Corte nas dívidas para retomar consumo

Professor da UFRJ alerta que Brasil tem que se preparar para sair da pior crise da história.

Não se deve descartar uma queda na economia brasileira de até 10% este ano, embora o cenário mais provável gire em torno de uma retração de 6,5% em termos reais, haja vista o atual estágio de suspensão das principais atividades manufatureiras e de serviços não essenciais, analisa Roberto Ivo, professor da Escola Politécnica da UFRJ.

Mesmo o percentual menor seria a maior queda já vista na série histórica do PIB real brasileiro. Segundo dados do Ipea, em 1918, a economia chegou a encolher 2%, enquanto que no período da Grande Depressão, as quedas foram de 2,1% e 3,3% em 1930 e 1931. A retração em 2020 deve superar a de 1981, pré-moratória do México, quando a perda foi de 4,3%. No plano Collor, voltamos a experimentar este patamar, com 4,4% negativos. E, no caso mais recente, na gestão de Dilma Rousseff.

Essa crise, todavia, possui uma velocidade mais rápida de contaminação dos mercados, assim como um impacto mais forte na economia real, levando a decrescimentos nunca antes atingido pelo Brasil”, explicar Ivo, que faz algumas sugestões para reduzir o impacto neste ano e facilitar a recuperação nos seguintes.

Em relação às dívidas com bancos públicos, privados e instituições de crédito, ele propõe:

perdão da dívida de pessoas que ganham até dois salários mínimos;

quem ganha de dois a quatro salários mínimos deveria ter uma redução de 50% no saldo devedor atualizado;

entre quatro a seis salários mínimos, uma redução de 25%;

a taxa de juros para os saldos devedores reminiscentes deveria seguir valores ao redor do consignado.

Isso abriria uma margem para consumo diretamente na ponta, após o pico da pandemia, com uma contribuição significativa das instituições financeiras, cujos spreads nessas operações são elevados e poderão ser reduzidos com esse efeito de escalonamento de perdão e refinanciamento de dívida. Vale lembrar que a população bancarizada possui um endividamento médio na casa de 40% de seu orçamento anual, segundo dados do próprio Banco de Central.”

 

Dia do Trabalhador

As Centrais Sindicais realizarão as comemorações de 1º de Maio em formato de live, sob o lema: “Saúde, Emprego, Renda: um novo mundo é possível com solidariedade”, com direito a apresentações musicais a partir das 10h, intercaladas pelas mensagens dos presidentes das centrais e de convidados dos movimentos sindical e popular. Entre as atrações artísticas, nomes como Leci Brandão, o titã Paulo Miklos, Fábio Assunção e Gregório Duvivier.

 

Tem partido

O Doing Business é um tradicional estudo desenvolvido anualmente pelo Banco Mundial, quando são comparados os países em termos de facilidade na realização de negócios. Quem duvida do viés ideológico do levantamento pode mudar de ideia ao ler a avaliação sobre o trabalho informal no Brasil: “Nos últimos anos, a introdução de um salário mínimo mais elevado levou a um aumento de 39% na informalidade no mercado de trabalho.”

 

Parceria

A Korsa, corretora especialista em seguros corporativos, anunciou parceria internacional com a Malakut Insurance Brokers, maior empresa independente de corretagem de seguros e resseguros, com sede em Moscou e que movimenta mais de US$ 280 milhões em prêmios por ano.

 

A 36 por hora

Nesta quinta-feira, 30, a Amazon divulgará seu faturamento no trimestre. Impulsionado pelas compras em casa, a empresa deve faturar o equivalente a US$ 10 mil… por segundo. A bolada não a impede de pressionar e demitir trabalhadores que reclamam das condições na pandemia.

 

Rápidas

A Comissão Especial de Direito Tributário da OAB, presidida por Eduardo Maneira, solicitou ao Ministério da Economia o retorno da contagem de prazos nos processos que tramitam no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), a partir de maio *** “Retenção e Conquista de Clientes na Sociedade Digital” é o evento gratuito que o Ibef-Rio realizará nesta quarta-feira, às 16h. Detalhes aqui *** A Mitsubishi Electric tem novo presidente no Brasil: Hiroyuki Mizutani. Ele substitui Koji Miyashita, que retorna ao Japão *** A BSSP Centro Educacional, com sede em Goiânia, conquistou o selo GPTW. Para Leonardo Moraes, sócio-diretor, a categoria é muito significativa porque é uma certificação externa. “É uma forma de reconhecer um clima organizacional positivo. A gente preza pelo ambiente mais humano pensando nos colaboradores.”

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Copom elevou taxa de juros em 1% para 6,25% ao ano

Aguardamos agora a ata que será divulgada na próxima terça-feira para maiores informações sobre a trajetória da taxa Selic.

Alemanha escolhe sucessor de Merkel no próximo domingo

Eleições deverão ser as mais concorridas dos últimos anos; pesquisas indicam vitória do SPD, social-democrata.

Reajuste salarial fica abaixo da inflação em agosto

Fipe: não houve aumento mediano real como resultado de negociações nos últimos 12 meses; desde setembro, índice tem oscilado de -1,4% a zero.

Clima positivo no exterior deve beneficiar índice Bovespa

Mercado internacional opera no positivo motivado por noticiário sobre Evergrande.

Evergrande, Fed e Copom

Bovespa encerrou o segundo dia de alta com +1,84% e índice em 112.282 pontos, mas na máxima chegou a atingir 113.321 pontos.