Como as redes sociais vão manipular seu voto outra vez

Por Christiano Sobral.

Não existe mais nenhuma dúvida de que o Facebook, junto com a Bridget Analytics, influenciou as eleições anteriores nos Estados Unidos e, tudo indica, que em vários outros países, incluindo o Brasil. Não sendo por outro que nasce desse escândalo a GDPR, que é a lei sobre a qual se baseou a nossa LGPD (lei geral de proteção de dados).

A rede social demonstrou que, apenas com ajustes em uma simples postagem, conseguiu levar a mais de 300 mil pessoas a votarem numa eleição que não é obrigatória. Lembrando que a vitória naquela eleição foi por uma margem da ordem de 100 mil votos.

Já a Bridget selecionava e focava nos eleitores em dúvida, para manipulá-los a votar conforme seu interesse. Sendo um processo que se iniciou através do mapeamento do comportamento das pessoas a partir dos likes, posts, reposts e tempo decorrido nas postagens, como meio de atribuir uma característica de a favor, contra ou em dúvida.

A base de toda a manipulação veio da polarização, dos ataques difamatórios por postagens e por notícias falsas repetidas continuamente. Trabalhando nos vieses presentes nas nossas formas de pensar.

Por exemplo, uma notícia falsa repetida por diversos meios aciona o chamado viés da disponibilidade, que é uma tendência natural a acreditar naquela informação que mais nos é repetida. Ela também aciona nossa ancoragem, que é a dificuldade de afastar-se da primeira informação que recebemos sobre alguma coisa.

Na sequência, entramos no viés da confirmação, simplesmente desacreditando em notícias, informações ou argumentos que vão contra a ideia que já formamos, tendendo a só ver e ouvir o que confirma a nossa crença já estabelecida. Ou seja, uma ideia é construída, fixada e internalizada em nossa mente ao ponto de tornarmo-nos cegos as alternativas.

Mas claro: veio a lei, a atenção para esse tipo de artifício e até o indiciamento de alguns dos atores envolvidos. Só que isso não será o bastante.

Simplesmente deixamos de acompanhar fontes regulares de notícias e, quase unanimemente, estamos nos informando apenas por meio das redes sociais, ou por nossos grupos de mensagens instantâneas. Funcionando não só como meio de termos acesso ao mundo, mas também como replicador dessas mensagens.

Por trás destas ferramentas está a economia da atenção, que tem seu valor no maior tempo em que você permanece ligada a ela. Exatamente por conta disso ela é gerida por sistemas de inteligência artificial que ajustam tudo que chega até você para que seja mais atrativo e consiga te manter mais tempo preso a rede.

Essas ferramentas, munidas das suas informações e partindo do pensamento que já vem há muito sendo induzido em você, vai lhe manter incapaz de julgar corretamente os candidatos na próxima eleição. Lhe levando, mais uma vez, a ser manipulado em suas convicções, e servir a alguém com seu voto.

Pena que não existe forma de mudar a realidade digital que aqui está, e não temos forças para ir contra a ideia que já nos foi implantada. Mas, se quiser um conselho, até as eleições, volte a ler jornal impresso; hoje são os únicos meios de informação que não são adaptados por IA ao que você deseja ver.

 

Christiano Sobral é advogado e administrador, diretor-executivo do Urbano Vitalino Advogados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Desafio sob a Torre Eiffel

Por Edoardo Pacelli.

Últimas Notícias

Vale cancela ações em tesouraria sem reduzir o valor do capital social

O Conselho de Administração da mineradora Vale aprovou o cancelamento de 152.016.372 ações ordinárias de emissão da companhia adquiridas em programas de recompra anteriores...

Eve: Aeronaves elétricas de emissão zero de carbono

A Eve Urban Air Mobility, da Embraer, e a francesa Helipass, plataforma de reserva de voo em helicópteros para turismo e mobilidade aérea, anunciaram...

Petrobras terá arquivos nas nuvens

A Petrobras inaugurou, na última sexta-feira (17), o Centro de Competência em Computação em Nuvem (CCC), que vai direcionar e acelerar a estratégia de...

Evergrande: Crise pode afetar exportação de minério de ferro

A segunda-feira foi bastante movimentada com a notícia vinda da China que a Evergrande Real Estate, gigante do setor de incorporação imobiliária no país...

Brics: Título para ter receita e financiar projetos de infraestrutura

Brics: Título para ter receita e financiar projetos de infraestrutura O Novo Banco de Desenvolvimento do Brics (NDB, em inglês) emitiu um título denominado em...