, normalmente ligado aos escritórios e à tecnologia; e o precário, ligado à realização das entregas e a ponta da linha de produção. O segundo tipo é o mais comum, conforme o processo de digitalização avança.

De acordo com Nogueira, que é autor de um dos artigos presentes no livro Uberização, Trabalho Digital e Indústria 4.0, o trabalho precário é muitas vezes terceirizado ou em condições de subcontratação. “O que acontece é que há uma redução do trabalho regular”, afirma.

“Eles vão constituir uma força de trabalho sem direitos, sem regulamentação e muitas vezes são considerados prestadores de serviços”, comenta. Para Nogueira, é preciso repensar a regulamentação e a proteção desses trabalhadores para definir em que condições essas atividades serão realizadas.

“Nós estamos vivendo um novo mundo, que pode se desdobrar tanto numa tragédia quanto em alguma civilização maior, vai depender de todos os demais setores que estão observando essas transformações”, conclui o professor da PUC-SP, também falando à RBA.

Leia também:

Mais da metade dos estagiários trabalharam presencialmente na pandemia

Artigos Relacionados

Proprietário de imóvel da União pode comprar o bem por aplicativo

SPUApp desenvolvido pelo Serpro permite remição de foro dos 17% do imóvel no Leme e em Copacabana.

CNC está otimista com Dia dos Pais e projeta R$ 6,03 bi na economia

Dia dos Pais de 2020 foi o pior em 13 anos.

Vende-se: ANP inclui 377 blocos exploratórios na Oferta Permanente

Novos blocos ficam no Amazonas, Ceará, Espírito Santo e Paraná

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Mercado de TI é alavancado pela pandemia

Tetris IT, empresa que desenvolve projetos de inovação digital, cresceu 300% em 2020.

Ações da ClearSale valorizam mais de 20% na estreia na B3

A ClearSale (ticker CLSA3) concluiu nesta sexta-feira a sua oferta pública inicial (IPO) na B3. A oferta movimentou R$ 1,3 bilhão sendo que, apenas...

Edital da Oferta Permanente inclui 377 blocos

A Agência Nacional de Petróleo e Gás Natural (ANP) publicou nesta sexta-feira nova versão do edital da Oferta Permanente, com a inclusão de 377...

Multa de R$ 500 mil para ‘fake’ sobre eleição

Uma multa de R$ 500 mil, caso repita as manifestações que questionem os últimos pleitos presidenciais realizados no país, faz parte uma ação que...

Bacia de Campos recua com redução drástica de investimentos

A Bacia de Campos, atualmente a segunda maior região produtora de petróleo do Brasil, registrou em junho a sua menor produção média dos últimos...