Confiar na internet das empresas é o maior problema

Localiza enfrenta problemas e reconhece; Caixa também está com problemas, mas não reconhece.

Acredite se Puder / 16:53 - 24 de mar de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Humildemente, a Localiza informou que, desde a noite do dia 22 de março de 2020, a companhia e suas subsidiárias sofreram interrupção do funcionamento de diversos dos seus sistemas. As atividades vêm sendo desenvolvidas de forma contingencial até que o ambiente de Tecnologia da Informação seja estabilizado e a origem do problema conhecida e remediada. “O time de TI está atuando com nossos fornecedores e dedicando todos os esforços para normalizar suas operações”, destacou a companhia.

Enquanto isso, numa posição arrogante, a Caixa Econômica Federal não reconhece e nem toma providenciais com seus sistemas que estão com sérios problemas. Tentar o internet banking da instituição nesses tempos de quarentena é um suplício. O correntista coloca o código e aparece a mensagem “cliente inexistente”. Aí, ele tenta se cadastrar e coloca nome e CPF e aparece a mensagem “o cliente já está cadastrado”. Bom, se isso não bastasse, a Caixa Cartões, por medida de economia, deixou de enviar os boletos para o pagamento mensal, mandando os possuidores pegá-los na internet. Se você tenta pegar pelo PC não tem código. Se tenta pelo celular, quando manda imprimir, aparece a mensagem “não pode por causa do X5”. Alguém sabe o que é X5?

 

Ação da CVC pode dar ganhos de 452%

A partir de 1º de abril, a CVC reduzirá em 50% a jornada de trabalho para todos os colaboradores, exceto em casos pontuais, de pessoas que estejam atuando em temas emergenciais. Além disso, também reduzirá em 50% o salário da diretoria executiva e conselho, suspenderá novas contratações e promoções, postergação de todos projetos e investimentos não prioritários, a renegociação de termos e prazos de pagamentos a fornecedores e a devolução de todos fretamentos até 31 de maio de 2020. Para os analistas do Bradesco BBI essas medidas significam que as despesas operacionais cairão para R$ 50 milhões por mês, o que equivalerá a R$ 150 milhões para o segundo trimestre de 2020. Se alcançada, a meta reduzirá as despesas em mais de 50%. Por causa disso, mantiveram a nota acima da média, estabelecendo preço-alvo de R$ 42,00 na ação, uma alta de 452% sobre o fechamento de ontem aos R$ 7,61 na B3. A CVC publicará balanço de 2019 na próxima semana e prevê ter fechado 2019 com um caixa de R$ 365 milhões.

 

Gol e Azul reduzem capacidade em 90%

A Azul vai reduzir sua capacidade total em 90% entre 25 de março e 30 de abril, operando diariamente com 70 voos diretos para 25 cidades. A empresa também está reduzindo custos e despesas com folha de pagamento em aproximadamente 65% em abril de 2020, a partir de iniciativas que incluem programa de licença não-remunerada e redução salarial de 50% para os membros do comitê executivo e de 25% para gerentes.

A Gol vai encolher mais que a Azul, pois também reduzirá, entre 28 de março e 3 de maio, a malha aérea para 50 voos diários, tendo Guarulhos como hub, com atendimento a todas as capitais brasileiras. As operações regionais e internacionais regulares serão suspensas, com possibilidade de voos extras para atender eventuais demandas específicas. A nova malha resulta na redução da oferta da Gol de aproximadamente 92% nos mercados domésticos e 100% nos internacionais.

 

Moura Dubeux já é negociada a R$ 4,62

Em meados de fevereiro foi realizado o esquisito OPA das ações da construtora e incorporadora Moura Dubeux, uma das maiores empresas endividadas do Nordeste. Apesar dos títulos serem negociados na faixa mínima, que foi R$ 16 (que era muito elevado para as suas condições), no segundo pregão negócios, os interessados para se livrarem dessa posição deram uma puxada levando a cotação a R$ 18. Um mês depois, a cotação está em R$ 4,62 e assim mesmo por que houve uma valorização de mais de 7% por causa da apresentação dos resultados. Aliás, esse lançamento deve ser examinado com carinho pela Comissão de Valores Mobiliários. Nos pífios números apresentados, consta que o Valor Geral de Vendas dos lançamentos sofreu redução de 70,1% no quarto trimestre e foi R$ 83,6 milhões. No exercício, o VGV chegou a R$ 282 milhões, com o minúsculo crescimento de 1,2% em relação ao anterior.

 

Gerdau para produção em Argentina e Peru

Na Argentina e no Peru, a siderúrgica Gerdau interrompeu todas as suas atividades, pois os governos desses países declararam calamidade pública e quarentena. No Brasil, no entanto, só está respeitando a saúde dos seus funcionários nos estados que implantaram a quarentena.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor