Covid: testes reduzem perdas no trabalho em 50%

Exames e rastreamento em alta intensidade possibilitam recuperação da economia e custam menos de 0,1% do PIB.

Fatos e Comentários / 17:58 - 29 de mai de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Estimativas da Organização Internacional do Trabalho (OIT) sugerem que testes e rastreamentos (T&R) de Covid-19 estão associados a uma redução nas perdas de horas de trabalho em até 50%. A perda média estimada de horas de trabalho para países com menor intensidade de T&R é de cerca de 14%, em comparação com 7% para aqueles com maior intensidade.

Esses benefícios precisam ser comparados aos custos associados aos testes e rastreamento. Apesar de poucas fontes de dados disponíveis, a OIT estima que extensos programas de T&R custem menos de 0,1% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Usando um custo total de US$ 135 por teste e considerando os testes realizados até 1º de maio de 2020, o programa de testes da Coreia do Sul, considerado uma estratégia adequada de T&T, custaria aproximadamente US$ 80 milhões (o PIB do país ultrapassou US$ 1,600 trilhão em 2019). Na Islândia, que possui um dos mais extensos programas de testes em termos per capita, gastaria, utilizando o mais alto custo por teste relatado, de US$ 221, US$ 10,5 milhões (o PIB do país excedeu US$ 24 bilhões em 2019). Assim, se extensos programas de T&R permitissem uma melhora do PIB de 0,5%, já se pagariam com folga.

 

Ajuda, mas precisa mais

A Agência de Fomento do Estado do Rio (AgeRio) está autorizada a refinanciar as parcelas dos financiamentos dos veículos utilizados pelos taxistas e motoristas de aplicativos, conforme o Projeto de Lei 2.486/2020, aprovado pela Assembleia Legislativa (Alerj).

A medida vale somente para as parcelas vencidas durante os meses de vigência do estado de calamidade em decorrência do coronavírus, para motoristas que tiveram seus veículos comprados e emplacados no estado.

Ajuda. Mas o ideal, como esta coluna sugeriu, no caso dos motoristas de aplicativos, é que as empresas – que tanto ganham e tão pouco contribuem – assumissem as parcelas, assim como as mensalidades dos carros alugados.

 

Mãe

O Governo Federal anunciou a retomada da construção de um “empreendimento residencial do programa de habitação popular”, beneficiando 1.120 pessoas em Niterói (RJ). Trata-se do Minha Casa, Minha Vida. Mas o nome é evitado, porque remete ao governo de Dilma.

 

Marcados para morrer

Um negro norte-americano tem até 7 vezes mais chances de morrer de Covid do que um branco; na Suécia, 75% dos mortos são idosos deixados sem assistência, muitas vezes sem oxigênio, nos asilos; no Brasil, pobres da periferia. Elite sempre flertou com eugenia.

 

Rápidas

Nesta segunda-feira, às 16h, a ABF-Rio promove live no Youtube sobre as relações trabalhistas na pandemia com o desembargador Marcos Cavalcante, o diretor jurídico Gabriel Di Blasi, e a advogada Hannah Fernandes *** O IAB fará uma live no Instagram nesta segunda-feira, às 16h, pelo perfil @iabnacional, com a presidente da Frente Parlamentar de Liberdade Religiosa da Assembleia Legislativa de São Paulo, Damaris Moura (PSDB). O tema da conversa será “O direito ao exercício da fé em tempo de pandemia” *** A Pinacoteca de São Paulo apresenta Distância, primeira exposição de vídeos e filmes pensada especialmente para os meios digitais. Ao todo, cinco vídeos do acervo foram selecionados e poderão ser vistos exclusivamente pelo site do museu até 3 de agosto *** A FGV oferece uma nova opção de formação gratuita neste tempo de quarentena com o curso online “Introdução à Ciência de Dados”. Detalhes aqui *** A Cruz Vermelha Brasileira já ajudou mais de 245 mil pessoas na pandemia, com vacinação contra gripe, doações, higienização de cidades e testes rápidos da Covid-19 *** “Direito do Consumidor: temas contemporâneos” é o principal conteúdo do webinar gratuito que a Aasp realizará em 1º, 4 e 5 de junho, sempre às 10h. Participarão o ministro do STJ Herman Benjamin e advogados e professores do Brasil e de Portugal. Inscrições aqui *** O IBGE completou nesta sexta-feira 84 anos. Sem as estatísticas e pesquisas geocientíficas, o Brasil não teria consciência de sua grandeza e de seus desafios. O clima não é de festa, com os cortes no orçamento feitos pela equipe econômica, que ameaçam as séries de dados.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor