Consumidor não tem o que comemorar

A Semana do Consumidor passou, com promoções duvidosas e campanhas idem. Em um momento em que as grandes redes varejistas se lançam como marketplaces na internet, o cliente espera poder fazer suas compras com a tranquilidade e garantia de um nome conhecido. Mas há poucas esperanças de que ocorra dessa forma. Um amigo da coluna relata que comprou um HD externo na Americanas do Botafogo Praia Shopping, no Rio de Janeiro (nem foi na loja virtual). Um ano e pouco depois, o produto deu defeito; como tem dois anos de garantia, o consumidor entrou em contato com o fabricante para a troca. Para sua surpresa, recebeu a seguinte resposta da Western Digital: “Conforme falámos (sic), após a verificação da nossa equipa superior, o disco que nos enviou as fotos WD Elements, S/N: xxxx e P/N xxx, não é reconhecido no nosso sistema como uma unidade válida e por esta razão não iremos poder prestar o serviço de garantia. Por esta razão, aconselhamos o senhor a tentar fazer uma reclamação e uma eventual troca do seu equipamento junto do local de venda.”

Não é um caso isolado. Uma rápida busca no site Reclame Aqui traz 30 reclamações de consumidores alegando terem comprado produtos falsos. A resposta da Americanas é quase padrão: “Como seu produto é vendido e entregue pelo nosso parceiro, realizarei contato com o setor responsável para verificar o ocorrido.” Promete voltar a fazer contato – o que não acontece. A coluna procurou a empresa. A resposta: “Lojas Americanas cumpre rigorosamente a legislação em vigor e, se porventura identificar anomalias no processo, toma medidas como o descredenciamento imediato do fornecedor.” E nada mais.

 

Fake

Na semana passada, a coluna publicou série de três notas sobre como se fabricam fake news. A origem do número falso sobre a “fuga” de venezuelanos, a ONG norte-americana Brookings Institution, foi contatada. Até hoje não enviou resposta.

 

No tom

Registrado desde 2008, o Sindicato dos Músicos Cariocas (SindMPMRJ) conseguiu na Justiça, em fevereiro de 2018, a legitimidade para representar a categoria dos músicos profissionais do município. O advogado da Gouvêa Advogados, Gabriel Vianna, explicou que “o Sindicato dos Músicos Cariocas adveio do próprio Sindicato Estadual, que foi desmembrado pela maioria esmagadora de votos dos músicos sindicalizados, sendo, portanto, legítima a sua constituição”.

 

Bote

O Leão esteve com fome em 2017. Segundo levantamento da Thomson Reuters, com base em dados divulgados pela Receita Federal em 15 de fevereiro, os principais setores da economia, como a indústria e o comércio, encerraram o ano com picos de autuações.

No comércio, o crescimento das autuações foi de 137%, considerando a evolução dos R$ 8,6 bilhões em 2016 para R$ 20,4 bilhões em 2017. Na indústria, a alta acumulada foi de 93,5%, com R$ 107,4 bilhões em multas no ano passado ante R$ 55,5 bilhões em recuperações tributárias em 2016. No setor financeiro o crescimento foi menor, de 47,6%, mas ainda expressivo. Em 2016, as recuperações tributárias do setor somaram R$ 10,5 bilhões e, em 2017, foram alçadas a R$ 15,2 bilhões.

Em 2018 o foco das operações da Receita Federal deve atingir mais bebidas, cigarros e combustíveis, além dos fundos de pensão, reorganizações societárias e repatriação de ativos. Estima-se algo como R$ 150 bilhões em autuações para o período, em todos os setores econômicos”, conta Carlos Nascimento, gerente de Produtos Fiscais da Thomson Reuters Brasil. Menos que no ano passado, quando as autuações somaram R$ 205 bilhões.

 

Rápidas

Entre 22 e 24 de março, a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro (SBACV-RJ) realiza o XXXII Encontro de Angiologia e de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro. O evento será no Hotel Pullman, em São Conrado *** A Associação Ibero-Americana de GLP (AIGLP) realizará no Rio de Janeiro o seu 33º congresso, que acontece anualmente e sempre no Brasil em anos pares. Será dias 22 e 23 de março, no Hotel Windsor, na Barra da Tijuca. Inscrições: www.aiglp.org/aiglp2018/ *** A FGV Eesp realiza nesta terça-feira, às 11h, debate sobre a importância da reforma no setor elétrico brasileiro, com Daniel Monte (FGV Eesp), Rodrigo Moita (Insper) e Richard Hochstetler (Instituto Ascende Brasil). O evento é o quinto da série “Proposta de Reformas para Destravar o Brasil”. Veja mais em http://eesp.fgv.br/

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Se mirar Nordeste, Bolsonaro atingirá o próprio pé

Região tem menor média de casos e óbitos causados pela Covid.

Neodefensores do trabalhador ignoraram crise

Desemprego já era estratosférico em 2019, e apoiadores de Guedes nem ligavam.

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

BC altera norma para segunda fase do open banking

Medida complementa regulamentação que estabelece requisitos técnicos de fase que vai permitir compartilhamento de dados e transações de clientes.

Confiança do consumidor medida por Michigan ficou abaixo do esperado

Índice registrou leitura de 86,5 na prévia de abril e o esperado era 89.

Escolha de conselheiros da ANPD preocupa por conflito de interesses

Entre os indicados há diretores e encarregados de dados pessoais de grandes empresas da internet.

Exterior abre em alta e futuros no Brasil operam com cautela

China atinge crescimento de 18,3%; na Europa, Índice de Preços ao Consumidor amplo de março teve avanço de 1,3% ao ano.

Estaleiro de SC investe meio milhão em linha de produção exclusiva

Estaleiro irá entregar até quatro vezes mais rápido e atender à crescente procura por embarcações novas.