Comércio vibrante é sinônimo de economia forte

204
Aldo Gonçalves (Foto: Arthur S. Pereira/CDL-Rio/Sindilojas-Rio)
Aldo Gonçalves (foto de Arthur S. Pereira/CDL-Rio/Sindilojas-Rio)

Prefeitura e Governo do Estado devem agir contra a desordem urbana

 

Com o verão a todo vapor e turistas e blocos de carnaval tomando conta do Rio de Janeiro, o comércio carioca vive a expectativa de conseguir aproveitar o período para incrementar suas vendas e começar 2023 com resultados positivos. É um momento muito importante para o comércio local, especialmente para aqueles que estão localizados próximos às principais áreas de festas e desfiles.

Nesse contexto, no entanto, o comércio só terá chance de materializar essa perspectiva de bons resultados com o apoio efetivo do poder público para coibir a violência e a desordem urbana, dando ênfase ao combate ao comércio ilegal e à assistência à população de rua. É preciso reforçar o policiamento, a fiscalização e a conservação das ruas, aumentando a percepção de segurança e bem-estar para moradores e visitantes da Cidade. E para que isto ocorra, a atuação integrada entre a Prefeitura e o Governo do Estado é fundamental.

Nos próximos dias, só uma ação contundente, de preferência conjunta, dos órgãos municipais e estaduais ligados à segurança, aos transportes, ao trânsito, à conservação das ruas e ao atendimento à população vulnerável, entre outros, impedirá que a desordem urbana se amplie exponencialmente, colocando a perder todos os esforços do comércio para aproveitar o momento.

Espaço Publicitáriocnseg

Em 2022, ainda sentindo os reflexos da pandemia de Covid-19 e enfrentando uma crise sem precedentes por causa da instabilidade social, política e econômica, o comércio do Rio terminou outro ano de resultados negativos ou aquém dos esperados. E, neste início de ano, somando-se a inflação, a inadimplência e o desemprego altos à falta de segurança e à desordem urbana, o que temos é uma conjuntura crítica para o comércio do Rio.

Para reverter este cenário desafiador, o SindilojasRio e o CDLRio, que representam mais de 30 mil estabelecimentos comerciais, têm atuado junto ao poder público em busca de soluções mais eficazes e duradouras para os problemas que tanto prejudicam o setor, promovendo e participando de fóruns de discussão e de reuniões frequentes com representantes dos poderes executivo e legislativo, estaduais e municipais.

Sabemos que os problemas são muitos, porém, com vontade política, trabalho e determinação, acreditamos que é possível vencê-los.

O comércio é uma das forças motrizes da nossa economia. Criar condições favoráveis para o seu funcionamento e a sua expansão é pavimentar o caminho da prosperidade social. Um comércio forte gera empregos, renda e impostos para investir em melhorias na Saúde, na Educação, no Transporte, na Segurança. Comércio vibrante é sinônimo de economia forte.

A capital do Rio de Janeiro tem tudo para voltar a ser um dos mais importantes centros de negócios e de comércio do Brasil e da América Latina, alavancando o desenvolvimento do estado.

O caminho para a retomada do desenvolvimento social e econômico do Rio de Janeiro e de sua capital deve passar pela superação de eventuais divergências políticas e pelo diálogo permanente e transparente entre as diferentes esferas do poder público e a sociedade organizada.

O Rio pode voltar a ser a “Cidade Maravilhosa”. Proteger e fortalecer o comércio é parte essencial da solução.

 

Aldo Gonçalves é presidente do SindilojasRio e do CDLRio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui