Crédito com garantia de imóvel cresce 17,3% no Brasil de janeiro a abril

Movimento chegou a R$ 2,06 bilhões no país, o que representa um aumento de 17,3% sobre o mesmo período de 2022,

340
Casa a venda nos EUA (foto de Wang Ying, Xinhua)
Casa a venda nos EUA (foto de Wang Ying, Xinhua)

Muito popular entre os norte-americanos, uma modalidade de crédito vem ganhando espaço também no Brasil nos últimos anos. Trata-se do home equity – ou crédito com garantia de imóvel. Pelo modelo, o cliente final consegue um empréstimo com taxas de juros menores e possibilidade de prazos mais alongados ao utilizar um imóvel como garantia do negócio.

Nos quatro primeiros meses deste ano, o montante de crédito concedido por meio do home equity chegou a R$ 2,06 bilhões no país, o que representa um aumento de 17,3% sobre o mesmo período de 2022, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

Em quatro anos, o salto é ainda mais significativo no país: 80%. Essa tendência de crescimento tem atraído cada vez mais a atenção das instituições bancárias, entre elas as fintechs de open banking. É o caso da Franq, empresa de open banking criada em 2018 com sede em Florianópolis (SC). Enquanto o crescimento médio no país foi de 17,3%, no caso da fintech catarinense essa alta chegou a 43,5%.

Para a head de Home Equity da Franq, Aline Andrade, a aposta do mercado é de um crescimento contínuo nos próximos anos em todo o país. Segundo ela, a modalidade ainda é pouco conhecida da maioria da população, porém os grandes bancos estão fomentando esse tipo de crédito. “Acreditamos, com base também nas projeções do Banco Central, que esse tipo de modalidade de crédito tem potencial para ter uma representação muito maior em relação ao PIB”, afirma Andrade, lembrando que os estudos do BC apontam que as operações de home equity podem chegar a 20% do PIB até 2040.

Espaço Publicitáriocnseg

Daniel Ferretti, chief product officer da Franq, salienta que o home equity tem uma particularidade, pois os bancos e fintechs têm um apetite diferente neste tipo de operação, especialmente por ser um crédito com garantia. “A Franq opera com 15 parceiros e tem uma vantagem competitiva. Conseguimos uma taxa de aprovação muito superior se comparada com alguém que opera com um único ou poucos parceiros”, afirma.

Em busca de ampliar ainda mais a concessão de crédito com garantia de imóvel, a Franq lançou no começo deste mês um novo motor de pré-análise do home equity. Por meio da ferramenta, o bancário autônomo e agentes autônomos de investimentos conseguem visualizar de maneira rápida a probabilidade de sucesso do negócio, dando mais transparência ao cliente e agilizando o processo de contratação do crédito.

Com a pré-análise, que usa como base os dados dos últimos três anos em que opera no home equity, o bancário autônomo consegue fazer um atendimento mais personalizado, informando ao cliente os bancos em que há maior probabilidade de negócio, assim como a solicitação de um menor número de documentos. O motor de pré-análise do home equity trabalha dentro da plataforma Befranq, onde é feita toda a análise das propostas com as 15 instituições bancárias e fintechs parceiras da Franq.

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui