Construção de porto de livre comércio de Hainan avança constantemente

Progressos constantes foram feitos na transformação da província insular chinesa de Hainan em um porto de livre comércio, de acordo com o Comitê Provincial de Hainan do Partido Comunista da China.

Foto aérea tirada em 5 de setembro de 2021 mostra a cidade de Haikou, Província de Hainan, sul da China. (Xinhua/Guo Cheng)

Xinhua - Silk Road

  Haikou, 13 jul (Xinhua) — Progressos constantes foram feitos na transformação da província insular chinesa de Hainan em um porto de livre comércio, de acordo com o Comitê Provincial de Hainan do Partido Comunista da China.

   Como uma das principais medidas de abertura do país na nova era, a China pretende transformar toda a Ilha de Hainan em um porto de livre comércio globalmente influente e de alto nível até meados do século.

   O impulso de abertura mais ampla está gerando resultados visíveis. O número de entidades de mercado registradas em Hainan aumentou de menos de 310 mil em 2013 para mais de 1,98 milhão, com a taxa de crescimento ficando em primeiro lugar no país por 28 meses consecutivos.

   Shen Xiaoming, chefe do Partido em Hainan, disse em coletiva de imprensa nesta segunda-feira que, nos últimos dois anos, mais de 180 políticas e medidas entraram em vigor em Hainan para facilitar o comércio e o investimento.

   Segundo Shen, a taxa média de crescimento anual de novas entidades de mercado em Hainan nos últimos anos chegou a 40%. Enquanto isso, a utilização real do investimento estrangeiro na província cresceu a uma taxa anual média de 80%, e o número de empresas estrangeiras introduzidas na ilha cresceu a uma taxa média anual de quase 120%.

   O ambiente de negócios favorável produzido pelo aprofundamento da reforma e da abertura aumentou a atratividade da Hainan para talentos e investimentos. Desde 2018, a província introduziu mais de 400 mil pessoas altamente qualificadas, um aumento de quase 10 vezes em relação aos quatro anos anteriores.

   A transformação e a atualização econômica de Hainan também alcançaram resultados notáveis nos últimos dois anos. Turismo, serviços modernos, tecnologia de ponta e agricultura de alta eficiência com características tropicais tornaram-se as quatro principais indústrias da ilha.

   De acordo com um plano divulgado pelas autoridades centrais em 2020, o porto de livre comércio de Hainan está programado para iniciar operações aduaneiras independentes até 2025. Fim

Leia também:

Aeroporto de Harbin bate novo recorde de frete de cargas para a Rússia

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Investidores favorecem ETFs médicos em meio a flutuações de mercado

As ações dos fundos negociados em bolsa (ETFs) médicos da China se recuperaram recentemente a favor da compra dos investidores, apesar do seu desempenho fraco em geral, informou Xinhua Finance nesta quarta-feira.

Baidu da China operará taxis autônomos em duas cidades

A gigante chinesa de tecnologia Baidu obteve a permissão para operar comercialmente táxis totalmente autônomos em vias públicas nas cidades de Wuhan e Chongqing.

SF Supply Chain fortalece a cooperação com o Grupo Michelin

A SF Supply Chain, o provedor líder de serviços de cadeia de suprimentos na China, anunciou recentemente que fornecerá soluções integradas e inovadoras de cadeia de suprimentos ao fabricante francês de pneus, Michelin Group, para fortalecer ainda mais a cooperação de cinco anos entre os dois lados, informou o comnews.cn nesta terça-feira.

Últimas Notícias

Burocracia bancária faz sete em cada 10 brasileiros perderem dinheiro

Já Pix alcança o segundo lugar no ranking de meios de pagamento aceitos pelo comércio eletrônico.

‘Americano’?

Por Eduardo Marinho.

Jô Soares, eterno em nossos corações e mentes

Por Paulo Alonso.

Microcrédito para taxistas será votado na terça

Projeto de André Ceciliano abre linha de até R$ 80 mil para renovar frota.

Safra de grãos deve ser de 271,4 milhões de t em 2021/22

Levantamento é da Conab; já queda nas safras leva à retração da Região Sul no primeiro trimestre.