Covid-19: efeitos nas próximas décadas

É uma crise de saúde que só se vive uma vez por século e seus efeitos serão sentidos por décadas.

Conjuntura / 22:33 - 31 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

No momento em que a Organização Mundial da Saúde (OMS) indicava que o número de infectados pelo coronavírus ao redor do mundo subiu para 17.106.007 e que a quantidade de mortes confirmadas oficialmente chegava a 668.910, um aumento de 6.812 em relação às informações divulgadas no dia anterior, seu diretor-geral, Tedros Adhanom Ghebreyesus informava que os efeitos da Covid-19 continuarão “sendo sentidos nas próximas décadas”

Durante a quarta reunião do Comitê de Emergência nesta sexta-feira, seis meses depois do surgimento da pandemia, ele ressaltou que “essa pandemia é uma crise de saúde que só se vive uma vez por século e seus efeitos serão sentidos por décadas.”

 

Fiocruz alerta risco de ‘segunda onda’

O boletim Infogripe, produzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), indica que Rio de Janeiro, Amapá, Maranhão e Ceará podem apresentar uma “segunda onda” da doença, com tendência de retomada do crescimento no número de novos casos semanais, após período de queda. Os dados foram colhidos na semana epidemiológica 30, entre os dias 19 e 25 de julho. De acordo com o boletim, a tendência de crescimento é maior nos estados de Amapá e Rio de Janeiro. As cidades de Macapá, Rio de Janeiro e São Luís mostram sinais de crescimento da doença. Já Fortaleza apresenta sinal de estabilização de covid-19, com uma possível retomada de crescimento lento.

 

Fake news: multa de R$ 100 mil

Após o Facebook anunciar que não iria tirar do ar internacionalmente perfis de militantes bolsonaristas investigados pelo “inquérito das fake news”, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, aumentou de R$ 20 mil para R$ 100 mil a multa diária pelo descumprimento da ordem. Também determinou a intimação pessoal do presidente do Facebook no Brasil, Conrado Leister. De acordo com Moraes, a decisão vem sendo descumprida há oito dias.

Para o magistrado, a suspensão parcial das contas e perfis caracteriza descumprimento da ordem judicial. Isso porque permite a divulgação das mensagens no Brasil, “perpetuando-se verdadeira imunidade para a manutenção da divulgação de ilícitos penais já perpetrados”.

 

Facebook e Twitter recorrem

O Facebook e o Twitter informaram nesta sexta-feira que vão recorrer da decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes que determinou o bloqueio internacional dos perfis de usuários investigados pela Corte pela suposta divulgação de notícias falsas (fake news) e ameaças aos ministros.

A manifestação das empresas foi divulgada após a decisão proferida pelo ministro, que estendeu o bloqueio nacional determinado por ele na semana passada. Segundo Moraes, o Facebook e o Twitter não fizeram o bloqueio internacional da visualização dos perfis, permitindo que as páginas sejam vistas fora do país e por usuários que estão no Brasil, por meio redes privadas de VPN, contornando a proibição.

 

Serviços públicos de saneamento

O Ministério do Desenvolvimento Regional abriu consulta pública para reunir contribuições sobre o decreto que estabelecerá a metodologia para comprovação da capacidade econômico-financeira na prestação de serviços públicos de saneamento, com base no novo Marco Legal. As sugestões podem ser enviadas até 21 de agosto, por meio do portal Participa + Brasi. Após o fim do período de consulta pública, o ministério avaliará todo o conjunto de informações, que serão publicadas no Relatório Executivo. A pasta vai considerar a obediência às regras estabelecidas, a relevância e o impacto positivo para a efetividade do decreto. Também será realizada uma audiência pública sobre o tema, os procedimentos e a programação do debate serão divulgados na página do ministério.

 

 


 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor