Conhecimento na lata do lixo

O número de títulos de mestrado e doutorado cresceu 379% e 486%, respectivamente, entre 1996 e 2014, no Brasil, revela estudo divulgado pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) na 68ª Reunião Anual da SBPC, em Porto Seguro, Bahia. Mesmo com o avanço, o Brasil aparece em antepenúltimo lugar em um ranking de 37 países. De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), no Brasil são apenas 7,6 doutores para cada grupo de 100 mil habitantes. Apenas o México (4,2) e o Chile (3,4) tiveram desempenho inferior ao do Brasil nesta lista.

O avanço pode ser jogado no lixo. Matéria do site da Anped (www.anped.org.br) denuncia que, pela nova metodologia estabelecida pela Capes, o custeio dos programas de pós-graduação (PPGs), por intermédio do Programa de Apoio à Pós-Graduação (Proap), será baseado na mediana de alunos matriculados nos programas de todas as áreas no país. Conforme cálculos da coordenadora do PPGs em Educação da UFMG, professora Maria Conceição Ferreira, “na prática, os valores que nos serão concedidos por aluno não chegam a um terço dos valores concedidos por aluno a programas menores”. Segundo Andrea Gouveia, presidente da Anped, “a área de Educação é grande e tende, com as metas do PNE, a crescer, pois temos um compromisso republicano expresso na meta 17 de formar pelo menos 50% dos professores da Educação Básica na pós graduação. Assim, uma distribuição de recursos que não considera esta característica vai frontalmente contra o PNE”.

Segundo o diretor do CGEE, Antônio Galvão, a pulverização dos programas de mestrado e doutorado criou as condições necessárias para o desenvolvimento de outras regiões do país. Quanto maior o conhecimento, maior o potencial de geração de riquezas para o país, afirmou Galvão, ao detalhar o estudo.

Quando se muda isso, muda-se a qualidade dos empregos das pessoas, porque eles [pós-graduados, mestres e doutores] vão fazer tarefas mais complexas, ter atividades e empreendimentos de maior densidade técnico-científica, que remuneram melhor, que pagam melhores salários. Todo o processo de desenvolvimento real é baseado em conhecimento. Este é o grande segredo, e é o que a pesquisa está mostrando”, afirmou.

No escuro

Nesta sexta-feira entra em vigor a lei que obriga a utilização de farol baixo nas rodovias durante o dia qualquer tipo de veículo. Não se vê, porém, campanhas educativas dos governos orientando os motoristas sobre a mudança; nem sinalizações indicando onde o uso é obrigatório (em estradas que cortam cidades, por exemplo, é exigido?).

Pelo menos a CCR ViaOeste, concessionária que administra o Sistema Castello-Raposo, e a CCR RodoAnel, responsável pelo Trecho Oeste do Rodoanel, vão exibir mensagens educativas e de orientação durante todo o mês nos painéis eletrônicos instalados nas rodovias.

Quem descumprir a medida cometerá uma infração média, com multa de R$ 85,13 e quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Mídia brasileira

O prefeito Eduardo Paes conseguiu dar uma entrevista a Carlos Alberto Sardenberg, na rádio CBN, se gabando sobre as obras para as Olimpíadas sem tocar – até porque não lhe foi perguntado – na queda da ciclovia da Av. Niemeyer, que deixou como “legado” dois mortos.

Mídia estrangeira

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ficou em saia justa – pode-se dizer saias justas – em entrevista à Al Jazeera. O entrevistador foi menos dócil que aqueles aos quais FHC está acostumado no Brasil e lascou perguntas sobre quem pagava a pensão da ex-amante, sobre os US$ 300 milhões por ano de “pedaladas” durante o governo tucano e se Fernando Henrique não via ironia no fato de que os líderes da deposição de Dilma Rousseff sejam acusados de corrupção. Entre um gaguejo e outro, o ex-presidente acabou admitindo que Dilma não cometeu crime “no sentido penal”.

Somos

A pintora Rose Nobre participará da coletiva Somos, na Galeria Oko Arte Contemporânea. A exposição reunirá obras de 18 artistas, todos alunos da professora Lia do Rio. A mostra ficará na Oko de 9 a 17 de julho (Shopping Citta America, Av. das Américas, 700, 2º andar, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ).

Porta giratória

Ex-diretor de Política Econômica do Banco Central (BC), Mário Mesquita é o novo economista-chefe do Itaú Unibanco, no lugar de Ilan Goldfajn, que deixou a instituição privada para presidir – sem quarentena – o Banco Central no governo interino de Michel Temer. Mesquita foi diretor do BC entre junho de 2006 e março de 2010, durante a presidência de Henrique Meirelles

Rápidas

Antonio Freitas, pró-reitor da FGV, foi nomeado para Câmara de Educação Superior, vinculado ao Conselho Nacional de Educação (CNE). O órgão atua na busca de alternativas e mecanismos que possibilitem o desenvolvimento, aprimoramento e consolidação da educação nacional de qualidade. A posse acontece dia 13 de julho, em Brasília *** Estão abertas as inscrições para o projeto Vida Leve, do Shopping Jardim Guadalupe (RJ), que oferece ginástica matinal gratuita para idosos. Informações pelo telefone (21) 3512-9100.

Artigo anteriorCusto ortodoxo
Próximo artigoSilêncio vale ouro
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

Dois mitos sobre a Petrobras

Mídia acionada pelo mercado financeiro abusa de expedientes que ataca quando usados por bolsonaristas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Presidente do Banco do Brasil joga a toalha

Centrão tem interesse no cargo.

Imóveis comerciais tiveram estabilidade em janeiro

Nos últimos 12 meses, entretanto, preços de venda e locação do segmento acumulam quedas de 1,32% e 1,18%, respectivamente.

Contas públicas têm superávit de R$ 58,4 bilhões em janeiro

Dívida bruta atinge 89,7% do PIB, o maior percentual da história.

Presidente do Inep é exonerado do cargo

Medida foi publicada no Diário Oficial de hoje; até o momento, não foi anunciado o nome de quem o substituirá.

Primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um ano

Brasil tem novo recorde de mortes diárias, diz Fiocruz; boletim informa que houve ontem 1.148 mortes.