Coronel tucano

O arrastado processo de cassação do mandato do deputado Hildebrando Pascoal (PFL-AC), apesar do volume de denúncias de que é alvo, revela mais sobre o caráter do governo FH que as racionalizações defensivas do presidente. Até os contínuos do Congresso comentam que a principal força de sustentação de Hildebrando estaria no governador do Amazonas, Amazonino Mendes (PFL). Com o principal lastro da base de sustentação tucana assentada no coronelismo regional – basta comparar sua votação nesses rincões com a que obteve nos grandes centros urbanos modernos – qualquer ameaça ao reinado de chefes pefelistas ou peemedebistas é uma poda no galho no qual ainda se equilibra o tucanato sem voto.
Como refundador da República Velha, FH sem o apoio de caciques atrasados, tal qual os ocupantes alçados ao Catete pela política do café com leite, seria um mero sociólogo à procura de nova aposentadoria precoce para continuar freqüentando os salões.

Maquiagem
O IBGE poderia aproveitar as modificações que introduziu no cálculo do IPCA para dar nomes aos bois e abandonar sofismas. É inexplicável, por exemplo, continuar apelidando de tarifas públicas alguns dos principais formadores da taxa de inflação. Com energia elétrica, comunicações, gás e combustíveis privatizados e sem qualquer regulamentação, seria mais lógico chamar esse conjunto de preços de “custo privatização”, “tarifas privatizadas” ou algo semelhante.
Maquiagem II
O IBGE também poderia renomear o incrível item “ônibus a distância”, que contribuiu com 4,21% no IPCA de julho. Com esse nome e com os aumentos da gasolina superando os 60% apenas este ano, mais parece referência ao ponto que separa o salário do usuário e o lucro das empresas de ônibus.

Finanças
Empresários que tentam se manter atualizados com as constantes mudanças na economia devem ficar atentos aos cursos de aperfeiçoamento que o Instituto de Estudos Financeiros está oferecendo: “Gestão Financeira da pequena e média empresa”, que se realizará nos dias 17, 18, 19, 23 e 24 de agosto; e “Gerência de Custos”, nos dias 13, 14, 15 e 16 de setembro. Todas as aulas serão no período noturno.

Futuro
Para o economista Carlos Tadeu de Freitas, do Ibmec, o que leva os bancos privados nacionais e estrangeiros a privilegiarem os títulos públicos e a retraírem a oferta de crédito não é a inadimplência presente, mas a futura. Isto é, já sabem pelo contexto macroeconômico recessivo que vão ganhar calote mais tarde. Exemplo disso são os juros no mercado futuro, a 26% ao ano. “Os bancos fazem operação casada: pegam no curto prazo e emprestam no longo. Isso só vai melhorar daqui há alguns anos, talvez em 2001, 2002”, sinaliza.

Reforço
O governador do Rio, Anthony Garotinho, e o secretário nacional Antidrogas, Walter Maierovitch, assinaram ontem, no Palácio Guanabara, protocolo de intenções que prevê o repasse para o governo estadual de 50% dos valores arrecadados em leilões de bens móveis, como automóveis e motos, apreendidos com traficantes. O estado também receberá repasse de 60% das quantias apreendidas com traficantes. Os recursos deverão ser aplicados nas polícias Civil e Militar e no combate ao tráfico de drogas.

Cálculos
Um dia depois de o diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), David Zylberzstajn, afirmar ser impossível estimar o aumento da produção de petróleo e quantificar a entrada em funcionamento dos novos postos para determinar o valor dos royalties que caberiam ao governo do Rio de Janeiro, o presidente da Petrobras, Henri Reischtul, deu a resposta. A produção de óleo, segundo ele, vai crescer 3,2% ao ano e chegar a 2,4 milhões de barris/dia em 2008.

Inventividade
Ah, se a imprensa “chapa branca” que trata o PDV do governo FH para os servidores como uma oportunidade ímpar de negócios tivesse o mesmo despreendimento na hora de coçar o próprio bolso para bancar as perdas com a desvalorização cambial. Nesse caso, o Proer do BNDES não passaria de uma quimera.

