Concessionárias do Rio Grande do Sul podem somar prejuízo acima dos R$ 300 mi

Representando quase 7% do mercado de usados no país, estado perde com paralisação de vendas; preço médio dos veículos na região é de R$ 43 mil

133
Concessionária de automóveis (Foto: arquivo)
Concessionária de automóveis (Foto: arquivo)

Estimativas dão conta que cerca de entre 5% e 10% do total da frota de carros do Rio Grande do Sul, que soma ao redor de 2,8 milhões, tenha ficado inutilizada. Em termos de vendas de veículos usados B2B, o estado representa 5,5% do mercado brasileiro. Ao todo, as 232 concessionárias gaúchas mapeadas pela plataforma de vendas Auto Avaliar tinham em estoque um total de 3.850 carros, e as vendas ao consumidor final somaram 2.857 unidades em abril. No mês passado, as concessionárias receberam 17.250 avaliações, o que representa 6,8% do volume Brasil.

De acordo com o Estudo Megadealer de Performance de Veículos Usados powered by Auto Avaliar (PVU) de abril, o tíquete médio dos carros usados vendidos no mês de maio somou R$ 80.001. Aplicando este valor ao estoque das concessionárias gaúchas, o valor total passa de R$ 300 milhões. Já em termos de vendas ao consumidor final, o total de abril representa cerca de R$ 228 milhões.

“Este foi o cenário que vimos em Nova Orleães em agosto de 2005, quando a cidade foi devastada pelo furacão Katrina. Após o desastre, muitos abandonaram a cidade, a demanda foi praticamente zerada e as concessionárias atingidas exibiram desempenhos diferentes, algumas demoraram a ser reconstruídas e outras se reabilitaram mais rapidamente”, diz o CEO da Auto Avaliar, J.R. Caporal.

No segundo momento, o que ocorreu foi um forte aumento da demanda, impulsionada pela onda de recebimento das indenizações das seguradoras. Para se ter uma ideia, as vendas passaram de 13.500 unidades numa taxa pré-tempestade ajustada sazonalmente para 16.000 unidades pós-tempestade. “Como não havia estoque suficiente, parte da demanda foi suprida por concessionárias fora dos limites da cidade de Nova Orleães”, observa, ao lembrar que também houve mudança pela preferência, com o aumento da busca por picapes.

Espaço Publicitáriocnseg

Segundo o Relatório de Preços do Data OLX Autos, o preço médio final de venda de um veículo na Região Sul em abril custou, em média, R$ 43 mil. O valor é um pouco acima da média nacional do período, de R$ 41 mil. O estudo analisou os valores dos automóveis comercializados por meio da OLX entre outubro de 2022 e abril deste ano, tanto entre os estados do Sul, quanto nacionalmente.

Entre os cinco modelos Hatch mais vendidos por meio da OLX no Sul, o Chevrolet Onix possui o maior preço médio de venda (R$ 56 mil); seguido por Hyundai HB20 (R$ 52 mil), Ford Ka (R$ 37 mil), Volkswagen Gol (R$ 22 mil) e o Fiat Palio (R$ 20 mil).

O Toyota Corolla lidera dentre os sedãs mais vendidos na região, com R$ 83,9 mil no valor médio de venda. Em seguida, estão o Chevrolet Cruze, Honda Civic e Chevrolet Prisma. O Volkswagen Voyage ocupa a quinta posição com R$ 38,2 mil. No comparativo com outubro de 2022, o Prisma é o único que teve queda no preço.

No Sul, o Ford EcoSport é o SUV mais barato, com preço médio comercializado de R$ 49,9 mil. O modelo mais valorizado da lista é o Jeep Compass, valor mediano de R$ 125,5 mil.

Entre as picapes nos estados do Sul, a Toyota Hilux lidera, com o maior valor médio vendido, de R$ 172,7 mil. A Volkswagen Saveiro possui o menor preço mediano de comercialização, com R$ 49,9 mil.

O Relatório de Preços também mapeou a variação do preço médio dos anúncios por meio de microrregiões nos estados do Sul, tendo como base o Volkswagen Nivus 2021, o modelo mais comercializado por meio da plataforma em abril. O preço mediano mínimo registrado no anúncio na região é de R$ 89,9 mil, enquanto o máximo é de R$ 126,7 mil.

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui