Covid-19 é o argumento para Embraer promover mais demissões

Também serão elegíveis aposentados por tempo de serviço ou quem tiver 55 anos ou mais.

Mercado Financeiro / 23:00 - 31 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Por conta da crise gerada pela Covid-19 em todo o mundo e, em particular, na indústria aeronáutica, a Embraer nunciou que está conversando com os sindicatos a respeito de mais um plano de demissão voluntária. Desta vez, além dos colaboradores em licença remunerada, também serão elegíveis aposentados por tempo de serviço ou quem tiver 55 anos de idade ou mais. O período de adesão vai até o próximo dia 14.

A empresa informou que vem tomando uma série de medidas para proteger a saúde das pessoas e manter a continuidade dos negócios. Tanto assim, que para preservar os empregos já foram estabelecidas, desde o mês de março, medidas como implantação do trabalho remoto integral (home office), concessão de férias coletivas, suspensão temporária dos contratos de trabalho (lay-off), redução da jornada de trabalho e um PDV para um grupo de colaboradores que estava em licença remunerada.

A proposta de pacote de incentivo para quem aderir ao PDV inclui plano de saúde para o colaborador e dependentes até janeiro de 2021, auxílio-alimentação de R$ 450 mensais pelo mesmo período, apoio para recolocação no mercado, verbas rescisórias comuns a desligamentos sem justa causa e mais uma indenização de 10% do salário-base nominal por ano de empresa.

A companhia informa, também, vai continuar realizando todos os esforços necessários para minimizar o impacto da Covid-19 para as pessoas e garantir a adequação necessária da empresa diante da nova realidade do mercado de transporte aéreo global.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor