Crédito às famílias deve ter expansão anual de 19,5%

O saldo total da carteira de crédito deve crescer 1,4% em outubro, registrando o 9º avanço mensal seguido. O bom resultado deve ser impulsionado pela carteira com recursos livres, que segue se beneficiando da reabertura das atividades econômicas. O destaque do mês deverá ser a carteira Pessoa Física, com estimativa de crescimento de 1,8% e ritmo de expansão anual que poderá chegar a 19,5%, o maior desde novembro de 2011 (+19,8%).
As estimativas são da Pesquisa Especial de Crédito da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), divulgada mensalmente como uma prévia da Nota de Política Monetária e Operações de Crédito do Banco Central. As projeções são feitas com base em dados consolidados dos principais bancos do país, que representam de 39% a 89% do saldo total do Sistema Financeiro Nacional, dependendo da linha de crédito, além de outras variáveis macroeconômicas que impactam o mercado de crédito.
Rubens Sardenberg, diretor de Economia, Regulação Prudencial e Riscos da Febraban, destaca que, no crédito destinado às famílias, a alta deve ser puxada pela carteira livre, que deverá expandir 2,1%. “A pesquisa mostra uma oferta de crédito bastante positiva no último trimestre do ano, refletindo o maior consumo das famílias devido à reabertura das atividades econômicas, que favorecem especialmente as linhas ligadas ao consumo, como crédito pessoal e cartão de crédito. Também constatamos um avanço importante na carteira Pessoa Física direcionada, que deve crescer 1,6%”, destaca.
Desaceleração
Apesar das estimativas de crescimento para o mês, Sardenberg ressalta que a elevada base de comparação deve fazer com que o ritmo de expansão anual da carteira total de crédito mostre ligeira desaceleração, de 16,0% para 15,8%. “Ainda assim, estamos em um patamar bastante elevado, sinalizando que a oferta de crédito flui em um ritmo bastante forte, contribuindo para a retomada da atividade econômica.”
De acordo com a pesquisa, a carteira Pessoa Jurídica deve apresentar uma alta mais modesta, de 0,7%, com dinâmica diferente entre os recursos. Do lado positivo, a carteira livre deve mostrar expansão mensal de 1,5%, mesmo diante da sazonalidade negativa das linhas de fluxo de caixa, registrando o melhor resultado para o mês desde 2010 (+1,5%). Já a carteira direcionada deve retrair 0,7%.
Apesar do avanço da carteira Pessoa Jurídica, a estimativa é de uma nova acomodação no ritmo de expansão em 12 meses, que deve recuar de 11,6% para 11,1%, mais uma vez refletindo o término dos programas emergenciais e a retomada das captações das grandes empresas no mercado de capitais.

Concessões

A Pesquisa Especial de Crédito mostra que o volume de concessões deve recuar 1,6% em outubro mas ainda assim suficiente para seguir expandindo o volume acumulado em 12 meses, de 13,7% para 15,7%. Se ajustado por dias úteis, o volume médio de concessões deve mostrar expansão de 3,3% ante o mês anterior, liderado pelo crédito Pessoa Física no segmento livre.
Já na série sem ajustes, a alta deve ficar concentrada nas operações destinadas às famílias (+1,0%), com a variação acumulada em 12 meses mostrando expansão de 18,7% para 20,3%. Ajustando por dias úteis, a expansão deve ser ainda maior, de 6,0%, reforçando a liderança das operações para Pessoas Físicas para o crescimento do crédito no ano.
Segundo o levantamento, as concessões destinadas às empresas devem desacelerar em 4,4%. No caso das operações com recursos livres, a sazonalidade negativa das linhas de fluxo de caixa (antecipação de faturas de cartão de crédito e desconto de duplicatas e recebíveis) deverá ser o principal fator da retração. Já as operações direcionadas devem seguir se acomodando com o término dos programas emergenciais. No ajuste por dias úteis, o volume de crédito Pessoa Jurídica deve ficar praticamente estável (+0,4%).

Leia também:

Bolsonaro volta a aumentar, ainda mais, o desconforto dos investidores

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Caixa registra recorde em crédito imobiliário

A Caixa Econômica Federal realizou mais de R$ 140 bilhões contratados ao longo de 2021, maior valor da história do banco, com crescimento de...

Conversa com Investidor: Mills (MILS3)

Por Marco Saravalle, estrategista-chefe da Sara Invest.

Ibovespa registra sessão volátil

Nesta terça-feira (18), o Ibovespa passou por uma sessão volátil, na qual chegou a operar acima dos 107 mil pontos, mas mostrou resiliência ao...

Últimas Notícias

Caixa registra recorde em crédito imobiliário

A Caixa Econômica Federal realizou mais de R$ 140 bilhões contratados ao longo de 2021, maior valor da história do banco, com crescimento de...

Vendas do Grupo Patrimar crescem 193,7 no 4T21

O Grupo Patrimar - construtora e incorporadora mineira que atua na baixa, média e alta renda em Belo Horizonte, no Rio de Janeiro e...

Vacina errada em mais de 57 mil crianças e adolescentes

Em meio à campanha de vacinação contra a Covid-19, 57,14 mil crianças e adolescentes em todo o país foram imunizados com doses para adultos...

Pandemia aumenta acesso da população a serviços bancários

Os bancos digitais aumentaram o acesso da população brasileira a produtos financeiros, com destaque para a parcela de baixa renda. Atualmente 19% dos brasileiros...

Moby fecha 2021 com crescimento de 26%

Apesar da pandemia, da crise econômica e da redução na fabricação de veículos, a Moby corretora de seguros conseguiu fechar o ano de 2021...