Comércio eletrônico no Sudeste teve alta em agosto, comparado a 2019

Faturamento da região, considerando o mesmo período, também teve bom desempenho: 77,16%, aponta o índice MCC-Enet.

Conjuntura / 12:57 - 29 de set de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

No Sudeste, a alta do comércio eletrônico foi de 71,36% em agosto frente ao mesmo mês do ano passado. Considerando a mesma base de comparação, o faturamento do setor também expandiu na região: 77,16%. Os dados são do índice MCC-Enet, levantamento desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) em parceria com o Movimento Compre & Confie.

Mesmo com bom desempenho, ao analisar os resultados de vendas por região, o Sudeste ficou em último lugar, sendo o Nordeste (108,9%) o destaque, seguido pelo Norte (74,90%), o Sul (74,08%) e Centro-Oeste (73,25%).

"Mesmo com a reabertura do varejo físico e retomada gradual da sociedade, o comércio eletrônico mantém patamares de vendas muito superiores ao ano passado, comprovando que o comportamento de consumo online do brasileiro realmente passou por um processo de transformação permanente. Com este crescimento, a partir de agora, as fronteiras entre online e offline estão sendo extintas e os varejistas terão que cada vez mais unificar suas operações para oferecerem uma boa experiência para todos consumidores.", afirma André Dias, coordenador do Comitê de Métricas da camara-e.net e CEO do Neotrust - Compre & Confie.

A métrica de vendas do comércio eletrônico de agosto frente ao mesmo mês do ano passado teve um resultado positivo. Já na comparação agosto com julho a variação foi negativa de (-8,82%).

No acumulado do ano, os dados seguem positivos. Porém, apesar do crescimento, o Sudeste ficou em último lugar com 51,37%. Nordeste e Sul foram os dois primeiros colocados com (82,7%) e (62,01%), respectivamente, seguidos por Centro-Oeste (57,06%) e Norte (54,76%).

O faturamento no Sudeste, por sua vez, apresentou baixa em agosto ante julho: -4,61%. No acumulado do ano, por sua vez, variou positivamente: 50,91%, novamente, o último por região. Nordeste (93%), mais uma vez configura na liderança, seguido por Sul (59,79%), Norte (57,96%) e Centro-Oeste (52,95%).

Levantamento da Catho mostra que a abertura de vagas no varejo eletrônico cresceu até 162% durante a pandemia, entre os meses de março a agosto, em comparação com o mesmo período de 2019. Cargos como vendedor, atendente, gerente e supervisor cresceram, respectivamente, 162%, 161%, 76% e 67% no período.

"O crescimento expressivo na área de comércio eletrônico comprova que as empresas, de todos os portes e nichos, estão apostando na transformação digital e se adaptando à nova realidade de pouco contato físico com os clientes para evitar a propagação do vírus. Atualmente, oferecer serviços on line pode ser a garantia de continuidade de negócios", explica a diretora de Operações da Catho, Regina Botter.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor