Correios estão no radar da privatização

O anúncio foi feito nesta quinta-feira pelo presidente Jair Bolsonaro.

Mercado Financeiro / 22:13 - 20 de fev de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Responsável pela execução do sistema de envio e entrega de correspondências no Brasil, os Correios também caminham para a privatização. O anúncio foi feito nesta quinta-feira pelo presidente Jair Bolsonaro, que também afirmou que a reforma administrativa, que ainda não foi encaminhada pelo governo ao Congresso, está “madura”.

Em evento no Palácio do Planalto de lançamento de crédito imobiliário com taxa fixa pela Caixa Econômica Federal, Bolsonaro também fez elogios ao ministro da Economia, Paulo Guedes.

O ministro tem pressionado pelo envio da reforma administrativa ao Legislativo, por considerá-la essencial para a recuperação da economia, mas uma fonte com conhecimento do assunto disse à Reuters que o encaminhamento da proposta foi adiado.

Atualmente, a legislação brasileira prevê o monopólio da ECT nos serviços de carta, cartão postal, correspondência agrupada e telegrama. Fundada em março de 1969, a empresa pública foi perdendo status nos últimos anos. Durante os anos 2000, novamente os Correios foram alvo de propostas de mudanças e modernização, retomando, em alguns aspectos, o que fora planejado na década de 1990. A empresa, ao longo dos anos 2000, esteve no epicentro do escândalo do “Mensalão” e apresentou problemas operacionais que foram divulgados como a “crise dos Correios”. Apesar disso, a estatal foi palco de diversas inovações em seus processos gerenciais e comerciais

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor