Conjuntura mundial ajuda, governo atrapalha

A manufatura global manteve uma expansão rápida em outubro, de acordo com um novo indicador compilado pela Federação...

A manufatura global manteve uma expansão rápida em outubro, de acordo com um novo indicador compilado pela Federação Chinesa de Logísticas e Compras. O Índice de Gerentes de Compras (PMI, em inglês) da Manufatura Global ficou em 55,1 no mês passado, uma queda em relação a 55,9 em setembro mas ainda em um nível relativamente alto, acima dos 53,5 registrados no início do ano, informou a federação à agência de notícias Xinhua. Atualmente, cerca de 50 países e regiões emitem dados do PMI, respondendo por 90% da produção econômica global.

O índice mostra uma forte recuperação do setor manufatureiro nos países desenvolvidos, acelerando a modernização industrial nas economias de mercado emergente e aumentando os preços de commodities no mercado global, disse um comunicado da federação. E permite analisar o que acontece no Brasil, que vem experimentando leve melhora econômica. Um dos fatores, como registrado pelo PMI, é a alta dos preços das commodities, que tem levado a recordes na balança comercial brasileira. Ou seja, o Governo Temer tenta pegar carona na conjuntura mundial favorável, mas acaba atrapalhando, ao adotar políticas restritivas, como no BNDES. Convenhamos, 0,5% de alta do PIB não chega a ser atestado de capacidade.

Outro fator que beneficia a economia brasileira é a queda da inflação. Mas esqueça os efeitos de uma “política monetária austera” (até porque, veremos adiante, isso não ocorre). O que houve foi a queda dos preços agrícolas e redução nos aumentos da energia elétrica em função do fim da grande seca que assolou o país por dois anos. Além disso, a retração da cotação do dólar ajudou a segurar preços, inclusive os das commodities em alta. Um terceiro fator que ajuda o país a não afundar ainda mais no buraco é a adoção de políticas heterodoxas – justamente o oposto do que a equipe econômica acredita. Neste campo, está a liberação de dinheiro retido no FGTS para aumentar o consumo. Os gigantescos déficits fiscais, ainda que não tenham sido adotados para estimular a economia, acabam trazendo efeitos positivos.

Mas há nuvens pesadas no horizonte. Os preços dos combustíveis ameaçam a inflação, a energia elétrica voltou a ficar mais cara, a safra terá queda, e, por último, mas não menos importante, o engessamento do Orçamento, tudo isso ameaça até o voo de galinha.

 

Efeito contrário

O baixo comparecimento de parlamentares ao jantar que o golpista Michel Temer ofereceu para reunir economistas adeptos do arrocho fiscal para falarem a deputados federais e tentar convencê-los que a reforma da Previdência Social seria imprescindível pode ter efeito contrário ao que desejam os apoiadores da mudança. A grande ausência em relação ao esperado pode ajudar a oposição até mesmo em outras frentes além de aposentadorias e pensões. Resta saber se o chamado campo progressista saberá aproveitar o verdadeiro presente que recebeu.

 

O tempo passa

Manchete do MONITOR de terça-feira, 19 de dezembro de 1989: “Vitória de Collor anima bolsas e faz dólar e ouro caírem”.

 

Mas nem tudo muda

Chamada da revista norte-americana Forbes: “Mercado não ficará satisfeito se Lula se tornar presidente do Brasil novamente”.

 

Rápidas

A FGV realiza no próximo dia 28, em parceria com o Observatório das Migrações Internacionais (OBMigra), da UnB, o seminário Política e Gestão da Migração: Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento do Brasil. Inscrições: www.fgv.br/eventos/?P_EVENTO=3597&P_IDIOMA=0 *** Entre 26 e 29 de novembro, o advogado Paulo Parente Marques Mendes, sócio do escritório Di Blasi, Parente & Associados, participa da 20ª edição da ASIPI – Associação Interamericana da Propriedade Intelectual (http://asipi.org/panama2017) *** Arthur Virgílio, prefeito de Manaus, faz palestra sobre políticas públicas dia 7, às 11h, na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) *** Um show com Sam Alves, vencedor da edição 2013 do The Voice Brasil, vai marcar as comemorações do nono aniversário do Caxias Shopping (RJ), em 30 de novembro, às 19h *** Pensar a educação de uma nova forma é a meta do Colabore, evento promovido pelo Centro Universitário Celso Lisboa que acontecerá no dia 4, no Teatro Eva Herz da Livraria Cultura, no Centro do Rio, a partir das 13h30 *** A Basf lança seu programa de estágio de férias, em São Paulo. Inscrições até o dia 30 pelo site https://recrutamento.ciadeestagios.com.br/basf/#programas

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Confiança de serviços recupera parte da queda de setembro

Já índice de confiança do comércio se mantém estável em outubro, ficando em 94,2 pontos, após dois meses de queda.

Mercados operam mistos no exterior

No Brasil haverá resposta ao Copom.

Elevação na Selic deve repercutir no mercado

EUA: divulgação de PIB do terceiro trimestre e balanços de grandes empresas são o foco das atenções no cenário internacional.

TSE forma maioria contra cassação da chapa Bolsonaro-Mourão

PT, PCdoB e PROS pedem cassação da chapa por cometimento de abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação.

IGP-M acumula inflação de 21,73% em 12 meses

Alta da taxa de setembro para outubro foi puxada pelos preços no atacado.