Contra a globalização

Tal como Donald Trump, nos Estados Unidos, Marine Le Pen é mais odiada por setores das finanças, através de seus difusores nas mídias, do que pelas suas propostas. A recusa em comprar uma briga com a Rússia é um exemplo que une a candidata francesa ao presidente norte-americano. A globalização financeira, outro pilar das oligarquias, é outro alvo frequente das investidas de Le Pen. Para ela, a globalização “se transformou numa ideologia sem quaisquer limites”, o que está “reintroduzindo as nações [os Estados nacionais] de volta ao debate”. “Nações com fronteiras que controlamos, com pessoas às quais ouvimos, com economias reais, não economias de Wall Street, mas com fábricas e agricultores. E isto vai contra essa globalização desregulada e selvagem… uma catástrofe para a maioria”, disparou em entrevista semana passada.

Mesmo satanizada, ainda é mais aceita que o candidato do Partido Socialista, Benoît Hamon. Da ala mais à esquerda, defensor de ideias originais, tido como (olha a comparação com os EUA novamente) o Bernie Sanders da França, Hamon e os socialistas foram limados dos noticiários. Após o direitista François Fillon cair em desgraça por revelações do cabide de empregos que promoveu em família, as esperanças da banca, reverberadas pela mídia, recaem sobre Emmanuel Macron, tecnocrata financista, apresentado como centrista – talvez o mais radical defensor dos interesses financeiros na corrida presidencial.

Oposição em casa

A reforma da Previdência vem colecionando mais deserções na base governista. O deputado federal Major Olimpio (Solidariedade) fez questão de divulgar que “a Proposta de Emenda Constitucional 287 é a PEC do extermínio do trabalhador e do servidor público”.

O deputado concorda com a oposição em que “o tal rombo é uma enorme mentira. Essa mentira já foi desmascarada pela Anfip (Associação Nacional dos Fiscais da Receita Federal), que demonstrou que a Previdência é superavitária, e que grande parte do rombo se deve a renúncias fiscais, ou seja, isenção de impostos ou contribuições dadas pelo governo a empresas, fazendo com que os recursos previstos em lei para dar suporte aos gastos da Previdência, saúde e assistência social, não sejam arrecadados”.

Para não deixar dúvidas, ressalta que denunciou “o fato de o secretário da Previdência (Marcelo Caetano), que foi quem redigiu essa PEC, ocupar cargo no Conselho da Administração da BrasilPrev, previdência privada, recebendo remuneração por tal cargo e utilizando o cargo público que ocupa para favorecer interesses privados.”

Partido de Paulinho da Força, o Solidariedade é da base de Temer, mas se afasta por uma questão de sobrevivência (junto à base sindical) e pela insuficiência de cargos no primeiro escalão.

Novos canais

A Questor Sistemas Inteligentes, da área de contabilidade fiscal, almeja um incremento de 30% nos negócios em 2017 e espera alcançar um faturamento de R$ 135 milhões até 2020. Como parte do planejamento, vai ampliar os canais parceiros da companhia em todo o país. Atualmente, a empresa possui 62 revendedores. De acordo com Jean Pitz, diretor de Negócios e Canais, o plano é homologar dez unidades por ano até 2020, sendo cinco na região Sudeste. Os locais prioritários são a Zona da Mata, em Minas Gerais, e o Estado do Rio de Janeiro.

Rápidas

O IAG – Escola de Negócios da PUC-Rio realiza, em 22 de março, às 19h30, a mesa-redonda “Desafios e oportunidades do International Financial Reporting Standard (IFRS): Por que os gestores precisam conhecer esta norma contábil?”, com o presidente da CVM, Leonardo Pereira, do diretor executivo do Itaú-Unibanco, Alexsandro Broedel, entre outros. Inscrições: http://bit.ly/PalestraIFRS *** A Universidade Veiga de Almeida (UVA) vai realizar dia 16, no campus Tijuca, o Fórum sobre Doenças Raras, parte da Jornada Rara Rio 2017. De 3% a 5% da população brasileira sofre de mais de 200 doenças pouco conhecidas. A Jornada começa nesta terça, na Cinelândia, onde especialistas estarão a partir das 8h. Mais informações: [email protected] *** Estão abertas até 20 de março as inscrições para a primeira edição de 2017 do exame para obtenção do Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa (Celpe-Bras), único com reconhecimento oficial do governo brasileiro: http://celpebras.inep.gov.br/inscricao/ *** Entre 14 e 17 de março, o Carioca Shopping vai sediar o evento Semana Decorando com as Blogueiras, série de palestras sobre decoração no espaço Casa Carioca, sempre às 18h *** Os rumos da política monetária no Brasil e no mundo desenvolvido serão tema de debate no Terceiro Seminário Anual de Política Monetária de 2017, realizado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre). O evento, que será realizado em 17 de março, trará ao Rio o professor da Pontifícia Universidade Católica do Chile, Klaus Schmidt-Hebbel. Informações: portalibre.fgv.br

Artigo anteriorA utopia canadense
Próximo artigoTorture os números
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Chile, Paraguai, Colômbia… e o Brasil?

Crises políticas e sociais nos países vizinhos acendem alerta.

Na pandemia, BNDES vendeu ações que agora valem o dobro

Em nove meses, banco perdeu R$ 8 bi só em 1 operação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Conteúdo online voltado para o ensino e para ganhar dinheiro

Cada vez é mais possível aproveitar o conteúdo online para avanços desde a fluência do inglês das crianças a até aprender a operar como trader na bolsa.

Queda de faturamento atinge 82% dos MEI

Em Minas, 60% dos microempreendedores individuais formalizados na pandemia abriram o negócio por oportunidade.

Inflação oficial fica em 0,31% em abril

Grupo com alta relevante no mês foi alimentação e bebidas (0,40%), devido ao comportamento de alguns itens.

Manhã de hoje é negativa em quase todo o mundo

Em Nova Iorque, Dow Jones e S&P futuros cediam 0,10% e 1,04%, respectivamente.

Projeção da Selic é de 5% no final deste ano

Para o ano que vem, analista projeta 6,5%, dado o alerta do Copom sobre o ritmo de normalização após reunião de junho.