Compromisso de compra de plataforma para produção no campo de Itapu

Compra da plataforma P-71, sujeito a condições precedentes relacionadas a marcos no avanço físico da unidade.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Após negociação com os parceiros no Consórcio BM-S-11, Shell Brasil Petróleo Ltda (25%) e Petrogal Brasil S.A. (10%), a Petrobras assinou compromisso de compra da plataforma P-71, sujeito a condições precedentes relacionadas a marcos no avanço físico da unidade.

Também foi acordada a elaboração de um novo Plano de Desenvolvimento (PD) para o campo de Tupi, onde o FPSO seria originalmente utilizado. “Nosso desembolso estimado na transação será de US$ 353 milhões, correspondente à parcela dos sócios na P-71”, informou a petroleira nesta quarta-feira.

A P-71, em fase final de construção no Estaleiro Jurong, no Espírito Santo, da família dos replicantes, com capacidade de produção de 150 mbpd, será alocada no campo de Itapu.

Após o leilão do excedente da cessão onerosa ocorrido em novembro de 2019, os direitos de produção do campo de Itapu passaram a ser detidos integralmente pela Petrobras e a alocação do FPSO P-71 no campo permitirá a antecipação do seu primeiro óleo em cerca de um ano. “Em razão da nova alocação da P-71, a licitação de afretamento da plataforma que atenderia ao projeto de Itapu será cancelada”, explicou a Petrobras.

Segundo a estatal, com o compromisso de venda da P-71, sujeito às mencionadas condições precedentes, os sócios do Consórcio BM-S-11 no Brasil acordaram em elaborar um novo PD para Tupi, a ser entregue para a ANP em 2021.

 

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor