Confiança de serviços recupera parte da queda de setembro

Já índice de confiança do comércio se mantém estável em outubro, ficando em 94,2 pontos, após dois meses de queda.

O Índice de Confiança de Serviços (ICS), do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getúlio Vargas (FGV), subiu 1,8 ponto em outubro, para 99,1 pontos, revertendo grande parte da queda sofrida no mês anterior. Em médias móveis trimestrais, o índice teve leve alta de 0,4 ponto.
A confiança de serviços voltou a subir em outubro, recuperando grande parte da queda de setembro. O resultado favorável desse mês foi influenciado pela melhora da percepção sobre a situação atual e uma reavaliação positiva das perspectivas sobre os próximos meses. Esse resultado parece confirmar que o setor de serviços continua se beneficiando com as flexibilizações e sendo puxado pelos segmentos que mais sofreram ao longo da pandemia. A expectativa para os próximos meses é de continuidade do cenário positivo caso se confirme uma sustentação da confiança dos consumidores nos próximos meses”, avaliou Rodolpho Tobler, economista do Ibre.
Neste mês, o ICS voltou a subir influenciado tanto pela avaliação sobre o momento atual como pelas expectativas. O Índice de Situação Atual (ISA-S) avançou 2,3 pontos, para 94,6 pontos, maior desde maio de 2014 (94,7). Já o Índice de Expectativas (IE-S) subiu 1,3 ponto, para 103,6 pontos, e se mantém na região de otimismo (acima de 100 pontos) pelo quarto mês consecutivo.
O resultado positivo de outubro foi disseminado entre os principais segmentos, com alta em 5 dos 7 principais segmentos do setor. Mas o destaque positivo foram novamente os serviços prestados às famílias, que voltaram a ficar acima da média dos demais segmentos, o que não ocorria desde o início da pandemia. “Esse resultado sugere que o andamento do calendário de vacinação e o enfraquecimento da pandemia influenciam positivamente a retomada da atividade dos segmentos que demandam da presença física das pessoas”, completa Tobler.
Já o Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 0,1 ponto em outubro, ficando em 94,2 pontos. Em setembro o indicador havia caído 6,8 pontos e em agosto a retração foi de 0,2 ponto. Em médias móveis trimestrais, a queda foi de 2,3 pontos.
Segundo Rodolpho Tobler, os dados indicam uma acomodação na confiança do comércio em outubro, em meio às incertezas no mercado.
“O resultado desse mês foi influenciado mais uma vez pela piora na percepção do ritmo de vendas que ocorre há três meses consecutivos. Por outro lado, as expectativas pararam de cair, recuperando parte do que foi perdido no último mês. O cenário para o setor ainda se mostra desafiador com a confiança do consumidor em patamar muito baixo, incerteza elevada, avanço da inflação e recuperação lenta do mercado de trabalho”.
No mês, três dos seis principais segmentos do setor registraram queda, resultando na virtual estabilidade. Enquanto o Índice de Expectativas (IE-COM) subiu 3,9 pontos, para 93,3, o Índice de Situação Atual (ISA-COM) caiu 3,8, para 95,3 pontos.
De acordo com o instituto, o Indicador de Desconforto interrompeu a tendência positiva dos últimos meses e ficou relativamente estável, sugerindo que o setor ainda encontra dificuldades para manter o ritmo de recuperação. O indicador mostra a limitação para a melhoria dos negócios, como demanda insuficiente, acesso ao crédito bancário e custo financeiro.

 

Com informações da Agência Brasil

Leia também:

Desemprego cai para 13,2% no trimestre encerrado em agosto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Mercado continua esperando inflação maior

O mercado continua apostando na escalada ininterrupta da inflação, furando as metas estabelecidas pelo governo tanto para este ano como para 2022. O cenário...

Congresso: Passado não existe no ‘orçamento secreto’

Molon: Projeto não garante transparência para as emendas de relator Sem levar em consideração o que já foi realizado nos exercícios de 2019 e 2020,...

TCU encontra ‘esqueleto’ de R$ 27 bi na transmissão de energia

Troca de equipamentos obsoletos poderá ter impacto nas tarifas.

Últimas Notícias

Cresce mercado de investimento em ações da China

O investimento em ações na China apresentou crescimento este ano, uma vez que o volume de fundos levantados e o investimento registraram um crescimento...

CVM alerta: Atuação irregular de Business Bank BNI Investiments S.A

A Comissão de Valores Mobiliários está alertando ao mercado de capitais e ao público em geral sobre a atuação irregular de Business Bank BNI...

Usina TermoCamaçari ficará com a Unigel até 2030

A Petrobras, em continuidade ao comunicado divulgado em 11/05/2021, informa que, após a retomada das negociações com a Proquigel Química S.A., subsidiária da Unigel...

STF é questionado sobre inconstitucionalidade de privatizações

O coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Deyvid Bacelar, defendeu nesta segunda-feira, em audiência pública na Câmara dos Deputados, que o Supremo Tribunal...

Mais um Fiagro na listagem da B3

Ocorreu nesta segunda-feira o toque de campainha que marcou o início de negociação do terceiro Fiagro na B3, o JGP Crédito FI Agro Imobiliário. As...