Atrás da notícia
A Associação dos Antigos Alunos da Escola de Comunicação (ECO) da Universidade Federal do Rio de Janeiro está fazendo um trabalho pouco valorizados na redações de hoje: apuração. Com 900 ex-alunos já cadastrados, a associação está pesquisando fichas e ligando para os ex-integrantes de todas as turmas da ECO. Segundo o presidente da associação, Sebastião Amoedo, o objetivo é cadastrar três mil ex-alunos.

Cautela
Projeto de lei incluindo a disciplina “Introdução à Comunicação de Massa” nos currículos do ensino básico e de segundo grau foi apresentado pelo senador Geraldo Cândido (PT-RJ). Os professores seriam jornalistas, publicitários, relações públicas e radialistas. Como a iniciativa, segundo o parlamentar, parte do princípio de que a mídia é fundamental para a compreensão da realidade, resta alertar para o fato de que a disciplina, se chegar às salas de aula, não pode se espelhar no trabalho da imprensa “chapa branca”, baseado na desinformação e na deformação.

Aduana
A Aduaneiras, especializada em comércio exterior, realiza, nos dias 19 e 20 de agosto, no Rio de Janeiro, o curso “Importação – Práticas e Normas Gerais”, ministrado pelo administrador de empresas e comércio exterior Selenir Martins. Entre os temas abordados, a classificação de mercadorias, Incoterms, afretamento, Siscomex, câmbio, transportes e seguros, drawback, barreiras à importação e acordos antidumping.

Paciência
Se a Prefeitura do Rio não pretende que as multas de trânsito funcionem apenas como uma máquina arrecadadora, deveria providenciar a sincronização dos sinais da cidade. É um verdadeiro teste de paciência andar de carro por algumas ruas, como a Praia do Flamengo, onde é quase impossível passar por dois sinais verdes seguidos, apesar de ser uma via de trânsito – teoricamente – rápido.

Racionamento
Moradores da Barra da Tijuca contestam as informações da Telemar de que milhares de linhas telefônicas já foram recuperadas e estão funcionado. Um usuário garante que, de cada 10 tentativas, só uma ligação é completada. Mas a alegria nesses raros momentos dura pouco: somente um minuto, duração máxima que se consegue antes da linha cair.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCaindo na real
Próximo artigoCálculos

Artigos Relacionados

Petroleiras ganham dinheiro no mercado, não com produção

Desde a década de 1980, companhias viraram empresas financeiras.

‘EUA do Mar’ seria considerado crime de lesa-pátria

Na terra de Biden, entregar navegação a estrangeiros é impensável.

Governo Bolsonaro não dá a mínima para a indústria

País perde empregos de qualidade e prejudica desenvolvimento.

Últimas Notícias

Lendas das small caps – market timing, recuperação e liquidez

O Monitor Mercantil publica a segunda parte do trabalho, iniciado no dia 18 de novembro, feito pela Trígono Capital sobre as sete lendas das...

Pesquisa mostra saúde financeira dos brasileiros

O brasileiro está “mais apertado” por conta da pandemia de Covid-19, com 6 em cada 10 pessoas reduzindo gastos neste período. E mais: 66%...

Recorde de retiradas líquidas da poupança: R$ 12,37 bi

O Banco Central (BC) informou, nesta segunda-feira, que as retiradas da caderneta de poupança superaram os depósitos em R$ 12,377 bilhões, em novembro. Essa...

Petrobras poderá se tornar uma empresa suja

A Petrobras anunciou no último dia 24 de novembro seu plano estratégico 2022-2026, com investimentos previstos de US$ 68 bilhões nos próximos 5 anos....

Empresas abertas na pandemia são 452% mais vulneráveis a fraudes

Com a chegada da pandemia e o aumento do desemprego, muitos brasileiros viram no empreendedorismo a oportunidade de conseguir uma renda mensal. A criação...