Congresso aprova verba para evitar vexame na ONU

Brasil está ameaçado de perder direito a voto por causa de uma dívida de US$ 390 milhões.

Os senadores aprovaram, na tarde desta quinta-feira, em sessão do Congresso Nacional, o projeto de lei que libera crédito suplementar de cerca de R$ 3,3 bilhões para vários ministérios e para o pagamento de pendências com organismos internacionais (PLN 29/2020). O texto já havia sido aprovado mais cedo pelos deputados federais (na primeira parte da sessão do Congresso) e segue para sanção da Presidência da República.

Aprovado na forma do substitutivo do deputado federal Domingos Neto (PSD-CE), contém a previsão do Poder Executivo para quitar R$ 917 milhões em dívidas com organismos internacionais. Desse valor, 67% vão para a Organização das Nações Unidas (ONU).

O Brasil está ameaçado de perder o direito a voto na ONU se não pagar até o fim deste mês ao menos US$ 113,5 milhões de uma dívida acumulada de US$ 390 milhões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Manguinhos e Ambev lideram dívidas ao Fisco estadual

Estudo da Fenafisco aponta que os maiores devedores também recebem isenções fiscais em suas áreas de atuação.

Receita Federal abre consulta a lote residual de Imposto de Renda

A Receita Federal abriu nesta última sexta-feira consulta a lote residual de restituição do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) relativo ao mês...

SUS gastou R$ 3 bi com acidentes de trânsito em 10 anos

O Brasil registrou 27.839 indenizações pagas por acidente de trânsito com vítimas fatais entre janeiro e outubro de 2020. Os números mostram que, a...

Últimas Notícias

Rede estadual de ensino retorna a aulas 100% presenciais

No ano passado, as aulas foram remotas por causa da Covid; na rede municipal da capital, retorno sem rodízio de alunos começou no dia 18.

Manguinhos e Ambev lideram dívidas ao Fisco estadual

Estudo da Fenafisco aponta que os maiores devedores também recebem isenções fiscais em suas áreas de atuação.

Investidores monitoram Campos Neto

Mercados externos negociam, em sua maioria, no positivo; na Europa é aguardada a decisão de política monetária do BCE.

Semana começa com estresse pós-traumático

Na sexta, mercados domésticos ficaram por conta da sensação de desmanche da equipe econômica de Paulo Guedes.

Reforma da Previdência desestimulou contribuição

Por Isabela Brisola.