Conjuntura mundial ajuda, governo atrapalha

A manufatura global manteve uma expansão rápida em outubro, de acordo com um novo indicador compilado pela Federação Chinesa de Logísticas e Compras. O Índice de Gerentes de Compras (PMI, em inglês) da Manufatura Global ficou em 55,1 no mês passado, uma queda em relação a 55,9 em setembro mas ainda em um nível relativamente alto, acima dos 53,5 registrados no início do ano, informou a federação à agência de notícias Xinhua. Atualmente, cerca de 50 países e regiões emitem dados do PMI, respondendo por 90% da produção econômica global.

O índice mostra uma forte recuperação do setor manufatureiro nos países desenvolvidos, acelerando a modernização industrial nas economias de mercado emergente e aumentando os preços de commodities no mercado global, disse um comunicado da federação. E permite analisar o que acontece no Brasil, que vem experimentando leve melhora econômica. Um dos fatores, como registrado pelo PMI, é a alta dos preços das commodities, que tem levado a recordes na balança comercial brasileira. Ou seja, o Governo Temer tenta pegar carona na conjuntura mundial favorável, mas acaba atrapalhando, ao adotar políticas restritivas, como no BNDES. Convenhamos, 0,5% de alta do PIB não chega a ser atestado de capacidade.

Outro fator que beneficia a economia brasileira é a queda da inflação. Mas esqueça os efeitos de uma “política monetária austera” (até porque, veremos adiante, isso não ocorre). O que houve foi a queda dos preços agrícolas e redução nos aumentos da energia elétrica em função do fim da grande seca que assolou o país por dois anos. Além disso, a retração da cotação do dólar ajudou a segurar preços, inclusive os das commodities em alta. Um terceiro fator que ajuda o país a não afundar ainda mais no buraco é a adoção de políticas heterodoxas – justamente o oposto do que a equipe econômica acredita. Neste campo, está a liberação de dinheiro retido no FGTS para aumentar o consumo. Os gigantescos déficits fiscais, ainda que não tenham sido adotados para estimular a economia, acabam trazendo efeitos positivos.

Mas há nuvens pesadas no horizonte. Os preços dos combustíveis ameaçam a inflação, a energia elétrica voltou a ficar mais cara, a safra terá queda, e, por último, mas não menos importante, o engessamento do Orçamento, tudo isso ameaça até o voo de galinha.

 

Efeito contrário

O baixo comparecimento de parlamentares ao jantar que o golpista Michel Temer ofereceu para reunir economistas adeptos do arrocho fiscal para falarem a deputados federais e tentar convencê-los que a reforma da Previdência Social seria imprescindível pode ter efeito contrário ao que desejam os apoiadores da mudança. A grande ausência em relação ao esperado pode ajudar a oposição até mesmo em outras frentes além de aposentadorias e pensões. Resta saber se o chamado campo progressista saberá aproveitar o verdadeiro presente que recebeu.

 

O tempo passa

Manchete do MONITOR de terça-feira, 19 de dezembro de 1989: “Vitória de Collor anima bolsas e faz dólar e ouro caírem”.

 

Mas nem tudo muda

Chamada da revista norte-americana Forbes: “Mercado não ficará satisfeito se Lula se tornar presidente do Brasil novamente”.

 

Rápidas

A FGV realiza no próximo dia 28, em parceria com o Observatório das Migrações Internacionais (OBMigra), da UnB, o seminário Política e Gestão da Migração: Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento do Brasil. Inscrições: www.fgv.br/eventos/?P_EVENTO=3597&P_IDIOMA=0 *** Entre 26 e 29 de novembro, o advogado Paulo Parente Marques Mendes, sócio do escritório Di Blasi, Parente & Associados, participa da 20ª edição da ASIPI – Associação Interamericana da Propriedade Intelectual (http://asipi.org/panama2017) *** Arthur Virgílio, prefeito de Manaus, faz palestra sobre políticas públicas dia 7, às 11h, na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) *** Um show com Sam Alves, vencedor da edição 2013 do The Voice Brasil, vai marcar as comemorações do nono aniversário do Caxias Shopping (RJ), em 30 de novembro, às 19h *** Pensar a educação de uma nova forma é a meta do Colabore, evento promovido pelo Centro Universitário Celso Lisboa que acontecerá no dia 4, no Teatro Eva Herz da Livraria Cultura, no Centro do Rio, a partir das 13h30 *** A Basf lança seu programa de estágio de férias, em São Paulo. Inscrições até o dia 30 pelo site https://recrutamento.ciadeestagios.com.br/basf/#programas

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Juntar 2 meses e meio de auxílio para comprar cesta básica

Não só a pandemia, mas inflação é ameaça às pretensões de Bolsonaro.

Se mirar Nordeste, Bolsonaro atingirá o próprio pé

Região tem menor média de casos e óbitos causados pela Covid.

Neodefensores do trabalhador ignoraram crise

Desemprego já era estratosférico em 2019, e apoiadores de Guedes nem ligavam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Campos marítimos do pós-sal estão em decadência

Os campos marítimos do pós-sal já produziram cerca de 16 bilhões de barris de óleo equivalente ao longo de sua história, ou seja, 63%...

Motoboys protestam em São Paulo

Entregadores tomaram ruas de São Paulo contra baixa remuneração e péssimas condições de trabalho

BC altera norma para segunda fase do open banking

Medida complementa regulamentação que estabelece requisitos técnicos de fase que vai permitir compartilhamento de dados e transações de clientes.

Confiança do consumidor medida por Michigan ficou abaixo do esperado

Índice registrou leitura de 86,5 na prévia de abril e o esperado era 89.

Escolha de conselheiros da ANPD preocupa por conflito de interesses

Entre os indicados há diretores e encarregados de dados pessoais de grandes empresas da internet.