Bolsonaro deve ir ao debate da Band, entretanto correrá dos outros

555
Jair Bolsonaro (Foto: Lúcio Távora/Ag. Xinhua)
Jair Bolsonaro (Foto: Lúcio Távora/Ag. Xinhua)

Apesar da campanha de Jair Bolsonaro decidir que ele não participará de debates entre presidenciáveis no primeiro turno, a Band apurou que o presidente pretende comparecer ao debate organizado em pool por Folha, UOL e TVs Bandeirantes e Cultura no próximo domingo, às 21h. A coordenação da campanha do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva confirmou à Band que ele participará.

Fora a Band, a assessoria de Bolsonaro está comunicando as emissoras de TV o cancelamento das agendas. Para o núcleo da campanha, o presidente vai bem nas pesquisas e sua exposição neste momento só serviria aos concorrentes. Na noite dessa terça-feira, a Rede TV foi informada da desistência de Bolsonaro.

A CNN Brasil, por sua vez, suspendeu a realização do debate com os candidatos à presidência da República que estava programado para o dia 6 de setembro. A decisão foi tomada porque as campanhas dos candidatos Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) não confirmaram as presenças de ambos. Sem os dois candidatos que estão à frente nas pesquisas realizadas por institutos de opinião, o encontro não refletiria o atual cenário da corrida presidencial, explica a organização.

A CNN informou que “reforça seu interesse em estimular o amplo debate entre os postulantes à presidência e considera fundamental que eles se comprometam com o comparecimento para prestar informações aos eleitores tendo como objetivo único o fortalecimento da democracia brasileira.”

Espaço Publicitáriocnseg

Em paralelo, a CNN analisa a possibilidade de formar um pool com veículos de comunicação de credibilidade para que o evento seja realizado. As premissas para a definição deste formato são o compromisso de todos os veículos com o sistema democrático e com a total imparcialidade diante do cenário político polarizado. “Enquanto as negociações com partidos e veículos acontecem, a CNN segue com sua ampla cobertura eleitoral já programada.”

O argumento dado este ano para o não confronto de programas e ideias para a escolha na atual eleição presidencial foi na mesma linha utilizada em 2018. Em vídeo divulgado em junho daquele ano nas suas redes sociais, Bolsonaro disse que compareceria a todos os debates. “ podem ter certeza até porque estaremos levando propostas factíveis que vocês acreditam que podem ser atingidas”, declarou.

Mas em um debate que ficou marcado pelas poucas provocações entre os candidatos, promovido pela TV Bandeirantes, Jair Bolsonaro (PSL) foi o presidenciável mais contestado. O então deputado federal teve pelo menos dois momentos de trocas de acusações com o candidato do PSOL, Guilherme Boulos, e também teve declarações suas contestadas pelo senador Alvaro Dias (Podemos), além de ter sido ironizado em determinado momento por Ciro Gomes (PDT).

Em tom de ironia, disse que pensou que tivesse ido ao debate para discutir política nacional. “Eu não vim aqui para bater boca com um cidadão desqualificado”, declarou o presidenciável, que foi chamado de “farinha do mesmo saco” e “representante da velha política corrupta” e abriu mão do tempo integral de sua tréplica.

Matéria atualizada às 22h30.

Com informações do Brasil 247 e Band e Rádio BandNews.

Leia também:

Reforma tributária recebe menções tímidas de Lula e Bolsonaro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui